Base de Conhecimento

Anunciar no Google: Estratégias para Pequenas Empresas

20 de setembro de 2017

Passo a Passo como a Publicidade na Internet pode Aumentar seus Negócios

 

Dados Adwords

Se você tem um restaurante, uma loja de móveis, uma sapataria, entre outras tantas possibilidades de micro e pequenas empresas, te pergunto: você conhece o potencial da publicidade online para o seu negócio?

Ao longo deste artigo, nós vamos detalhar a principal ferramenta à sua disposição:  o AdWords, que incorpora seu anúncio às buscas feitas pelos usuários do Google. Vamos te explicar como o sistema funciona e também, porque pode ser um ótimo investimento para sua empresa.

Começando pelo Básico: o que é Google AdWords?

Toda vez que pesquisamos algo no Google, aparecem dois tipos de resultados. O primeiro tipo, são os que vem no topo da lista (três ou quatro em média). Estes, são pagos por empresas que querem seus anúncios aparecendo na primeira página, quando uma determinada palavra-chave é buscada pelos usuários.

Aparecem com uma pequena identificação, no canto inferior esquerdo, com a palavra “anúncio” destacada em verde (como você pode ver logo abaixo).SERP anúncio

Anúncio padrão com estrutura hierárquica de títulos, subtítulos e descrições.

O outro tipo de resultado, são todos os demais que vem na sequência, através da pesquisa orgânica. De forma resumida, contratando o serviço, você escolhe palavras-chave relacionadas ao seu negócio, para que o buscador mostre seu anúncio em destaque. Como este só aparecerá quando houver compatibilidade entre os termos, trata-se de uma ferramenta de venda direcionada.

Porque isto é Importante? Vantagens Específicas para Pequenos Negócios

  • Consumidores locais em potencial – É possível configurar seu anúncio, de forma a fazê-lo aparecer apenas para quem esteja procurando exatamente o seu produto ou serviço, na mesma região em que sua empresa opera. Para atrair possíveis clientes em movimento, utilizando um celular, não há estratégia melhor, pois chega até eles na melhor hora: quando precisam.
  • Pagamento por “click” – O sistema funciona através de depósitos antecipados de qualquer valor. Sendo que estes créditos são descontados apenas quando ocorrem acessos efetivos à sua página. Ou seja, você não paga apenas por aparecer, mas sim, quando alguém clica no anúncio.
  • “Clicks” rastreáveis – O maior diferencial do AdWords, além do fato de contar com a enorme base de usuários do Google, são suas ferramentas de análise. Você vai saber exatamente quantas vezes seu anúncio apareceu, quantas pessoas clicaram nele e o que estes usuários fizeram na sua página.

Resumindo, você direciona seu anúncio apenas para quem tem maiores chances de estar interessado; só paga quando a pessoa realmente entra no seu site e ainda, conta com ferramentas em tempo real, para avaliar seu desempenho na conversão destes clientes potenciais.

 Mapa

Detalhes Importantes a se Considerar antes de Anunciar no Google AdWords

Sendo uma pessoa empreendedora, você sabe muito bem que dinheiro não nasce em árvore. Como em qualquer campanha publicitária, as campanhas online também exigem uma estratégia geral, mas, ao contrário das tradicionais, dependem diretamente da sua capacidade de adaptação às circunstâncias.

Pela sua maleabilidade, o AdWords abre inúmeras possibilidades, mas, exige esforço, dedicação e disposição para aprender no processo. Por isso, vamos primeiro pontuar os tópicos mais importantes para se ter em mente ao definir sua estratégia, para depois, vermos o passo a passo na prática.

Critérios do Google para Mostrar um Anúncio

  • Preço pago por “click” – Você só paga quando alguém clica em seu anúncio, porém, o valor pago por acesso é configurável. Quanto você paga em relação aos seus concorrentes é obviamente importante para o Google.
  • Qualidade e relevância do anúncio – Quando alguém faz uma pesquisa, o mecanismo de busca prioriza os resultados mais relevantes para os termos utilizados, o que inclui a adequação das palavras-chave contidas no anúncio, ao que a pessoa procura.
  • Experiência do usuário – Ainda que seu anúncio esteja de acordo com os termos de busca, o Google considera a adequação da landing page – a página para à qual o anúncio direciona o usuário – ao que ele realmente está procurando. Anúncios de produtos não devem levar o usuário até o histórico da empresa, apenas para dar um exemplo extremo.

Diferenciação de Campanhas entre Dispositivos Móveis e Desktops

Até este ponto, falamos sobre pequenos negócios apenas como espaços físicos, mas, sua empresa também pode ser um e-commerce. Em ambos os casos, é preciso levar em conta as diferenças entre usuários acessando por dispositivos móveis e aqueles que estão em casa, ou no trabalho.

O sistema em si funciona da mesma forma para ambos, mas, há a questão do espaço disponível em tela e o próprio fato de, uns estarem em deslocamento e outros não. Nos Estados Unidos, por exemplo, estima-se que mais da metade dos acessos seja feito por celulares e tablets.

No Brasil, esta proporção pode ser ainda maior, considerando os tipos de planos de conexão mais vendidos. Este é um aspecto ignorado por muitos anunciantes em suas estratégias. O significado é o seguinte:

  • Desktops e laptops – São mais adequados como alvo, para estratégias de e-commerce. É possível mostrar melhor os produtos, o usuário está mais concentrado em sua navegação e comprovadamente, o CR (Conversion Rate), a taxa de conversão de usuários interessados em clientes efetivos, é maior do que em dispositivos móveis.
  • Tablets e celulares – São melhores alvos para empreendimentos físicos, como restaurantes, lojas de roupas, calçados, eletrodomésticos, entre outros; por todos os motivos que expusemos anteriormente, ou seja, captar clientes em potencial em deslocamento na sua área.

Isso não quer dizer que, se você apenas entrega pizzas, deve esquecer os celulares, mas, que deve criar campanhas online separadas, apropriadas para cada tipo de dispositivo e para seu negócio. Voltaremos ao assunto adiante, mas, repare na imagem a seguir.

Extensão de anúncio de ligação

Apesar do espaço menor em tela, dispositivos móveis permitem extensões como “ligar para”.

Custo da Publicidade no Google

Já dissemos que a cobrança do anúncio é por acesso, mas, o custo de cada acesso é variável de acordo com a palavra-chave escolhida e o local do negócio. Além disso, você tem a opção de pagar apenas a média do que os seus concorrentes estão pagando, ou aumentar o lance.

O sistema conta com uma ferramenta chamada Planejador de Palavras-Chave, onde é possível ver sugestões de valores, mas, o que importa para sua empresa é o retorno que pode obter por acesso, não quanto cada um custa.

Pense nisso como um funil: quantos acessos são necessários para cada cliente convertido e qual o gasto médio deste cliente. Isso vai te dar uma ideia de quanto pode pagar pelos acessos. Também voltaremos a este assunto. Agora, é hora de por a mão na massa.

Passo a Passo para Anunciar no Google

Como em quase todos os serviços deste tipo, o começo é a parte mais simples. De início, você precisa apenas ter um e-mail e um site para se cadastrar. Após inserir estes dados, você terá seis etapas a cumprir, em nível crescente de dificuldade.

A primeira é definir o limite de gasto diário e como você está começando, aconselhamos colocar um valor baixo, até entender melhor como funciona o sistema. Depois, terá que definir a região em que quer anunciar.

Existem várias opções, mas, para pequenos negócios, é mais efetivo concentrar em uma área próxima. Portanto, desconsidere as regiões sugeridas e escolha a sua, inserindo seu CEP e um raio de abrangência, que inclua a área mais adequada.

O terceiro passo é definir a rede na qual o anúncio será exibido. Existe a rede de buscas (Google Search Network) e a rede geral, que inclui YouTube e Gmail, por exemplo. Há exceções, mas, em geral, pequenos negócios devem se concentrar apenas na rede de buscas, faça isso por ora.

Estas três configurações podem ser mudadas posteriormente. Além disso, o mais importante vem a seguir, então, vamos com calma.

Escolha das Palavras-Chave

Exatamente como instalar um software em seu computador, o AdWords procura facilitar sua vida, com base no conceito: próximo, próximo, finaliza (next, next, install). Por este motivo, nesta etapa, você verá uma tela semelhante a esta, logo abaixo.

Sugestões de keywords

Exemplo de sugestões padrão do AdWords.

O sistema faz uma leitura do seu site e sugere automaticamente, algumas palavras-chave, indicando o número de buscas mensais ao lado. Tudo que você precisa fazer é definir as mais adequadas e seguir em frente.

Para o cadastro, isso é suficiente, mas, é importante consultar o Planejador de Palavras-Chave posteriormente e procurar por outras possibilidades. Vão ser necessários muitos ajustes e testes para que ache o conjunto mais apropriado ao seu negócio.

Além disso, você também vai ter que definir os critérios de combinação (match), entre as suas palavras-chave e os termos da busca, para que o anúncio seja mostrado no buscador do Google. As possibilidades são as seguintes:

  • Combinação ampla – É a opção padrão, mas, não a melhor para pequenos negócios. Neste caso, quando a busca tem qualquer das palavras contidas na sua palavra-chave, até mesmo sinônimos e em qualquer ordem, o anúncio será mostrado.
  • Combinação ampla com parâmetros – Digamos que sua palavra-chave é “moda Curitiba”. Por padrão, qualquer busca com “moda” ou “Curitiba” pode chamar o seu anúncio. Para evitar que isso aconteça, você pode usar um “+” na frente da palavra que mais importa. Por exemplo: “moda +Curitiba”. Assim, o anúncio não aparecerá por engano, em uma busca por “moda Colombo”, cidade da região metropolitana de Curitiba. Outra possibilidade, é utilizar um “-”. O que pode ser útil quando seu anúncio está sendo chamado por alguma confusão entre termos como: “moda Curitiba” e “moda Curitibanos”, que é outra cidade. Ficaria assim: “moda Curitiba -Curitibanos”.
  • Combinação de frase – Também é possível definir a ordem das palavras como critério. Por exemplo, com “moda Curitiba”, uma busca por “Curitiba moda”, não será considerada, mas, “moda em Curitiba”, sim. Para usar esta forma de combinação, basta colocar a palavra-chave entre aspas.
  • Combinação exata – Colocando a palavra-chave entre colchetes, como em: [moda Curitiba], apenas buscas exatamente iguais poderão chamar seu anúncio.

Valor Pago por Click (CPC – Cost Per Click)

Nesta quinta etapa, você terá a opção de deixar o Google definir o valor automaticamente ou fazer isso você mesmo. O ideal é conhecer as regras do jogo e fazer alterações no sistema por conta própria, mas, isso envolve vários detalhes.

Primeiro, tenha em mente que, por ser configurável, o CPC é uma espécie de aposta na palavra-chave (bid). Caso seu concorrente pague mais pela mesma palavra-chave, pode aparecer antes do seu anúncio ou pior, no lugar dele.

Para começar, você pode deixar no automático, mas, se decidir fazer definições manuais, o sistema irá te oferecer sugestões com base nos valores praticados pelos seus concorrentes. Como dissemos, para realmente saber o que está fazendo, você terá que levar em conta vários fatores que ainda não tem como saber pois, precisará acompanhar o desempenho do anúncio.

Última Etapa: Escrevendo para Anunciar no Google

Toda forma de escrita tem um público específico ao qual se destina. Escrever para este tipo de anúncio também tem público, formato e regras específicas. Quanto melhor você entender a lógica interna do sistema, melhor será seu retorno. Veja abaixo como é a janela de redação dos textos.

Etapas anúncio de texto

Não se engane com a simplicidade da tela.

Tudo que você tem que fazer nesta etapa, parece muito simples, mas, não é. Para escrever um anúncio que funcione, primeiro, pesquise por similares. De preferência, dos seus concorrentes diretos. Além disso, leve em consideração os pontos a seguir:

  • Usar as suas palavras-chave no anuncio;
  • Usar identificadores locais, principalmente pequenos negócios (cidade, bairro);
  • Deixar claro quem você é e o que está oferecendo;
  • Incluir o diferencial do seu negócio;
  • Chamadas para ação do usuário (call-to-action), se você quer acessos, incentive o usuário;
  • Se possível, incluir ofertas e promoções.

Como adendo, quando estiver escrevendo um anúncio para dispositivos móveis, lembre-se das especificidades das quais seu negócio pode tirar proveito, além das limitações envolvidas:

  • Extensões (ligar para, geolocalização) são ótimas para estratégias de pequenos negócios;
  • Seja simples e direto, você tem pouco espaço.

Avaliando a Performance do seu Anúncio e Fazendo Experiências

Já dissemos ao longo deste artigo que, para anunciar no Google, é necessário estar disposto a aprender no processo. Você vai descobrir as melhores estratégias para seu negócio com a prática, o que exige avaliação constantemente de desempenho. Isso será facilitado através de um ranking de qualidade, para cada uma das suas palavras-chave, com base:

  • Na relação entre acessos à página e total de impressões (probabilidade de “click”);
  • Na relevância do anúncio para a busca;
  • Na adequação da página à busca (experiência do usuário).

 

Índice de Qualidade

Os critérios são mostrados em um valor qualitativo.

Como é possível observar na imagem acima, o resultado é mostrado em escala 10. Números iguais ou superiores a 7/10, podem ser considerados bons. Além disso, este índice é multiplicado pelo valor que você paga por “click”, para que o sistema decida qual anúncio mostrar, o seu ou de seus concorrentes.

Isso significa que adequação das palavras-chave e ajuste de combinações de busca, assim como a relevância do seu site para o usuário, podem ter um peso maior do que o valor que você paga por “click”, dependendo da situação de seus concorrentes. Em suma, você terá que prestar atenção aos seguintes dados das ferramentas de análise do sistema:

O número de vezes que seu anúncio aparece (impressões) – Um número muito baixo significa que está pagando pouco por “click”, ou que seu site não cumpre os critérios de relevância para a busca.

  • Relação entre impressões e “clicks” (CTR) – O que você quer são os clientes, não apenas acessos, mas, para converter usuários em clientes, é preciso que eles primeiro cliquem em seu anúncio. Portanto, esta relação te dá uma noção inicial de gasto para cada visita à sua página.
  • Custo médio por “click” (average CPC) – É uma média do total pago por acessos, dividido pela quantidade deles. Digamos que você gastou em um mês R$ 50,00 e obteve 100 acessos, independente do número de impressões, seu custo médio será de R$ 0,50.

Com estes dados, você só precisa acompanhar a ponta final: as vendas. Uma taxa de conversão bastante razoável é de 2%, mas, é possível chegar a 5%, dependendo do seu ramo de atuação. Qualquer número abaixo de 1% é sinal de prejuízo.

Assim, retomando o exemplo, se você gastou R$ 50,00 por 100 acessos e ficou dentro dos 2%, significa que pagou R$ 0,25 por cliente convertido. Neste caso, o valor é tão baixo que não há dúvida sobre o acerto do investimento.

Mas, os números reais são muito variáveis e dependem diretamente do ramo. Segmentos muito concorridos, terão CPC’s mais altos e no final, o que importa é se as vendas e principalmente, os lucros, compensam o gasto.

Por isso é importante rodar muitos testes. Criar anúncios com pequenas diferenças e observar como se comportam (testes A/B). Tenha em mente que os resultados podem ser demorados, justamente porque o aprendizado é lento.

 

Referências:

http://fitsmallbusiness.com/advertise-on-google/

http://www.wordstream.com/blog/ws/2016/02/29/google-adwords-industry-benchmarks

https://www.google.com.br/adwords/?channel=ha&subid=br-pt-ha-aw-bhmme~171828658753

LEIA MAIS

Como anunciar no Facebook e gerar muitos leads

4 de setembro de 2017

Passo a Passo das Melhores Estratégias de Geração com Foco em Conversões

a1

Quando você paga para anunciar no Facebook, o que quer são muitos leads, certo? Não sei qual foi sua resposta, mas, deveria ser sim e não, ao mesmo tempo. Ter muitos leads é o que você precisa para aumentar as possibilidades de conversão final, em clientes.

Para o que você realmente quer, os leads são um meio ideal, mas, não um fim em si mesmos. Neste artigo, vamos te ensinar a seguir este caminho desde o anúncio, passando pela otimização para geração de leads (lead generation) e finalmente, afinando as estratégias para conversão.

Seguindo estes passos básicos, o Facebook Ads pode se tornar uma poderosa ferramenta para seus negócios. Vamos lá?

Começando pelo Princípio: O que é Lead Generation?

De forma bastante direta, é a criação de um público seguidor, composto de possíveis consumidores, para a sua marca, produto ou serviço. Para isso, utiliza-se e-mails, posts e anúncios relacionados aos interesses e necessidades deste público.

A ideia toda se baseia na lógica de construção de uma relação de longo prazo, através da qual você desenvolve a confiança na sua marca, com o claro objetivo de estabelecer um público fiel e aumentar as vendas.

Como referência inicial, uma expectativa bastante razoável, é de que você tenha um custo de aquisição de novos clientes, próximo da metade do que custaria através da publicidade direta (como banners em sites ou blogs).

Isso acontece, justamente, pela possibilidade de atingir as pessoas certas para o seu tipo de negócio.

Primeiro Passo: Oferecer Algo que seu Público Queira (Lead Magnet)

Você também navega pela internet e usa o Facebook. Também é um consumidor de empresas produtos e serviços. Quando nesta posição, seu ato de consumo está relacionado à expectativa de satisfazer uma necessidade ou desejo.

Pois então, para atrair leads, você precisa oferecer algo que eles queiram, de forma gratuita, pedindo apenas alguns dados de cadastro. Não precisa ser a solução de todos os problemas de todas as pessoas. Precisa ser uma boa solução para um problema real, oferecida para um nicho adequado ao seu negócio.

Melhor ainda, se for fácil de entender, usar e principalmente, se for uma solução percebida pelas pessoas como realmente útil. Quando consegue algo deste tipo, você tem um verdadeiro imã para leads (lead magnet). Vamos ver alguns exemplos:

  • Conteúdo para download – Um conteúdo de qualidade do seu site pode ser transformado em e-book, talvez com algumas informações extras, mas, não precisa ser um livro, basta ser útil. Caso o texto seja longo, porque não dividi-lo em um curso em etapas? Se o texto for curto demais, porque não transformá-lo em algo como “5 passos para…”?
  • Ferramentas online e planilhas – Quando são realmente funcionais, tem alta percepção de valor, criando uma relação de confiança maior entre marca e lead.
  • Descontos em e-commerce ou cursos online – É mais comum em e-commerces e você já deve ter visto vários deles, como o do exemplo abaixo.

a2
10, 20, 30% apenas por meu e-mail? É isso que seu futuro lead deve pensar.

  • Concursos e prêmios – As pessoas adoram coisas de graça, mesmo quando não precisam delas. Estes magnet leads tem alto potencial de se tornarem virais, por isso, é preciso apenas ter certeza de oferecer prêmios relacionados ao seu negócio, afinal você quer atrair leads que possam ser convertidos.
  • Vídeos – Podem ser demorados para se fazer e devem ter qualidade, mas além de terem percepção de valor alta, ainda criam um vínculo mais efetivo com os seus leads.

Após todas estas opções, precisamos apenas reforçar o ponto mais importante: não importa qual seja o seu lead magnet, desde que resolva problemas de um nicho específico e você tenha em mente, que enfrentará muita concorrência pela atenção e interesse das pessoas.

Para realmente captar a atenção, fazendo com se deem ao trabalho de preencher um cadastro, é preciso fazer diferente do que todos fazem, ou fazer o que todos fazem, mas, melhor do que todos eles. Por isso, é útil encontrar nichos não muito explorados, com personas bem definidas.

Segundo Passo: Entregando o Prometido na Landing Page

O que chamamos de landing page, não é a página genérica da sua empresa, mas, uma página específica, adaptada para receber os dados de cadastro e entregar o magnet lead oferecido. Como, idealmente, você estará fazendo vários anúncios e oferecendo muitos deles, produzir estas páginas pode ser bastante trabalhoso.

Existem muitas ferramentas disponíveis para criação de landing pages, mas, como em todas as áreas, para aplicação constante e profissional, as gratuitas não são as melhores para resolver o problema. Outro ponto importante, é que a escolha depende muito do seu uso.

Entre as principais opções, temos o Leadpages, Unbounce, Optimizepress e Hubspot, todas muito funcionais e robustas, mas, é possível que você queira uma alternativa intermediária para começar. Neste caso, pode dar uma estudada no Instapage, que é relativamente barato e ótimo para testes de desempenho. Porém, o plano básico é limitado a 5 mil inscrições.

Seja lá qual for a sua escolha, leve em conta a integração com seu software de e-mail e a quantidade de templates, afinal, serão muitos anúncios e não dá para ter apenas cinco combinações diferentes de temas, certo?

Isto dito, vamos ver algumas regras que devem ser observadas para a criação de landing pages:

  • Não distraia seu lead – Você conseguiu captar e manter a atenção dele até aqui, não vai querer que ele se perca agora, justamente quando está para de cadastrar. Mantenha as coisas simples.

 

a3

Exemplo de landing page com design clean.

  • Relação entre dados do formulário e magnet lead – Um template tem um valor percebido baixo e poucas pessoas irão preencher mais do que nome e e-mail para ter acesso a ele. Vídeos tem valor mais alto e portanto, você pode pedir mais informações de seus leads. Use o bom senso.

 

  • Técnicas de design para equilíbrio e foco de atenção – Você deve aprender a utilizar técnicas de distribuição de espaço, uso de cores e recursos como apontadores para tornar sua landing page mais efetiva. Repare no exemplo abaixo.a4

Exemplo de design com todos os detalhes técnicos mais importantes.

Vamos observar três técnicas utilizadas nesta landing page:

  • Direcionamento de olhar – Elementos apontadores são utilizados para indicar o formulário de dados e além disso, a imagem de fundo está desfocada, atraindo a atenção para o mesmo.
  • Espaço em branco – Utilizado nas partes externas, neste caso, criando um efeito similar ao wide screen. Além disso, o branco da tarja inferior também é útil para o próximo ponto.
  • Contraste de cores – A diferença entre os tons de azul, destaca o formulário e a ausência de cor (branco), na tarja inferior, destaca o elemento apontador para o formulário.

Enfim, Anunciar no Facebook e Direcionar o Tráfego para a Landing Page

Tudo que vimos até agora, nos forneceu ideias para termos um bom magnet lead e criar uma boa landing page. Falta apenas, darmos o último passo: anunciar no Facebook.

Em primeiro lugar, você vai querer saber quantos leads seus anúncios estão gerando, principalmente, para poder medir o desempenho deles. O Facebook Ads conta com um Gerenciador de Anúncios onde é possível obter um pixel de rastreamento.
a5Ferramenta para avaliar seus anúncios através de pixel tracking.

Trata-se de uma “imagem invisível” que você pode colocar na sua landing page. Desta forma, o sistema será capaz de lhe fornecer informações muito úteis. Voltaremos a este assunto adiante.

Por ora, basta instalar estes pixels em todas as páginas para as quais for criar direcionamento de tráfego, através de seus anúncios. E falando sobre eles, vamos ver um exemplo.

a6
Design básico de anúncio.

Como é possível observar, há três elementos diferentes: headline (título), imagem e o próprio texto descritivo. Para ter uma campanha bem sucedida é importante testar alternativas de combinação, lançando anúncios diferentes para o mesmo magnet lead.

Por exemplo, criando 2 ou 3 elementos de cada e os combinando de várias formas. Depois, é possível saber quais versões geraram mais leads e aprender no processo, mantendo apenas os mais efetivos.

Também é importante que seja dado destaque ao benefício oferecido para o usuário. Assim como, podem ser incluídos lembretes de que a oferta é gratuita e leva poucos segundos para se cadastrar. Ou ainda, um senso de urgência, como um contador de horas para o fim da oferta.

Indo Além do Básico: Definindo o Público Alvo ao Anunciar no Facebook

Vamos lembrar que você tem um magnet lead, resolvendo um problema de um público específico, agora, precisa informar isso ao sistema. O Facebook conhece os hábitos dos seus usuários e por isso, te oferece opções para separar seus alvos da massa.

Você pode definir faixas etárias, gênero, escolaridade e até, utilizar opções mais avançadas como certos filtros demográficos, caso queira atingir pessoas que tem animais de estimação, que moram sozinhas ou longe de sua cidade natal.

Como são muitas opções, vale sempre lembrar de lançar variações de anúncio, para testar o desempenho delas e medir o acerto ou erro das definições de público-alvo, como pode ser visto na imagem abaixo.

a7

Tela do “split test”: vários anúncios e os dados de conversão para análise.

Esta é a tela do chamado teste fragmentado (split test), ou seja, de anúncio lançado com variações de textos, imagens e também, de definições de público-alvo. Além de tudo que já dissemos, não custa enfatizar que alguns targets são muito amplos. Pessoas com interesse em moda, por exemplo.

Sapatos, bolsas, moda infantil, você vende tudo isso? Ainda que seu mix de produtos seja amplo, você pode ter uma marca mais identificada com certas faixas etárias, ou faixas de renda e escolaridade. Definições muito amplas, vão contra a filosofia geral de anunciar no Facebook.

Afinal, a ideia é atingir quem tem o maior potencial de ser convertido em lead e idealmente, em cliente. Ainda que seja barata, uma campanha online deste tipo, pretende ter um custo de conversão baixo. Daí a importância dos testes.

Além disso, também há um equilíbrio para baixo, ou seja, públicos excessivamente restritos. Nas ferramentas do Facebook, as campanhas são definidas a partir de uma estimativa de audiência, determinada pelos seus parâmetros de público-alvo.

Procure manter este número acima de 500 mil pessoas, pelo menos no começo. Conforme for rodando testes e otimizações, irá descobrindo as melhores opções para seu negócio.

Importância dos Testes Fragmentados para Otimização de Custos

No Facebook Ads, a referência de custos é atrelada a pacotes de mil impressões, o que verá como CPM (custo por mil), mas, existem formas de otimização para a maneira como o sistema entrega estes anúncios, considerando seu público-alvo. O CPM pode ser otimizado:

  • Para conversão – Desde que você tenha instalado pixels em todas as suas landing pages, o sistema vai procurar entender os perfis com maior probabilidade de conversão, focando a distribuição do anúncio nestas pessoas.
  • Para número de clicks – Caso perceba que a conversão está baixa, pode mudar para otimização por número de clicks. Assim, o sistema vai tentar atrair o maior número de pessoas, dentro das suas definições, ou seja, vai focar na quantidade.
  • Para engajamento – Como dissemos anteriormente, magnet leads com promoções e prêmios, tem potencial de se tornarem virais. Caso acredite que tem algo deste tipo em mãos, a melhor opção pode ser a otimização para engajamento, buscando o maior numero de likes, compartilhamentos e comentários possível.

Como está rodando um split test, você irá entender gradualmente quais públicos reagem melhor aos seus magnets leads. Por isso, não faça alterações de imediato, dê tempo ao sistema para acumular dados. Dois ou três dias pelo menos. Depois, elimine os anúncios com pior desempenho e acompanhe os demais.

Idealmente, deixe a campanha rodando até o custo de conversão subir e então, crie outra, utilizando o que aprendeu sobre seu público. Se mulheres regiram melhor ao seu primeiro anúncio, foque nelas, fazendo novos testes com faixas etárias ou escolarização, por exemplo.

a8

Score de relevância de anúncios considerando público-alvo.

Há várias boas ferramentas para te ajudar no processo, como o score de relevância mostrado na imagem acima. Repare na pontuação e adequação dos anúncios, de acordo com as diferentes definições de público-alvo.

Também é possível utilizar o tráfego não convertido, para criar novas campanhas específicas. Utilizando o Gerenciador de Audiências (Facebook Audience Manager), você pode colocar em todas as landing pages, um pixel específico para customização de audiências e desta forma, permitir ao sistema criar dados de navegação, com os quais poderá criar novas definições.

a9

Pixel de customização: uma vez instalado na página, registra dados para utilização em futuras campanhas.

Tenho Milhares de Leads e Agora? Aprendendo o Conceito de Nurturing

Alguns conceitos são difíceis de adaptar. Não há nenhuma palavra em nossa língua, que reflita bem o conceito de Nurturing, seria algo equivalente ao processo de criar uma criança até que se torne adulta.

No caso dos seus leads, corresponde ao ciclo de vida, da conversão até a venda e também, além deste ponto, caso se tornem consumidores de longo prazo, que seria o ideal. Entretanto, como fazer isso na prática depende muito do tipo de negocio.

Vamos imaginar uma sequência lógica e básica de relacionamento com seus leads:

  • Aquisição do lead (magnet lead #1)
  • Manutenção e aprofundamento de vínculo (magnet lead #2)
  • Idem (magnet lead #3)
  • Idem (magnet lead #4)

Você pode continuar esta sequência por quanto tempo achar necessário, mas, em algum momento, deve oferecer seu produto ou serviço e fechar a venda. A quantidade ideal de etapas intermediárias varia de acordo com seus objetivos, valor médio de seus produtos, entre outros fatores.

Como nos passos anteriores, a prática vai te aprimorar e você acabará descobrindo o nível adequado de agressividade para seu público. Uma dica importante, é criar e-mail workflows (sequências pré programadas do roteiro básico). Existem softwares para facilitar este trabalho, como Customer.io, Hubspot, Infusionsoft, entre outros.

Também é possível capitalizar sobre leads já existentes, como por exemplo, criando campanhas pequenas e personalizadas para quem já te conhece (afinal, já estão cadastrados). Consequentemente, há uma maior chance de conversão.

Enfim, por mais extenso que tenha sido, este artigo cobriu o que você necessita para começar a anunciar no Facebook. Agora, precisa de prática e testes constantes, então, que tal partir para a ação?

Referências:

https://adespresso.com/academy/blog/lead-generation-facebook-ads-definitive-guide/

https://www.facebook.com/business/overview

https://conversionxl.com/blog/ab-testing-facebook-ad-campaigns/

LEIA MAIS

A importância de ter um site

31 de agosto de 2017

O mundo está mudando e você precisa se atualizar com ele. Antes, apenas ter um cartão de visita bastava. Hoje, empresa que só tem cartão de visita como forma de propaganda está ultrapassada e não alcança nem 10% do público que poderia alcançar se estivesse online. Afinal, não possuir endereço na web é como não existir para muitos clientes.

Tanto que o valor gasto com internet e criação de sites, hoje, não é mais considerado um custo no orçamento das empresas, mas um investimento. A internet possibilita que sua empresa seja vista no mundo inteiro – e permite que você faça negócios com pessoas que moram muito distantes da sua sede.

O site se tornou o cartão de visitas moderno. Por isso, mais importante ainda é que ele seja bonito e funcional, ou seja, fácil de mexer e útil para quem acessar; Também é interessante que seu site contenha formulário de contato, telefones visíveis, lista de seus produtos detalhada, fotos bonitas e que utilize recursos modernos para chamar a atenção de seu cliente e causar uma boa primeira impressão.
Pense no seu público-alvo

Claro que é fundamental que você goste do layout de seu site, porém, acima de tudo, você precisa pensar no seu público-alvo, ou seja, seu cliente. É através do site que você consegue se relacionar diretamente com ele. Um site fácil de mexer, organizado e com informações claras e objetivas, é mais agradável, não confunde o cliente e o deixa satisfeito com a sua marca.

Então, para que seu site gere um resultado satisfatório em seus negócios, na hora de pensar no layout e nas informações que serão dispostas nele, coloque-se sempre no lugar de seus clientes.

Além de ter um site com as mais modernas tecnologias, atualmente é imprescindível pensar na sua divulgação. Apenas dessa forma será possível rentabilizar o site e atrair clientes potenciais.

O Google Adwords é de extrema importância e pode ajudar a sua empresa a atingir resultados crescentes.

Vale a pena investir um pouco na construção de seu site, estudar os layouts com cuidado, personalizar recursos e produzir conteúdo customizado.

Que construir um site para melhorar a visibilidade de sua empresa ?  Conte com a Neorion.

LEIA MAIS

Marketing digital: Como fazer ?

25 de agosto de 2017

O que é marketing digital? Talvez esta seja uma das perguntas mais feitas nos últimos anos, afinal de contas, são vários os empreendedores que tem investido nesse modelo inovador para divulgar e fazer publicidade na internet.

Mas e você? Sabe o que é marketing digital? Para que ele serve? Que vantagens esse tipo de marketing pode proporcionar para o seu negócio?

Bom, continue lendo esse post e descubra a resposta para essas e muitas outras questões envolvendo o marketing digital.

Marketing digital: O que é?

Para quem ainda não conhece, o marketing digital corresponde a uma poderosa ferramenta de divulgação adaptada para o meio virtual. Resumindo, o marketing digital nada mais é do que as ações de comunicação que uma determinada empresa usa para atrair clientes, seja pelas redes sociais, dispositivos móveis, dentre outros meios.

Quem atua com marketing digital, além de alavancar suas vendas, também deseja obter mais visibilidade e um melhor engajamento com o seu público na internet.

Dentro do marketing digital existem algumas subdivisões que também são bastante utilizadas, como é o caso do social media marketing, que é uma estratégia de marketing digital voltada para as redes sociais, o mobile marketing, que está relacionado a campanhas de marketing através dos dispositivos móveis, o email marketing, que se refere a campanhas de marketing por e-mail, dentre outros.

Marketing digital: Para que serve?
O marketing digital serve basicamente para alavancar as vendas de um negócio e também para melhorar o engajamento de uma marca com o seu público.

Além disso, com esse tipo de marketing, você também garante mais credibilidade e solidez no mercado, fatores estes que ajudam o seu negócio a crescer e se posicionar frente a concorrência, contribuindo assim para um maior faturamento e, consequentemente, maiores lucros.

Vantagens do marketing digital para o seu negócio

  • Menor custo

Uma das vantagens do marketing digital em relação a outras formas de marketing e comunicação, é o baixo custo que você terá para colocar esse tipo de marketing em prática.

Além de contar com ferramentas de análise de resultados gratuitas na internet, você também não terá que se preocupar em gastar com transporte de material ou mesmo com impressões, uma vez que toda a campanha de marketing é digital.

  • Melhor foco

As campanhas de marketing digital tendem a ser muito mais direcionadas do que outros tipos de campanhas publicitarias. Isso porque existem ferramentas especificas no meio digital, que direcionam as campanhas aos seus respectivos públicos. Aproveite para ler o post que fala sobre link patrocinado e como usar essa ferramenta de marketing digital a favor do seu negócio.

  • Retorno rápido

Uma campanha de marketing realizada na internet consegue gerar resultados bem mais rápido do que se você lançar um anuncio no rádio ou na TV, por exemplo.

Isso porque hoje em dia grande parte das pessoas encontra-se conectada na internet. E se você trabalhar com as ferramentas certas, terá boas chances da sua campanha chegar até o seu público alvo, para atrai-lo e convertê-lo em vendas.

Agora que você já sabe tudo sobre o marketing digital, está mais do que na hora de começar a colocar em prática esse modelo de comunicação e publicidade na internet, para conquistar o sucesso com o seu negócio online.

LEIA MAIS

Links Patrocinados: Descubra o que é e quais as suas vantagens

25 de agosto de 2017

Atualmente o termo links patrocinados é algo que gera dúvida em muitas pessoas. E se você também não sabe o que isso significa, então está no lugar certo!

Nesse post vamos abordar de forma mais direcionada o que são links patrocinados e porque muitas pessoas adotam essa estratégia para atingir um bom tráfego e boas conversões em seus negócios online.

Continue lendo esse post e descubra:

  • O que são links patrocinados;
  • Por que usar anúncios pagos em suas estratégias de marketing;
  • Como utilizar os links patrocinados a favor das suas campanhas na internet.

Confira!

Links patrocinados: O que são?

Os links patrocinados, também conhecidos como anúncios pagos, nada mais é do que uma estratégia de marketing digital utilizada para garantir um número maior de conversões para um determinado negócio online.

Esses anúncios pagos representam uma boa maneira de atrair a atenção de clientes em potencial, uma vez que, por meio deles, você consegue obter uma maior visibilidade na internet a partir das palavras-chave escolhidas para fazer parte das suas campanhas no meio online.

Hoje em dia existem várias ferramentas que atuam com links pagos, no entanto, um dos mais conhecidos é o Google Adwords. Esta é uma plataforma de anúncios online, responsável por fazer a divulgação dos seus anúncios a partir das palavras chaves escolhidas para cada campanha.

O diferencial dessa plataforma está no fato de que o valor pago pelo anúncio ao Google, só será descontado do seu orçamento, quando o visitante efetuar um clique em uma palavra-chave que foi determinada por você no ato da construção da campanha. Ou seja, esta é uma segurança a mais de que você não estará desperdiçando o seu investimento.

Por que usar anúncios pagos em suas estratégias de marketing

Existem vários fatores que justificam e também mostram o porquê esse tipo de estratégia tem sido bastante utilizada por muitos empreendedores hoje em dia. Dentre eles, é possível citar:

  • Alto nível de conversão

Ao utilizar anúncios pagos, você aumenta suas chances de atingir o público certo com suas campanhas, o que aumenta consideravelmente a sua taxa de conversão e, consequentemente os seus lucros.

  • Melhor relação custo-benefício

A partir do momento que o valor pago pelo anuncio só é descontado quando o mesmo consegue ser convertido, então fica claro que a relação custo-benefício aqui é muito melhor, uma vez que o retorno do valor que investiu inicialmente tende a ser maior.

  • Melhor posicionamento da marca

Outro ponto que conta a favor dos links patrocinados é que essa estratégia proporciona um posicionamento melhor para a sua marca, dando mais destaque a ela frente ao seu público-alvo.

Isso porque através dos seus anúncios pagos, você pode gerar várias impressões diariamente, o que eleva e muito a empatia e a credibilidade das pessoas com a sua marca.

Agora que você já sabe os motivos que levam as pessoas a adotarem os anúncios pagos como estratégia de marketing para alavancar suas vendas, veja a seguir como usar essa estratégia a favor do seu negócio online.

Como utilizar os links patrocinados a favor das suas campanhas na internet

Para usar o link patrocinado a favor dos seus anúncios na internet, você deve seguir 3 passos básicos. São eles:

  1. Escolha um canal

A primeira coisa que deve fazer é escolher um canal onde os seus anúncios serão publicados.

Hoje em dia existem vários meios onde você pode publicar seus anúncios: Facebook, Youtube, Snapchat, Google Adwords, dentre outros. Para não fazer a escolha errada, veja em qual canal o seu público está concentrado e a partir disso comece a anunciar no canal escolhido.

  1. Defina as palavras-chave

Procure optar por palavras chave (em caso de buscadores) que apresentam uma boa relevância, mas que o seu custo por clique não seja alto, do contrário acabará tendo mais prejuízo do que lucro.

  1. Planeje a divulgação dos seus anúncios e mensure os resultados

Você precisa montar um planejamento de divulgação dos seus anúncios nos canais escolhidos. Esse planejamento deve conter tanto os horários, quanto as segmentações definidas para os canais que você escolheu.

Além disso, você deve mensurar os resultados obtidos com as suas campanhas, pois é através desse procedimento, que você vai saber qual campanha está rendendo bons resultados e qual precisa ser melhorada.

Portanto, investir em links patrocinados é uma boa estratégia para conquistar excelentes conversões com seus anúncios na internet. Agora é só colocar os passos dados acima em prática para garantir um bom faturamento com seu negócio online!

LEIA MAIS

15 ferramentas top para otimizar sua conversão

18 de julho de 2017

Você com certeza já ouviu falar em ferramentas de otimização para conversão, ou CRO. Mas você sabe o que é isso? Uma conversão nada mais é do que uma ação importante que seu visitante faz em seu site.

O conceito de conversão acaba variando de site para site, por exemplo, um e-commerce tem como sua principal conversão as vendas realizadas. Já um site que gera leads tem como principal o envio de dados por um formulário de contato. O conceito varia, mas em todos os casos a conversão se transforma em lucros.

Então a sua conversão será sempre voltada para o seu tipo de site, o que fará com que a empresa fature mais e se aproxime também de seus futuros clientes.

As ferramentas de otimização vem sendo discutida por muitos especialistas, afinal o comércio digital vem crescendo muito e tudo o que diz respeito ao aumento de vendas deve ser analisado com muita cautela. E esses estudos não são á toa.

Algumas funções podem melhorar as conversões em qualquer tipo de site, mas existem muitas no mercado e surgem outras a cada dia. Por isso é essencial que os profissionais filtrem essas ferramentas e vejam quais as melhores.

E pensando em ajudar você que quer saber mais sobre as ferramentas, separamos algumas informações muito importantes sobre o assunto. Então continue lendo o artigo e confira agora mesmo mais sobre isso.

As ferramentas de otimização para conversão ajudam seu site extrair ainda mais tráfego do que ele já tem, ou seja, as conversões são fundamentais para o crescimento do seu site, principalmente nos dias de hoje que a concorrência no meio digital é tão grande.

O mercado online está cada vez mais aquecido e os investimentos nessa área não param de crescer. Visto isso, você que tem um site precisa se destacar entre os demais para vender cada vez mais e ter uma empresa de sucesso.

Qualquer mudança em seu site deve ser premeditada e principalmente testada antes, afinal as configurações dele são essenciais para o aumento ou não de suas vendas. Algumas mudanças podem dar certo para algumas pessoas, mas para você pode não dar e por isso é fundamental testar antes.

15 ferramentas top para otimizar sua conversão

É essencial analisar o custo benefício de cada ferramenta disponível no mercado e ver as opiniões de outros donos de sites sobre ela. Você não quer ter aborrecimentos ao longo das mudanças de seu site não é mesmo? Por esse motivo você precisa investir nas ferramentas certas para o seu site.

1. A/B Tasty:

Screen Shot 2015-11-09 at 4.02.55 PM

Essa é uma ferramenta projetada para massas, elas oferecem testes baseados em seu cliente, onde você pode tirar muitas informações importantes sobre eles. Isso ajuda a intensificar a aproximação com eles e a analisar o perfil de cada um.

2. Adobe Analytics:

Screen Shot 2015-11-09 at 5.25.43 PM

Essa ferramenta faz parte do Adobe Suite de Marketing e é uma plataforma poderosa para o seu site.

Anteriormente conhecido como Adobe SiteCatalyst, a ferramenta tem praticamente tudo o que você poderia querer, incluindo análises em tempo real, análise de aplicativos móveis, rastreamento de funil e Inteligência Preditiva.

3. Browserling:

Screen Shot 2015-11-10 at 1.52.39 PM

Essa ferramenta oferece interação ao vivo com seu visitante e cliente, com testes de navegador baseados na web.

Isso lhe dá um visual real de cada navegador. A partir daí, você também pode fazer anotações e reportar erros de design em qualquer navegador.

4. ClickTale:

Screen Shot 2015-11-09 at 6.43.20 PM

Essa é também uma poderosa ferramenta, ela faz repetições de sessão, funis de conversão e heatmaps.

5. Canvas para GrowtechHackers:

Screen Shot 2015-11-10 at 1.25.21 PM

A Canvas é uma plataforma que ajuda a suportar o processo de crescimento do seu site, que pode ocorrer de forma muito rápida em alguns casos. Esse suporte é fundamental para que seu site esteja acessível 24 horas por dia sem complicações para seus clientes e visitantes.

Os resultados de arquivamentos também são guardados com a ajuda dessa poderosa ferramenta.

6. Clicky:

Screen Shot 2015-11-09 at 5.30.57 PM

A Clicky é uma ferramenta gratuita, mas é indicada apenas para os sites que tem menos de 3 mil visualizações por dia. Ele se posiciona como uma alternativa ao Google Analytics e ajuda muito os iniciantes no mercado digital.

Clicky tem alguns recursos que diferenciam (todas as análises em tempo real, mapas de calor), mas eu não acho que valha a pena mudar do GA. Se você quer mapas de calor, existem outras ferramentas gratuitas.

7. Conductrics:

Screen Shot 2015-10-22 at 5.07.28 PM

A Conductrics é uma ferramenta mais avançada, oferecendo métodos de A/B que foram misturados com o Machine Learning para oferecer aos visitantes e clientes experiências nova para cada usuário. O melhor de tudo é que isso acontece de forma automática.

8. Crazy Egg:

Screen Shot 2015-11-09 at 6.58.18 PM

Essa ferramenta oferece mapas de calor, de clique, de rolagem e muitos outros. Ele oferece um vislumbre visual sobre como os visitantes estão navegando pelo seu site. Essas informações são ricas e você deve investir nessa ferramenta para analisar mais o perfil de seu público.

9. Decibel Insight:

Screen Shot 2015-11-10 at 1.15.22 PM

Essa é uma poderosa ferramenta de análise de CX de alto nível, sendo indicada para sites de nível empresarial. Ela oferece repetição de mapas de calor, sessão, análise de formulários, relatório de erros e comportamentais.

10. Effective Experiments:

Screen Shot 2015-10-22 at 12.26.11 PM

Essa á uma plataforma única e ajuda no gerenciamento de todo o fluxo de trabalho e de otimização que ajuda os CROs a armazenar as suas ideias e planos. Além disso, os resultados também estão inclusos nessa mesma plataforma.

11. Ethnio:

Screen Shot 2015-11-09 at 10.26.24 PM

Você pode recrutar seus testadores dos visitantes do seu site com essa ferramenta.

12. Experiment Engine

Screen Shot 2015-11-12 at 10.03.52 AM

Essa é uma ferramenta de gerenciamento de fluxo de trabalho que te ajuda no planejamento, a criar e também reportar testes A/B.

13. Formisimo

Screen Shot 2015-11-09 at 6.32.30 PM

Essa é uma excelente ferramenta que analisa formas. Ela é também uma alternativa para o Google Analytics para formulários.

14. Google Analytics:

google-analytics-logo

O Google Analytics é uma ferramenta muito comum e é utilizada por mais de 70% dos comerciantes.

15. Heap Analytics:

Screen Shot 2015-11-10 at 9.42.07 AM

Essa ferramenta captura todas as ações dos seus usuários e em sua aplicação na web ou IOS.

Essas 15 ferramentas de otimização para conversão são realmente algumas das melhores do mercado, mas como já foi citado, você deve analisar e testar em seu tipo de site. Veja quais as necessidades de conversão dele e escolha as melhores para o seu site.

Use todas as técnicas que estiver ao seu alcance para aumentar a conversão de seu site, gerando mais vendas e mais lucros se for o caso. A concorrência é muito alta e por isso alguns investimentos são necessários.

Se você é dono de um site iniciante, trabalhe bastante para alcançar bons resultados e além das ferramentas use técnicas para estar nas primeiras páginas do Google. Então mãos a obra.

LEIA MAIS

Como anunciar no Google Adwords

30 de junho de 2017

Atualmente, com o crescimento dos investimentos em marketing digital e com a evolução cada vez maior do mercado e das empresas, é necessário que estas se atualizem e repensem sobre os investimentos em divulgação. Por isso, se você é um empreendedor saiba mais como anunciar no Google Adwords.

CURSO COMPLETO SOBRE GOOGLE ADWORDS

Saiba tudo sobre o Google Adwords
O Google Adwords é um sistema do próprio Google onde todos os empreendedores que pretendem anunciar suas empresas e produtos, inserem a publicidade nos resultados do mecanismo de busca e também em sites de parceiros do Google através do Adsense.

Realizar anúncios no Google é uma das maneiras mais eficientes de se obter resultados em curto prazo e de descobrir o que é ou não relevante para a sua audiência.

Geralmente, toda vez que alguém faz uma pesquisa no Google, dois tipos de resultados aparecem: os resultados orgânicos e os resultados pagos, o qual também é conhecido como links patrocinados.

Sendo assim, saiba algumas vantagens do Google AdWords:

  • Segmentação: seus anúncios aparecem para as pessoas certas e no momento certo. Assim, só verão seus anúncios, pessoas que estiverem procurando por algo parecido com ele;
  • Mensuração: você consegue medir o impacto real da sua campanha, podendo editar seus anúncios ao longo do tempo;
  • Disponibilidade: o que permite você rodar novos anúncios em poucos minutos, ou seja, é simples e rápido;
  • Controle da mensagem: você escolhe como quer falar com seu público, pois é você quem redige o texto do anúncio que vai aparecer no Google.

Portanto, com todos esses pontos citados acima, você consegue ter um bom controle sobre quais mensagens e em quais momentos divulgar seus produtos ou serviços. Além disso, é muito importante acompanhar as métricas diariamente, identificar o que funciona e o que não funciona para otimizar suas campanhas.

O que é rede de pesquisa?
Quando você acessa a página principal do Google e busca alguma informação, todos os resultados que aparecem estão localizados na rede de pesquisa.

O seu anúncio só será mostrado quando o usuário estiver procurando pelo exato assunto de seu anúncio, e isso pode intensificar muito a qualidade de seus resultados.

Com isso, aprenda abaixo como criar uma campanha na rede de pesquisa do Adwords:

Passo a passo de como anunciar no Google Adwords

Saber todo o passo a passo de como anunciar no Google Adwords, ajudará as pessoas que pesquisam pelo que você oferece encontrar o seu produto ou serviço.

O primeiro passo para iniciar suas atividades no Google Adwords é ter uma conta, pois ela irá permitir que você tenha acesso a todos os recursos necessários para anunciar. Assim, caso ainda não seja cadastrado, é bem simples criar a sua conta

Acesse o site: google.com;

Crie uma conta. Você pode usar seu e-mail do Gmail para cadastro;criar
Informe o endereço de seu site

Em seguida – Adicione ou exclua os locais para os quais seu anúncio deve ser exibido.   Aqui vale começar com uma segmentação mais abrangente e restringir/refinar conforme o desempenho da campanha.    Por exemplo, se a sua empresa pode atender toda grande São Paulo, segmente além de São Paulo, o entorno da cidade, considerando por exemplo o ABC.  Isso não significa que se deva ser muito abrangente, como por exemplo, adicionar todo o país.   Com o desenrolar da campanha, você poderá identificar quais regiões estão trazendo mais vendas.  Neste caso, por exemplo, pode ser que a própria capital tenha um desempenho inferior ao das cidades próximas.
Selecione o segmento de atuação passo3Etapa 1 – Configurando sua campanha
Esse é o momento inicial, onde você precisará escolher um nome para a sua campanha. Por isso, procure sempre optar por um nome simples que, posteriormente, seja de fácil identificação.

Logo ao lado do nome, você verá algumas opções para escolher o tipo de campanha, sendo assim, opte pela campanha padrão, já que é sua primeira tentativa e você ainda não tem muita familiaridade com a plataforma.

Após concluir essa etapa, role a página para baixo e vá na opção “Locais”. Normalmente, o preenchimento dessa parte é muito importante e terá interferência direta em seus resultados, pois o seu preenchimento é o responsável pela segmentação geográfica de seu anúncio, ou seja, as regiões em que ele será exibido.

Assim, para realizar fazer essa configuração, vá em:

  • Pesquisas Avançadas;
  • Menu: Locais;
  • Selecione o Estado, cidade e bairro que deseja veicular sua campanha;
  • Aparecendo o nome da campanha, clique na opção adicionar.

Mas, se você não fizer essa definição de localidade, deixando na configuração padrão, é bem possível que seu anúncio seja exibido para o Brasil todo, e isso poderá fazer você perder dinheiro.

Assim, abaixo da configuração de locais, defina o idioma da campanha, e sempre opte pela escolha do inglês e do Português. Feito isso, o próximo passo das configurações é a estratégia de lances, o qual é um dos itens que merece muita atenção.

Por isso, a melhor opção, inicialmente, é deixar no padrão “normal”, sem mexer ou alterar nada. Entretanto, ainda será preciso escolher um valor de lance que deseja pagar pelo clique.
Custo por clique
O custo por clique é uma das opções mais vantajosas para quem está começando a utilizar o Google Adwords, pois você só pagará quando um usuário, realmente, clicar em seu anúncio, evitando assim gastos desnecessários (Isso valor para a Rede de Display, mas conceitualmente é importante saber como você será cobrado na rede de pesquisa).
Sendo assim, será indispensável que você estabeleça um valor de lance médio maior que seus concorrentes, pois isso fará com que você aumente suas chances de aparecer nas primeiras posições.
Além disso, é importante que você entenda que o preço não define sua posição, mas é um fator bem importante para tal. Com isso, agora que você já estabeleceu o lance, chegou o momento de definir seu orçamento de campanha, que é o último item na etapa de configuração.
Nesse momento, você deve escolher qual o valor diário que você quer investir, analisar o seu mercado, seus concorrentes e o comportamento de seu público. Assim, ao realizar isso, salve as alterações e selecione “continuar”.
Etapa 2 – Grupo de anúncios
Ao entrar nessa etapa, atribua primeiramente um nome ao seu grupo de anúncio.  Assim, logo abaixo dessa opção, você verá novamente um botão com a palavra “lance”.

O passo seguinte dentro de seu grupo é fazer a escolha das palavras-chave, onde você deverá escolher termos ou palavras que tenham relação direta com seu anúncio.

Assim, para que você tenha uma ajuda, você poderá utilizar o planejador de palavras-chave da própria plataforma, a qual é uma ferramenta que te dará informações ricas sobre elas.

Com isso, ao visualizar as melhores palavras, clique em “adicionar ao grupo”. E escolhendo todos os termos, clique em “continuar para anúncios”, no fim da página.

Etapa 3 – Criando seu anúncio
Com todas as configurações feitas no seu grupo de anúncio, é o momento de iniciar a criação da sua primeira campanha:

  • Para iniciar, vá até a opção “URL final” e coloque a página de destino ou site que você queira anunciar.
  • No título 1, coloque um título chamativo e que capte seu público;
  • O título 2 deve ser menor que o 1, porém com uma frase de bastante impacto;
  • Abaixo verá a opção caminho, escolha um termo que deixe claro sobre o que é seu anúncio;Procure colocar seus diferenciais competitivos, sua proposta de valor.  Não copie o anúncio de seu concorrente.   O mais importante a considerar é que a relevância entre sua seleção de palavras-chaves, sua oferta e o conteúdo do seu site estejam muito bem alinhados.   Pense no seu cliente e trabalhe para que ele tenha a sensação de “Era exatamente isso o que eu estava procurando”, quando digitar uma palavra no Google, ver seu anúncio e entrar em seu site.
    passo4

    Etapa 4 – Verificando o anúncio

    Nessa última etapa, a sua missão será apenas conferir se todas as informações estão corretas, onde se você encontrar algo errado é importante voltar e corrigi-lo. Mas, caso estiver tudo certo, basta salvar e concluir. Agora é enviar para análise e aguardar que ela seja aprovada.Dicas para a produção de anúncio
  • Uma das melhores formas de obter sucesso com o seu anúncio é dizer de alguma forma para quem está pesquisando que o seu anúncio é feito para ele.
  • Incluir preços e formas de pagamento também funcionam como um filtro e influenciam positivamente na taxa de conversão do anúncio. Assim, ao visualizar um anúncio sem informações de preço, é necessário acessar o site e avaliar essa informação, gerando um clique e consequentemente uma cobrança.

Agora se o preço já estiver presente no anúncio, a etapa de pesquisa de preços já está superada na busca, tornando o possível visitante muito mais qualificado e propenso a converter.

– Defina o um orçamento diário.
orcamnto


Escolha as palavras-chaves:

O Google trabalha com diferentes tipos de correspondência de palavras-chave.

Correspondência ampla
A correspondência ampla é o tipo de correspondência padrão atribuído para todas as suas palavras-chave. Os anúncios podem ser exibidos em pesquisas que incluem erros ortográficos, sinônimos, pesquisas relacionadas e outras variações relevantes.

Modificador de correspondência ampla
Os anúncios podem ser exibidos em pesquisas que contêm o termo modificado (ou variações aproximadas, mas não sinônimos), em qualquer ordem.

Correspondência de frase
Os anúncios podem ser exibidos em pesquisas que são uma frase e variações aproximadas dessa frase.

Correspondência exata
Os anúncios podem ser exibidos em pesquisas que são um termo exato e variações aproximadas desse termo exato.

Correspondência negativa
Os anúncios podem ser exibidos em pesquisas sem o termo.

Uma boa ferramenta para ter novas ideias de palavras-chaves é o planejador de palavras-chaves, acessível através do link: https://adwords.google.com.br/KeywordPlanner

Outra dica importante é verificar a tendência de buscas das palavras-chaves que você pretende trabalhar em sua campanha.   Para isso acesse o https://trends.google.com.br/trends/

Pronto! Seu anuncio está criado, mas com recursos bastante limitados.

– Para que você possa ter um maior controle sobre as configurações de sua conta e também ter a possibilidade de controlar melhor o grupo de palavras-chaves de sua campanha, mude sua conta de modo “express para o modo avançado”.
modo
Por hoje é só!  No próximo artigo falaremos sobre as configurações mais importantes para as contas avançadas do Google Adwords.  Dúvidas ?   Escreva para nós através do e-mail contecom@rotamaxima.com.br. Até a próxima !

Assista ao nosso curso sobre Google Adwords.

LEIA MAIS

Google Adwords passa a exibir o histórico do Índice de Qualidade

26 de maio de 2017

Sobre o Índice de qualidade

O Índice de qualidade é o item mais importante a ser observado em uma campanha quando se deseja obter um bom desempenho com baixo custo. O IQ funciona com uma pontuação de 1 a 10 – disponível em detalhes na aba Palavra-chave, na coluna Status – para entender qual tem sido o desempenho da palavra-chave e de toda a campanha.

Essas notas são calculadas com diversos fatores, o Google só divulga três, talvez os mais relevantes para o profissional. Há informações na internet especulando de que são em torno de 16 fatores, mas não se sabe ao certo.

Os três parâmetros disponíveis são: Taxas de cliques esperada, Relevância do anúncio e Experiência da página de destino. As avaliações dadas para cada item são: Acima da média. Médio e Abaixo da média. Então é necessário manter cada um dos parâmetros com ótimas avaliações para se obter uma excelente nota. De modo geral é importante que o anúncio se mantenha atrativo e gere bom volume de cliques (bom CTR), que a palavra-chave esteja conectada com o anúncio de forma relevante, além de ter uma página de destino que possua relevância para o anúncio e palavra-chave.

Sobre o Histórico do Índice de qualidade

Para obter ideais de como potencializar as campanhas e entender os resultados de otimizações, é possível verificar o Histórico do Índice de qualidade e dos três fatores que indicam se o IQ atual melhorou ou piorou.

Os passos para adicionar as abas do histórico do Índice de qualidade são:

Na aba Palavra-chave selecione Colunas > Modificar colunas > Índice de Qualidade
IQ2 IQ1

No exemplo abaixo serão analisados dois dados, o primeiro na cor laranja, nota-se que o CTR (Taxa de cliques esperada) no histórico está com a classificação média, mas na classificação atual está abaixo da média. Então, conclui-se que o desempenho caiu. Já no segundo exemplo, na cor azul, é possível identificar as notas do Índice de qualidade, onde no histórico apresenta a pontuação 7/10 e na atual consta 5/10.
IQ2

É possível entender que a qualidade caiu e provavelmente os custos gerados para essa campanha serão maiores e a posição média menor. Então é preciso otimizar!

Dica:

Mantenha sempre seu Índice de Qualidade com uma nota alta, a ideia é que esteja sempre entre 7/10 e 10/10, assim será possível reduzir os custos e aumentar a posição, pois o Google entende que a relevância é extremamente importante para uma boa experiência do usuário. Evite colocar palavras-chave muito diferentes no mesmo grupo, pois é possível que o Índice de qualidade caia por falta de relevância no anúncio.

Envie o usuário para uma página onde ele possa encontrar o que procurou. Enviar para a home ou a página de contato pode reduzir o Índice de qualidade. Entenda sempre que quando alguém vai ao mercado no setor de laticínios, seria frustrante encontrar legumes e verduras ao invés de iogurte, é muito provável que essa pessoa deixe o setor rapidamente em busca daquilo que ela precisa talvez no concorrente que está ao lado.

LEIA MAIS

Quais são os desafios para o marketing digital em 2017?

24 de maio de 2017

Diversas transformações têm acontecido no ambiente do marketing digital. De custo por clique estamos rapidamente vivenciando a transição para o custo por Lead. De site institucional generalista para landing page de captura objetiva, com foco no persona e diferentes táticas de persuasão, gatilhos de motivação entre outras já conhecidas e quase saturadas técnicas. De anúncio em mídias sociais para lead generation. De “outbound” para marketing de conteúdo. Mas em meio a tantas inovações, conceitos e ferramentas, algumas “realidades” continuam valendo: equilibrar a comunicação e o verdadeiro engajamento com os clientes, a reputação da marca e entregar produto ou serviço que agrega, de fato, valor, permanece sendo um dos principais desafios das empresas, para além do marketing e da venda.

Da perspectiva de quem trabalha com marketing digital, o departamento de vendas nem sempre está fazendo o seu trabalho como deveria. Do ponto de vista da equipe de vendas, a qualidade dos leads não é adequada. Mas antes de pensarmos no Lead, a oferta a qual se propõe propagar é clara? Antes disso, há de fato uma oferta a ser divulgada ou apenas um site bonito repleto de “autoafirmações” ?

Temos acompanhando diversos casos de clientes de PPC (inclusive médias e grandes empresas) desperdiçando dinheiro por não terem página de destino conectada com “o termo e o anúncio divulgado”. Em outras palavras, sem sintonia com o que o cliente procura. Sem oferta clara. Sem uma promessa básica.
Páginas de destino visualmente bem elaboradas ressaltando apenas as “incríveis” qualidades do produto ou serviço muitas vezes apenas sintetizam na cabeça do visitante as palavras “caro” e “inacessível” – entretanto, não necessariamente é – e não necessariamente é essa a intensão.

Você enquanto consumidor não tem interesse em saber qual é a promessa básica de um produto ou serviço? Agora, quantos sites possuem essa informação de forma rápida e clara? Páginas de captura de lead por PCC precisam ser rápidas (e precisam estimular o KIKO que existe em cada um de nós. O KIKO eu ganho com isso?), pois o visitante está com a sua página e mais outras 4 abertas no navegador e em um piscar de olhos o mouse já está no botão de fechar.

Com isso podemos afirmar que gerar tráfego qualificado não é apenas uma questão de gerar tráfego qualificado. O tráfego pode ser o mais qualificado possível, mas se ao entrar na página de destino o visitante não encontrar de forma rápida e objetiva o que busca….. lá se vão mais alguns reais para o ralo.

Em paralelo ao tradicional PPC, o marketing de conteúdo, a automação de marketing, nutrição de leads e a geração orgânica de tráfego tem sido bons aliados no engajamento com os consumidores. Embora estejamos vivenciando certa saturação de conteúdos sobre tópicos similares, tudo indica que o marketing de conteúdo só tende a crescer nos próximos anos. A razão é simples. Funciona.

Marketing de conteúdo aproxima e engaja quando bem elaborado. Por outro lado, pense naquele anúncio com letras garrafais prometendo emagrecimento rápido e sem esforço, te perseguindo por toda a internet. Pronto. O marketing de conteúdo é exatamente o oposto disso. Primeiro porque em tese não te persegue, parte do pressuposto que é você quem está interessado em um determinado conteúdo. Ao invés de perseguir atrai. Segundo porque teoricamente se propõe a entregar informações percebidas com valor por você.

A inércia disso tudo são consumidores acostumados à primeiro receber valor, depois pagar por ele. A julgar pelo extenso volume de opções de tudo quanto é tipo de serviço ou produto, isso empurra a efetividade do spam, do cold call (ligações frias de telemarketing), dos banners de emagrecimento rápido cada vez mais para baixo. Mais oferta = menor percepção de escassez = maior dificuldade para receber um retorno do lead em um processo de venda.
No meio desse bolo, a automação de marketing é apenas uma automação de marketing, não um milagre. Alias, se sua empresa trabalha com um produto com alto valor agregado, com ótima margem e se dá ao luxo de atender de forma mais pessoal e personalizada à maioria dos interessados, por que não fazer? Se alguém está pronto e já qualificado para comprar uma Ferrari em qual fluxo de automação de marketing a gente coloca esse Lead?

Embora pesquisas como a que descreveremos a seguir indiquem que os consumidores não apenas preferem como já esperam que parte do processo de compra seja automatizado é preciso questionar o que encaixa ou não para cada negócio. Quanto de esforço e dinheiro é viável para sua equipe investir em cada prospecção?

Empresas de vendas de serviços de consultoria, por exemplo, tendem a se beneficiar mais com a utilização de técnicas de inbound do que um e-commerce de produtos de marca estabelecida com ticket médio de R$ 200,00. Serviços complexos precisam informar (nutrir) o lead sobre as especificidades do que se pretende oferecer, enquanto trabalham o engajamento e a elevação da percepção da reputação, diferentemente da venda de um produto “comoditizado”, já conhecido e estabelecido, mais pautado pela competição de preços e escala.

Feitas as considerações iniciais, descrevermos abaixo a pesquisa que têm nos ajudado a pautar nossas percepções sobre as tendências do marketing digital para os próximos meses. “Estado do Inbound 2017”, publicado pela Hubspot. Número de entrevistados globais: 6399 profissionais em 141 países. América latina 2273 em 50 países.

O que é mais difícil fazer em vendas em comparação com 2 a 3 anos atrás?
Fechar negócios – 42%
Receber uma resposta do prospect – 35%
Identificar/prospectar bons leads – 33%
Envolver vários tomadores de decisão em uma empresa no processo de compra – 28%
Evitar descontos/negociação – 23%
Incorporar mídias sociais no processo de vendas – 22%
Usar as tecnologias de vendas no dia a dia do trabalho – 19%
Realizar uma apresentação – 17%
Fazer pesquisa antes da chamada/e-mail inicial – 16%
Conectar via telefone – 15%
Conectar via e-mail – 14%
Manter alguém no telefone – 9 %
Obter referências – 8 %

Qual tem sido o canal de maior sucesso para seus representantes de vendas se conectarem com um prospect ?
Telefone – 32%
E-mail – 22%
Facebook – 21%
Outros – 16%
Linkedin – 5%
Outras redes sociais – 4%

Em sua opinião, com que parte do processo de vendas os representantes têm mais dificuldade?
Identificação do lead – 21%
Prospecção – 38%
Qualificação – 13%
Fechamento – 28%

A maioria dos profissionais de marketing hoje está empenhada em converter leads em clientes, ampliar o tráfego para seu site e expandir vendas para clientes existentes.
Reduzir o custo da aquisição de contatos/leads/clientes – 23%
Capacitação de vendas – 25%

Quais são as principais prioridades de marketing da sua empresa nos próximos 12 meses?
Comprovar o ROI das atividades de marketing – 33%
Aumentar o tráfego para o site – 49%
Aumentar a receita derivada dos clientes existentes – 49%
Converter contatos/leads em clientes – 72%

Pensando especificamente sobre projetos de inbound marketing, quais são as principais prioridades da sua empresa ?
Aumento da presença orgânica/SEO – 56%
Criação de conteúdo de blog – 48%
Criação de conteúdo interativo – 45%
Criação de conteúdo visual – 42%
Automação de marketing – 40%
Distribuição/ampliação de conteúdo – 38%
Ferramentas on-line – 37%
Vídeos de instruções de produtos – 27%
Criação de conteúdo visual/artigos longos – 24%
Webinars – 16%
Avaliações freemium – 7%
Não sei – 3%

Em sua opinião, qual é a tática de marketing mais superestimada?
Publicidade paga (impressa, outdoor, transmissão) – 25%
Mídia social orgânica – 17%
Email marketing – 16%
Publicidade on-line paga (anúncios de mídia social, PPC) – 13%
SEO – 7%
Automação de marketing – 5%
Blog – 4%
Relações públicas/analista de relações empresariais – 4%
Capacitação de vendas – 3%
Desenvolvimento de material promocional – 3%

Quais são as principais prioridade de vendas da sua empresa para o próximo ano?
Fechar mais negócios – 76%
Melhorar a eficiência do funil de vendas – 36%
Realizar a venda social – 33%
Treinar a equipe de vendas – 24%
Melhorar as tecnologia de venda existentes – 23%
Investir em um CRM – 15%
Investir em capacitação de vendas – 15%

Os entrevistados também escreveram que estão preocupados em “criar parcerias mais fortes” e criar “autoridade no assunto para começar a conversa”.

Quais são os principais desafios de marketing da sua empresa ?
Gerar tráfego e leads – 66%
Comprovar o ROI de nossas atividades de marketing – 37%
Identificar as tecnologias certas para nossas necessidades – 32%
Como você prefere se comunicar para fins comerciais?
E-mail – 80%
Presencialmente – 56%
Telefone – 52%
Mídias sociais – 46%
Apps de mensagens – 45%
Vídeo conferencia – 39%

LEIA MAIS

Como descobrir as melhores palavras-chave para o Google AdWords

19 de maio de 2017

Os anúncios da Rede de Pesquisa são acionados sempre que alguém pesquisa um termo sobre o produto ou serviço que você oferece. Este termo precisa conter palavras que foram compradas e adicionadas nos grupos de anúncios da campanha. E como saber quais as melhores palavras a serem adicionadas?

Existem algumas formas de você encontrar as palavras-chave de grande potencial e também o tráfego estimado para elas.

Use o Planejador de Palavras-chave do AdWords – Website
Localizado no painel da conta em Ferramentas.

Eu gosto muito de usar a opção “Procurar novas palavras-chave usando uma frase, um website ou uma categoria”. Particularmente, procurar por um website é o que mais me atrai, pois basta adicioná-lo que o Google AdWords seleciona as palavras que mais tem a relação com o seu negócio. Claro que muitas palavras não terão muito sentido e você poderá excluí-las da sua lista.

Use o Planejador de Palavras-chave do AdWords – Frase
Na mesma tela da dica anterior, você poderá usar também um termo-chave do seu negócio para encontrar novas palavras. Este recurso costuma ser bem eficaz. Você pode combinar este recurso com o anterior e ser mais assertivo nos resultados da lista.

Brainstorming
A chuva de ideias é uma das formas mais eficazes de encontrar palavras de qualidade.

Quem melhor define os termos-chave do produto ou serviço que você oferece é você mesmo!

Faça um Brainstorming com as palavras que você acha que seu cliente pesquisaria e depois de reuni-las, vá para o “Planejador de palavras-chave” e na opção “Exibir tendências e dados de volume de pesquisas”, veja o quanto essas palavras são pesquisadas mensalmente conforme sua segmentação geográfica.

Termos de Pesquisa
O último, mas o mais importante. Disponível na aba “Palavras-chave”, opção “Termos de pesquisa”.

Se você procura palavras que atinjam o target em cheio, essa é a ferramenta ideal para usar todas as semanas ou até mesmo todos os dias.

O que mais a destaca das outras é a possibilidade de ver os termos pesquisados pelos usuários que ativaram seus anúncios. É possível fazer ainda uma análise se os termos têm relação com o produto ou serviço, e se não tiverem, basta adicioná-los como palavras-chave negativas. É possível ainda analisar termos que tem relação e se geraram conversão, se não geraram a oportunidade de gerar e adicioná-los a listas de palavras-chave do grupo de anúncios. Essa funcionalidade dá noção sobre comportamentos de pesquisa que podem gerar insights para novas estratégias.

Lembrando que ela só está disponível para quem já possui campanhas funcionando e com determinada quantidade de impressões.

Bônus: Escolha a correspondência ideal para a sua palavra-chave.

Correspondência Ampla – Como o nome já diz, palavras amplas possuem um nível de segmentação mais aberto. Por exemplo: plano de dieta com pouco carboidrato pode aparecer para quem pesquisar por alimentos livres de carboidratos, dietas com baixo consumo de carboidratos e receitas de baixas calorias.

Correspondência Ampla Modificada – Diferente da ampla, este tipo de correspondência permite apenas acionar os anúncios se no termo de pesquisa conter as palavras compradas. Esta configuração é famosa por possui um sinal de mais (+) na frente de cada palavra. Por exemplo: +plano +dieta +pouco +carboidrato pode aparecer para quem pesquisar por planos de dietas com poucos carboidratos, plano de dieta de seis meses com pouco carboidrato.

Correspondência de Frase – Este tipo de segmentação é mais fechado e é conhecido por conter aspas (“”) entre as palavras-chave, garantindo que a pesquisa mantenha a ordem especificada, seja no começo da frase ou no final. Por exemplo: “plano de saúde” pode aparecer para quem pesquisar por plano de saúde empresarial e adquirir plano de saúde.

Correspondência Exata – Como o nome já diz, a pesquisa deve ser exatamente igual à forma proposta. Ela é conhecida por conter colchetes nas palavras ([ ]). Por exemplo: [plano de saúde] pode aparecer para quem pesquisar por plano de saúde.

É importante destacar que as correspondências “Ampla Modificada”, “Frase” e “Exata”, permitem pequenas variações de plural e acento, mas seus relatórios vão dizer melhor se é preciso adicionar as variações em sua lista de palavras.

gr

Dica: Tenha o costume de usar pouca a Correspondência Ampla, dando prioridade para a Ampla Modificada, Frase e Exata para garantir um tráfego mais limpo e que vai consumir o orçamento de forma saudável. Aproveite para adicionar o mesmo termo com as três correspondências diferentes. Quem possui um orçamento diário menor, estar mais próximo daquilo que o cliente pesquisa vai ajudar a poupar tempo e dinheiro.

LEIA MAIS

3 erros mais comuns ao anunciar no Google Adwords

18 de abril de 2017

Tempo de leitura: 6 minutos.

O AdWords é uma das ferramentas mais conceituadas da publicidade online e sem dúvida, a plataforma que mais tem gerado conversões. O buscador mais famoso do mundo oferece aos anunciantes uma plataforma que mostra o produto ou serviço que você oferece no exato momento em que o cliente precisa dele.

O Google é a marca mais influente para os brasileiros segundo a “The Most Influential Brands”, da Ipsos, estando à frente do Facebook, Microsoft e da Netflix. Não é a toa que todos amam os produtos do Google, não é mesmo?

Mas é necessário destacar que nem tudo é perfeito, talvez não para a sua empresa. Existem três motivos que vão te convencer que você pode estar errado ou até mesmo muito certo em anunciar no Google AdWords.

Erro número 1 – Anunciar no AdWords

Isso não se trata de uma ironia.

Mas talvez seja neste ponto em que pequenas empresas cometem erros na hora de investir sua verba em publicidade no AdWords. Não é porque a marca Google é a mais querida, que necessariamente oferece a ferramenta ideal para alavancar as suas vendas – talvez não ainda. Já me deparei com situações em que empresas investiam todos os meses em links patrocinados, mas pouca gente buscava o que ela oferecia e o resultado disso é: frustração.

É importante para empresas e profissionais de marketing digital se certificar que os resultados serão garantidos e se não forem, encontre outra ferramenta ou forma que possa auxiliar na conquista dos objetivos de marketing.

Além disso é preciso analisar o tipo de produto que uma empresa está anunciando, por exemplo, se ela pretende anunciar uma caneta BIC que custa 1 real, com ticket médio de 5 reais, ao custo de aquisição de 5 reais (por venda), a margem torna inviável.   Google Adwords não faz milagres e sim, não necessariamente vai ser viável para todos os tipos de negócio.

Erro número 2 – Não anunciar no AdWords

Isso também não se trata de uma ironia.

Quase todos estão conectados à internet full time. Lembro-me que na sala de aula da faculdade minha professora de Comunicação 360 falava coisas que às vezes não entendia ou contava fatos que não conhecia, mas no final, o que eu fazia? ‘Dava um Google’.

O AdWords é completo e oferece ótimos produtos que se encaixam na estratégia de muitas empresas, não de todas, mas de muitas. A “Rede de Pesquisa” é excelente para estar mais perto do cliente no famoso micro-momento (vincular link ao texto: https://www.thinkwithgoogle.com/collections/micromoments.html). O “Google Shopping” pode ajudar as vendas do seu e-commerce crescer, sem ao menos a sua marca ser relevante no mercado. A “Rede de Display” é ótima para quem quer promover a marca, ou até mesmo captar clientes através de anúncios gráficos que rodam por quase toda a web. Temos outras ferramentas e possibilidades, e sim, sua empresa o poder de uma Ferrari ao custo de um Fusca com o poder de segmentação do Google AdWords – que frase linda!

É importante que as empresas se atentem ao contratar um profissional de marketing, ele deve ser qualificado para converter o budget em receita.  Além disso é preciso colocar na calculadora se não é hora de delegar a gestão da conta para uma agência especializada.

Erro número 3 – 404

O erro 404 é um código de resposta HTTP que indica que o cliente pôde comunicar com o servidor, mas ou o servidor não pôde encontrar o que foi pedido, ou foi configurado para não cumprir o pedido e não revelar a razão, ou a página não existe mais. Fonte: Wikipédia.

Suas campanhas podem ser perfeitas, mas se seu site não atende a exigência básica do cliente, isso pode por tudo por água abaixo.

O ‘Erro 404’ não está relacionado com o ponto que vou levantar aqui, mas seu significado revela o problema de muitos sites de anunciantes do Google AdWords.

Da forma mais sucinta possível: Mostre para o cliente exatamente aquilo que está escrito no anúncio.

Se você está anunciando um produto ou serviço, direcione-o para a página deste produto ou serviço. Tentar ser abrangente com a melhor intenção de o cliente conhecer a empresa num todo, pode prejudicar na efetivação de uma venda ou solicitação de orçamento.

Não tomar esse cuidado pode fazer com que suas campanhas tenham um péssimo Índice de Qualidade e seu site, uma alta taxa de rejeição. Não se esqueça de ter um conteúdo relevante para o consumidor, preze pelas características de sua empresa. Um site otimizado para dispositivos móveis é também essencial nesta era.

O que foi levantado aqui pode ser aplicado em toda esfera da publicidade online e offline. Acima de tudo, ser objetivo e estratégico, com muita criatividade e inovação, é possível ter resultados surpreendentes.

Thauan Goes

LEIA MAIS