1797780_x240Recentemente li em um artigo de jornal, uma matéria interessante mostrando o caso de uma empreendedora, que após um planejamento detalhado do mercado e contando com uma bagagem de conhecimento adquirida através de seu doutorado resolveu abrir seu primeiro negócio, em um shopping.

Todas as etapas de seleção do ponto, do produto, pessoal, captação de recursos, promoção, seleção dos fornecedores foram seguidas conforme manda o manual de qualquer livro de administração.

Apesar de todo seu esforço e planejamento o conhecimento acadêmico não foi suficiente para fazer o negócio dar certo.

É importante considerarmos não somente o conhecimento técnico na hora de empreender. Diversas novas empresas nascem na internet, criadas por ex-funcionários da iniciativa privada, ex-acadêmicos.   Algumas diferenças fundamentais precisam ser consideradas. Na maioria dos casos funcionários da inciativa privada fazem parte de apenas um pequeno processo da produção. Estão mais distante da visão do todo e muitas vezes mais distante da estratégia de empresa.   Estão mais habituados há uma única área de especialização.   Lidam com grandes volumes de dados repetitivos.   Compram de grandes fornecedores com poder de barganha completamente diferente de um pequeno negócio.   Funcionários recebem o salário todo mês, faça chuva faça sol e enquanto acadêmicos se dedicam a estudar as regras que são seguidas pelos funcionários das empresas, empreendedores se dedicam a quebrá-las.

O planejamento é importante, mas não o mais importante.   O mais importante é você fazer aquilo que gosta.   Quantas vezes você já ouviu essa frase?

Vou explicar-lhe a minha interpretação para a frase acima.   Imagine que no mundo não existisse o dinheiro.   O que você estaria fazendo?   Qual é o assunto que mais lhe desperta interesse ?   Não aquele que os outros querem que você siga, mas sim o seu próprio.   Qual é o seu principal talento ?   Não aquele que os outros dizem que você tem, mas aquele que o faz ficar horas entretido, sem se dar conta do tempo.

Após responder as questões acima você terá uma boa pista do tipo de atividade pelo qual tem paixão.     A paixão é fundamental por que, por mais estudo, planejamento, precaução, patrocínio, boa sorte que você possa ter, em algum momento a conta não vai fechar.   Se o mais importante para você é o dinheiro, quando a conta não fechar você vai desistir, engrossando as estatísticas do Sebrae.   Ou então, fará um produto que passa longe daquilo que você quer entregar como valor, só por que dá mais lucro.   E para cada novo produto que é vendido sem entregar valor genuíno de seu criador, uma nova linha no reclame aqui nasce.

Talvez até mesmos as pessoas que afirmem que o dinheiro é o mais importante, estejam na verdade querendo dizer que o poder é o que elas mais desejam, ou a significância ou qualquer outra coisa. De qualquer forma o dinheiro por si só tem valor neutro.

Pense naquilo que você gosta, mas não coloque um ponto final na questão.       Você precisará de pessoas que queiram comprar o que você produz, certo?   Aqui temos então outro pilar fundamental de qualquer negócio, a demanda.   Mas essa dualidade é difícil de resolver.   De um lado o empreendedor quer produzir algo único, do outro, clientes possuem seus próprios desejos e interesses.    Some a essa equação o fato de haver inúmeros gurus repetindo mantras como “você deve fazer pesquisas de mercado”, andar conforme os gostos dos consumidores e apenas isso.   Acredito que o grande desafio empreendedor é dosar habilmente o equilíbrio entre essas duas forças – o próprio interesse e o dos clientes. Você crescerá sempre que sair da zona de conforto, mas só manterá a motivação dentro da zona de satisfação.

O domínio sobre uma técnica de qualquer natureza é importante nos primeiros estágios de um empreendimento, porém, apesar de tonar o empreendedor um pouco melhor do que a média em um determinado aspecto, não o destacará.   As técnicas são úteis apenas a ponto de tornar facilmente transferível o segredo dos melhores , mas não destaca automaticamente quem aprende.   A vantagem competitiva só pode ser obtida quando os talentos individuais do empreendedor são combinados com um direcionamento produtivo específico.   Nessa análise aspectos comportamentais devem ser levados em conta.   Faça um exercício de auto análise. Quais sãos os padrões recorrentes de pensamento que você possui ?   Por exemplo: Você prefere ser uma pessoa popular ou estreitar laços de amizade com um pequeno grupo ?   Você gosta de fazer listas de coisas a serem completadas no dia ou prefere lidar com imprevistos a medida em que eles acontecem ?     Não existe certo ou errado nessa análise, apenas o perfil de cada um.     É melhor focar em seus pontos fortes, aqueles que estão diretamente ligados a sua personalidade, do que gastar energia “consertando seus pontos fracos”.   Ninguém será capaz de ser bom em tudo.

Considere esses pontos antes de iniciar um negócio, certamente aumentarão seu grau de satisfação, ajudará a diminuir as dúvidas e inseguranças a medida em que você avança.

Defina seu fundo do poço e seu parâmetro de sucesso.   Apesar de todo o apelo da publicidade moderna em nos vender um estilo de vida único de sucesso. Cada um de nós tem uma ideia do que nos faz feliz. No final das contas é esse estado que estamos a cada dia buscando.

Ouço algumas pessoas dizendo: Não estabeleço metas por que tenho medo de me frustrar.   Sabemos que quem estabelece metas tem 6 vezes mais chances de alcançar o que deseja.   Veja, estabelecimento de metas não é o mesmo que “alcançamento” de metas.     Ninguém é obrigado a ter compromisso com o erro.     Se iniciou um curso e não gostou, onde está escrito que você precisa continuar ?   De todo o modo criar uma visão de futuro o manterá motivado a continuar em sua caminhada.   Lembre-se de que a meta é sua e de mais ninguém.   Não pertence aos seus clientes, aos seus parentes…

Fracassos podem ocorrer no caminho.   Portanto defina antes de iniciar a jornada, qual é o seu fundo do poço.   Qual é a situação limite que você está disposto a suportar ?   Perder o apartamento ? O carro ?   Ficar endividado ? De qual tamanho pode ser a dívida ?   Se você tiver em sua mente claro até onde é o seu limite mínimo, você verá que tem muito mais força acumulada do que imagina.   Pequenos obstáculos serão transpostos com muito mais facilidade.

Surfe!   Imagine um dia lindo de sol e um grupo de surfistas em um límpido mar azul. Uma onda vem e ninguém consegue pegá-la.   Uma segunda vem e nada….   até que na terceira apenas um surfista consegue pegá-la. O que os outros surfistas estão pensando agora ?   Vamos desistir por que apenas um pegou a onda ?   Não !   Vamos esperar a próxima.   O próprio surfista que conseguiu pegar a onda, usufruiu de todo o seu “ciclo de vida” e agora o que ele mais quer fazer ? Ir para a casa ?   Não ! Ele quer pegar outra onda e sentir de novo a mesma emoção. Empreender tem o mesmo espírito.   Surfar em oportunidades.

Os grande líderes dos últimos 2 séculos não tiveram as melhores coisas, eles na verdade despertaram a auto confiança necessária para irem atrás daquilo que eles acreditavam.