No Brasil, há uma diferença nítida entre os tipos de propaganda e anúncios adotados pelas grandes empresas em relação as pequenas.  Os anúncios televisivos feitos por grandes empresas são muito mais voltados para o branding, campanhas “engraçadas”, “emotivas”, “bonitinhas”, com o objetivo de fixar a marca.  No extremo oposto temos as propagandas que trabalham com gatilhos de motivação e persuasão, que induzem o consumidor a abreviar o ciclo de decisão de compra.   Nos EUA é muito comum propagandas no estilo “Polishop” de ser.  Ligue agora mesmo e você receberá não apenas 1, mas 2 produtos !

No fundo sabemos em ambos os casos que muitas vezes estamos sendo enganados, mas queremos acreditar que o nosso celular ou carro é o melhor.  Seja como for, custos envolvidos na aquisição de espaço na mídia televisiva tende a ser proibitivo para a maioria das pequenas empresas.

Mas se funciona para as grandes empresas anunciar na mídia televisiva, não significa que vale a pena ?   Depende.  Na trajetória de qualquer empresa há diferentes estágios de maturidade, por exemplo, você sabe o que significa o símbolo abaixo?

launch_logo_swoosh(2)

Se você vive no planeta terra certamente saberá que esta é a logo marca da Nike.  Lavagem cerebral ?   Não exatamente.  A Nike investiu rios de dinheiro para tornar seu logotipo – aquele com a palavra Nike escrita – em uma logomarca.

Um grande esforço acumulado de construção de marca, sendo conduzido durante anos, se retroalimenta da soma de forças a cada nova ação e reforça uma determinada percepção em relação ao produto.  Muito legal.  Mas se ninguém conhece a sua empresa, como você pode criar reputação e lembrança ? E, principalmente, como fazer isso sem rios de dinheiro ?

Antes de responder, considere também o fato de que as pessoas estarão dispostas a pagar cada vez mais pelo seu produto a medida que sua reputação aumenta.  A sugestão (não exatamente uma resposta definitiva) é: Trabalhe a lembrança de sua marca em conjunto com ações de resposta direta – são elas que farão seu produto vender no curto e médio prazo.

Seja educacional não promocional
Ninguém está muito motivado a abrir o seu site para descobri o quão maravilhoso você diz ser.  Procure produzir conteúdos que sejam realmente relevantes para seus consumidores.  Pense nas dores que seu potencial consumidor está sentindo e ofereça conteúdo que ajude a solucionar essas dores.  Essa é uma boa forma que aumentar sua reputação e confiabilidade. Através da internet consumidores podem obter a prova social de se um determinado produto possui mesmo as qualidades que diz ter e isso afeta grandes e pequenos.

Resposta direta
Pense nas características de seu consumidor. Não apenas demograficamente, pertencente a classe AB ou C, mas quais são suas motivações, seus gatilhos de engajamento.  Quais são suas dores.   Construa ofertas que ataquem essas dores.   Pense quão mais eficiente seu site será se for direto ao ponto, oferecendo o remédio para a dor que seu consumidor está sentindo, ao invés de apenas dizer que é muito bom no que faz.

Monitore
Com o internet é possível monitorar a quantidade e a qualidade da interação com o seu conteúdo ou oferta. Você pode medir não apenas os visitantes únicos, mas o movimento o mouse que o seu consumidor faz quando está em seu blog, o campo do formulário que o fez desistir de um preenchimento de cadastro e por aí vai.   Use e abuse dos recursos disponíveis para entender com profundidade como agregar cada vez mais valor para seu público-alvo.

Os tempos são outros e hoje a melhor propaganda é a não propaganda.  A Melhor propaganda hoje é disfarçada de conteúdo.  Pense a respeito e decida qual melhor direção seguir.

Até a próxima 😉