SEO

Como reduzir a taxa de rejeição de um site?

Spread the love

Como diminuir a taxa de rejeicao

A taxa de rejeição, de forma simples, é a porcentagem de visitas que o usuário sai de seu site sem visitar nenhuma outra página.

Pretendemos abordar neste artigo uma das métricas mais importantes na otimização da conversão de seu site, a taxa de rejeição. Isso porque quando a taxa de conversão de seu site está baixa o usuário não está completando nenhuma ação ou objetivo que você determinou. Observando a taxa de rejeição do seu site é possível obter insights para otimizar o engajamento dos usuários e por consequência, aumentar a taxa de conversão.

Trabalhar o engajamento do usuário é uma das diretrizes mais valorizadas do Google e dos profissionais de SEO. As visitas únicas farão pessoas conhecerem o seu site já as visitas recorrentes trarão conversões.

Como o Analytics calcula a taxa de rejeição?

O Google Analytics calcula a taxa de rejeição de duas maneiras, taxa de rejeição da página e taxa de rejeição do site.

Taxa de rejeição da página = Total de usuários que saíram da página/Total de usuários que entraram na página

  • Saídas são definidas como o número de visitas de páginas únicas resultado de uma página em que apenas uma solicitação foi feita para o servidor do Analytics.
  • Entradas são definidas como o número de visitantes que entraram em seu site pela página.

Taxa de rejeição do site = Total de usuários que saíram ao longo de todas as páginas do site/Total de usuários que entraram ao longo de todas as páginas do site

Funcionamento do Google Analytics e a taxa de rejeição

Google Analytics

O Google Analytics grava dados desde a entrada e saída da página até as interações sociais que são feitas no site. Toda vez que uma pessoa entra no site, o código do Google Analytics solicita um arquivo que enviará os dados para o servidor do Google contendo as interações com o site, likes e shares, tempo de permanência, etc.

Portanto, todos os dados dos usuários que são obtidos no Analytics pelo site é feito através de um código que envia para o servidor do Google. Esse código chamado de GIF, consegue gravar as seguintes interações nos sites:

  • Dados de visualizações de página (visitas, tempo de permanência, etc)
  • Dados de E-commerce (ID de transação, código do item, etc)
  • Interações Sociais (Likes e shares do Facebook, +1 do Google, Tweets, etc)
  • Detalhes de eventos (Cliques em botões, cliques em links externos, etc)

Além do código do Google Analytics, os códigos de E-commerce, Interações Sociais e Detalhes de Eventos também podem solicitar esse arquivo GIF.

O fato dos códigos solicitarem o arquivo GIF tem uma grande conexão com a taxa de rejeição do site. Isso porque, o Google Analytics conta como uma saída sem interação quando o GIF é solicitado apenas uma vez (GIF de visualização de página) quando o usuário entra no site.

“O fato do GA considerar rejeição como apenas 1 solicitação é muito importante porque, caso haja mais de uma mesma tag do Google Analytics instalada em seu website, haverão 2 solicitações de visualização de página e, portanto, não haverá taxa de rejeição contabilizada.”

Sendo assim, podemos exemplificar alguns casos em não são contabilizados como uma rejeição, como quando o usuário entra em uma página e assiste um vídeo (clique em botão) ou quando o usuário gosta de um artigo em um blog e compartilha com seus amigos (share do Facebook). Isso porque, nessas interações, além da visualização de página, houve mais uma solicitação de GIF.

Como analisar a taxa de rejeição?

Antes de fazer a análise da taxa de rejeição é importante considerar que não há um percentil de taxa de rejeição boa ou ruim. Tudo vai variar de acordo com o tipo de website, setor e propósito, e então, ajustar o conteúdo do seu site de acordo com o indicador da taxa de rejeição.

Os blogs, por exemplo, possuem uma taxa de rejeição maior pois as pessoas costumam ler os artigos seja pelo feed ou pela busca orgânica e sair do site. Entretanto, uma taxa de rejeição muito baixa como 10% pode indicar problemas técnicos do site, como por exemplo, tags duplicadas.

Ao analisar a taxa de rejeição de um site, considere alguns tópicos relevantes como:

Intenção/comportamento do usuário

Procure identificar qual é o comportamento dos visitantes do site, observe os mapas de calor da página e veja o que os visitantes estão procurando no site.

A taxa de rejeição de um site tende a ser alta quando um usuário acessa buscando uma informação e não a encontra.

Outro fator que aumenta a taxa de rejeição é uma experiência de usuário baixa em que o visitante não tem nenhum incentivo para continuar a navegar no site.

Tipo do website

Assim como os blogs tendem a ter uma taxa de rejeição alta, outros tipos de site com uma estrutura similar podem contribuir à uma taxa alta como e, não necessariamente, indica que o site está ruim.

Uma landing page com apenas um formulário de inscrição por exemplo, possui uma taxa de rejeição alta. Em contraposição, um e-commerce tende a uma taxa de rejeição menor.

Tipo e qualidade da Landing Page

O tipo da Landing Page influencia na taxa de rejeição da página, por exemplo, uma página de contato tem uma taxa de rejeição elevada, uma vez que, os usuários estão buscando telefone ou endereço da empresa e quando encontram, saem do site.

A página de eletrodomésticos tem uma taxa menor, já que os usuários estão vasculhando o site a procura de geladeiras, microondas, etc.

Ao mesmo tempo que, uma landing page muito poluída não costumam agradar os olhos dos usuários e por consequência aumentando a taxa de rejeição.

Sites mobile

Com a tendência crescente de usuários de celulares, não é preciso dizer que os celulares em pouco tempo serão a maioria dos usuários online. O Google sabe disso, tanto que otimizações de site mobile passaram a ser um dos fatores de ranqueamento de SEO.

Site Mobile

Portanto, se os dispositivos que acessam o site são celulares e ele não está otimizado para esse público, a taxa de rejeição será maior.

Como diminuir a taxa de rejeição do Google Analytics?

O diagnóstico para reduzir a taxa de rejeição não deve começar com a ideia de saber qual é a taxa de rejeição de seu site. E, sim, estar pautada nos diferentes canais que estão trazendo o tráfego ao seu site.

Diferentes canais trazem taxas de rejeições diferentes, postagens nas redes sociais terão uma taxa de rejeição maior que o tráfego orgânico e pago, por exemplo. Pois, os usuários das redes sociais irão acessar o site pelo link, verificar o conteúdo e voltar para o Facebook, Instagram, etc.

Confira as dicas para diminuir a taxa de rejeição do Google.

Foque nas palavras-chave relevantes em suas campanhas

Seja nas campanhas de tráfego orgânico quanto nas campanhas de PPC como o Google Ads, manter o foco em palavras-chave que são relevantes para o site é a maneira mais simples e efetiva de trazer resultados para as campanhas e para reduzir a taxa de rejeição.

É muito comum encontrar campanhas que estão abordando muitas palavras-chave que trazem tráfego ao site que, porém, não são de qualidade. O resultado disso é um aumento na taxa de rejeição e desperdício de orçamento.

Trabalhe na velocidade do carregamento do site, desktop e mobile

Os visitantes demoram menos de 8 segundos para determinar se gostaram do seu site e ficarão ou vão sair do site. Portanto, o processo de decisão do visitante é muito rápido e caso o site demore para carregar, é muito provável que ele irá sair do site.

O próprio Google possui uma ferramenta para otimização da velocidade do site onde é possível encontrar dicas de como obter a nota máxima da velocidade do site.

Apesar da velocidade de carregamento exercer um papel fundamental na experiência do usuário e diminuindo a taxa de rejeição, o layout do site que traz um conteúdo interativo e atraente também influencia na taxa de rejeição.

Layout

Landing Pages relevantes

O conteúdo que os usuários que estão visitando o site deve buscar responder ao problema que eles possuem. Quanto menor for esse gap entre a intenção de pesquisa e o conteúdo oferecido, mais atraente será esse conteúdo e a chance de engajar o usuário com outros conteúdos do site.

Ajustar a taxa de rejeição do site

Como mencionado anteriormente, o Google Analytics conta como uma rejeição quando apenas um GIF é solicitado. O problema disso é que muitos usuários, principalmente de blogs, consumiram o conteúdo presente na postagem e que porém, não interagiram com nenhum botão, foram para outras páginas, etc.

Isso não deveria ser contabilizado como uma rejeição, pois, o visitante pode ter lido todo texto de uma postagem e saiu do site.

Uma das maneiras de contornar esse problema é instalando um trecho no código do Google Analytics que enviará uma solicitação GIF em um período de tempo, logo, caso o usuário permaneça lendo o artigo por mais de 10 segundos por exemplo, não será contabilizado como uma rejeição.

Para isso basta adicionar o seguinte trecho antes do final </script> do código do Analytics.

setTimeout(“ga(‘send’,’event’, ‘engajamento’,’Tempo na Página Acima de 10 Segundos’)”,10000);

Nesse caso foi configurado o tempo na página de 10 segundos, onde ‘10000’ foi dado 10 segundos em milisegundos. É possível alterar o tempo para 1 minuto, basta alterar o valor de ‘10000’ para ‘60000’.

Logo o código irá ficar da seguinte maneira:

<!– Global site tag (gtag.js) – Google Analytics –>
<script async src=”//www.googletagmanager.com/gtag/js?id=UA-XXXXX”></script>
<script>
window.dataLayer = window.dataLayer || [];
function gtag(){dataLayer.push(arguments);}
gtag(‘js’, new Date());

gtag(‘config’, ‘UA-XXXXX’);
setTimeout(“ga(‘send’,’event’,’engajamento’,’Tempo na Página Acima de 1 minuto’)”,60000)
</script>

Keyword Planner: Descubra palavras-chave com essa ferramenta!

Spread the love

Keyword Planner

Quando a ideia é fazer com que o site ou blog do seu negócio esteja bem posicionado nos resultados de pesquisa dos mecanismos de busca, não se pode esquecer da importância das palavras-chave. Afinal, elas permitem que os internautas visitem o seu endereço na web.

Ou seja, depois que um usuário do Google, por exemplo, digita na barra de pesquisa uma determinada palavra, aparecem os sites e blogs que possuem como foco essa mesma palavra. Então, você deve escolher boas palavras-chave para a sua marca ser acessada além de oferecer um conteúdo que compartilhe com as intenções de pesquisas dos usuários.

Claro que esses termos devem ser coerentes com o seu segmento de mercado, mas de acordo com ele, é possível dar preferência a uma palavra ao invés de outra. Nessa hora, como fazer as escolhas mais assertivas?

Continue lendo este artigo e saiba mais sobre Keyword Planner: descubra palavras-chave com essa ferramenta do Google!

O que é o Keyword Planner?

Na hora de investir em marketing digital, a sua empresa pode usar o marketing de conteúdo para atrair e conquistar o seu público alvo. Ele consiste em criar sites e blogs com conteúdo interessante e relevante para os consumidores em potencial do seu produto ou serviço.

Dessa forma, a marca se aproxima do público, cria autoridade ao oferecer conteúdo informativo de qualidade e ganha a confiança do consumidor. Mas para que os internautas acessem o seu site, primeiro, é preciso que eles o encontrem. E como fazer isso?

É nesse ponto que entra em cena o poder das palavras-chave, sendo que as mais frequentemente usadas pelo seu público nos buscadores devem ser as mesmas que você tem em seu blog ou site. Com isso, são maiores as chances da sua mídia aparecer nos resultados.

Existem outras técnicas de SEO que contribuem com o melhor rankeamento da sua marca na internet, mas as palavras-chave estão entre as principais. Vale lembrar que SEO quer dizer otimização para mecanismos de busca.

Ele consiste em várias orientações estipuladas pelo Google para que o seu endereço virtual seja bem posicionado na busca orgânica.

No entanto, ao pagar para aparecer bem ranqueado, também é preciso utilizar de forma adequada as palavras-chave. Nesse caso, o Google disponibiliza a ferramenta Google Ads, que são os links pagos que aparecem no topo da pesquisa.

E o Google Keyword Planner?

Antes de entender o que é o Google Keyword Planner, é preciso saber o que são as palavras-chave, SEO e Google Ads. Dessa forma, fica bem simples compreender o uso dessa ferramenta. Então, o Keyword Planner consiste em um planejador de palavra-chave. (Você pode acessar a ferramenta nesse link)

Essa, aliás, é a tradução do termo em inglês. E, aqui, planejar se refere a ajudar você a encontrar as palavras-chave mais apropriadas para usar em seu site ou blog, e dá uma estimativa do custo para ficar bem posicionado no Google e, assim, garantir um número maior de visitas.

Essa ferramenta substituiu o antigo Keyword Tool, também disponibilizado pelo Google. A principal diferença, agora, é que o Keyword Planner está integrado ao Google Ads. Com isso, quem faz campanhas com o Google Ads se beneficia pela facilidade de criar novos anúncios.

De qualquer forma, todos os usuários interessados em planejar palavras-chave para as campanhas de marketing digital podem acessar e usar essa ferramenta.

Como funciona o Planejador de palavras-chave do Google?

Como funciona o planejador de palavras-chave

O Planejador de palavras-chave é simples e intuitivo de usar, de forma semelhante ao que acontece com as demais ferramentas do Google. No entanto, se você não pretende iniciar uma nova campanha ou mesmo a primeira no Google Ads é preciso pular alguns passos.

Desse modo, primeiro, você deve acessar o Google Ads com a sua conta ou criar uma nova, lembrando que é possível acessar a ferramenta com o seu Gmail.

Depois, no menu superior da página do Google Ads, é preciso selecionar a área de ferramentas e clicar em Planejador de palavras-chave. Se não tiver cadastro ainda, deve informar os dados pessoais.

Já ao selecionar o tipo de conta, opte pela alternativa “gerenciar contas de outras pessoas”. Isso vai levar você para o dashboard da conta gerenciada, sendo necessário ainda clicar em “adicionar nova conta”, onde você deve inserir um nome.

Nessa hora, não se esqueça de informar corretamente os dados de fuso horário e valores, o que vai contribuir para que, posteriormente, o uso da ferramenta seja mais eficiente. Além disso, pule o tutorial, caso contrário, você vai iniciar uma campanha de Google Ads.

Usando o Google Keyword Planner

Se o seu intuito é o de apenas usar o Planejador de palavras-chave do Google para pesquisar as melhores para o seu negócio, digite na ferramenta a palavra-chave que você pretende destacar no seu blog ou site. Assim, vai saber como é a sua aceitação na internet.

Nesse caso, observe qual é a média de pesquisas mensais relacionadas à palavra-chave digitada. Se você está em dúvida sobre uma ou outra, o planejador pode ajudar você a identificar quais das duas é a mais procurada.

Além disso, ao fazer a pesquisa usando uma palavra-chave, aparecem sugestões de palavras relacionadas, chamadas de secundárias ou de apoio.

Dicas para usar o Google Keyword Planner

O Planejador de palavras-chave do Google também mostra informações da concorrência. Ou seja, existe uma opção chamada Concorrência, onde é exibido o número de anunciantes do Google Ads que usam em seus anúncios esse mesmo termo.

Exemplo do planejador de palavras-chave

Assim, a concorrência pode ser baixa, média e alta. Nessa hora, vale a pena fazer algumas ponderações. Você pode achar melhor escolher uma palavra com mais procura, no entanto, ela também pode ter uma maior concorrência o que pode fazer seu custo por clique seja mais elevado. Palavras-chave da cauda longa podem ser uma boa ideia pois são palavras de baixa concorrência e é possível conseguir conversões genuínas.

No Google Keyword Planner, você consegue ainda conferir o Lance Sugerido, que se refere ao valor indicado para investir em um anúncio de links patrocinados, o Google Ads. Vale lembrar que o valor pago é subtraído apenas quando um internauta clica no anúncio.

Já para uma pesquisa ainda mais detalhada, outros recursos são segmentação, período da pesquisa e personalização. A segmentação pode ser por localidade, idioma, pesquisas no Google e seus parceiros.

Também é possível definir palavras-chave negativas, para que não apareçam na sua pesquisa. Quanto à personalização, pode-se usar os filtros de palavra e determinar quais termos precisam sempre ser incluídos ou excluídos do seu levantamento.

Quais as funcionalidades dessa plataforma?

Além de ajudar você a analisar quais as tendências em relação às palavras-chave, a fim de escolher as melhores para o seu negócio, o Google Keyword Planner contribui com a definição de novas palavras. Pode ainda combinar palavras-chave para obter outras.

Isso quer dizer que a ferramenta é útil para o seu negócio nas diferentes etapas da estratégia de marketing. Tanto no início do planejamento, quanto na hora de dar seguimento a sua estratégia já existente e até quando as palavras-chave não são novidades e você quer avançar.

Saiba mais sobre cada uma das funcionalidades dessa plataforma:

Tendências do volume de pesquisas

Com essa funcionalidade do Planejador de Palavras-chave do Google, é possível verificar as tendências do volume de pesquisas. Observe como o termo “Black Friday” tem um pico de buscas nos meses de Outubro e  Novembro.

Pesquisas Black Friday

Busca de novos termos

Essa funcionalidade do Keyword Planner permite que você verifique quais são as palavras-chave mais associadas ao termo que deseja usar nas suas mídias. Para tanto, é possível pesquisar de três maneiras:

  • A partir de uma frase: use frases que você acredita serem usadas pelo seu público alvo;
  • A partir de um site: insira um site na pesquisa para saber quais as palavras-chave usadas. Essa opção é perfeita para pesquisar a concorrência ou antes de comprar um domínio.
  • A partir de uma categoria: selecione o nicho do seu negócio e confira quais são as palavras-chave mais procuradas nesse segmento.

Combinação de listas de palavras-chave

Com essa funcionalidade, você consegue combinar palavras-chave para obter novas palavras-chave. Isso contribui para a sua estratégia quando ela está bem avançada e é preciso ampliá-la.

Como escolher as melhores palavras-chave na ferramenta?

Como você já entendeu, é muito importante saber como escolher as melhores palavras-chave na ferramenta do Google. Afinal, identificá-las é o primeiro passo para iniciar a sua estratégia de marketing digital. Mas como fazer isso?

Mesmo que o Keyword Planner seja muito eficiente, existem outros aspectos a considerar e que complementam o uso dessa ferramenta. Quem está começando agora um negócio e deseja apostar no marketing online pode não saber por onde começar.

O primeiro passo é identificar quais as palavras-chave que mais se relacionam com o seu empreendimento. Quem abriu uma floricultura virtual e criou um blog para gerar conteúdo relevante para o seu público alvo deve pensar nos termos relacionados ao seu negócio.

Nesse exemplo, é possível pensar em floricultura, flores, venda online, rosas e outros. Use essas palavras-chave no Planejador para ter uma ideia de como as pessoas que compram flores online pesquisam por elas no Google.

Já que a internet é muito usada também para aprender a como fazer algo ou onde encontrar, você pode pesquisar por frases como: Onde encontrar flores ou Como escolher flores. Essas são apenas algumas dicas para iniciar a sua pesquisa.

Confira outras dicas:

Conheça o seu público alvo

Público-alvo

Identificar quem são os consumidores em potencial do seu negócio, bem como quais são as suas necessidades é fundamental para qualquer tipo de empreendimento, inclusive, para investir no marketing digital. E para usar essa ferramenta acontece o mesmo.

Isso porque as buscas são determinadas pelo objetivo do consumidor, sendo que ao saber quais são os objetivos do seu público fica mais fácil de prever as suas necessidades. E, assim, as palavras-chave que mais vão ao encontro do que precisam e procuram.

Considere o volume de pesquisas

Como já foi dito, o Keyword Planner mostra o quanto cada palavra é pesquisada por mês. Se um termo é bastante pesquisado, a concorrência tende a ser grande, sendo necessário avaliar os benefícios para o seu negócio.

Além disso, existem palavras-chave mais e menos específicas, que podem ser combinadas na sua estratégia de marketing online. Nesse caso, há três grupos:

  • Head Tail: palavras-chave generalistas que apresentam um maior volume de pesquisas e muita concorrência. Exemplo: flores.
  • Middle Tail: termos mais específicos, mas ainda generalistas. Exemplo: Flores São Paulo.
  • Long Tail: são bastante específicas, por isso, possuem baixa concorrência, contribuindo com o tráfego mais qualificado, ou seja, possivelmente seus clientes em potencial. Exemplo: Flores casamento São Paulo.

Palavras-chave secundárias

Também chamadas palavras-chave de apoio, são essenciais para o marketing de conteúdo, pois como já foi dito, funcionam como sinônimo ou complemento para que o texto não fique repetitivo. Podem ainda ajudar a direcionar melhor o seu público alvo.

A dica é escolher até quatro palavras-chave secundárias para enriquecer o seu conteúdo, pois mais do que isso pode ser exagero. No mesmo exemplo de Flores casamento São Paulo, você pode usar termos como rosas para casamento, flores para noivas e buquê de noiva.

Com o uso adequado do Google Keyword Planner, você consegue não só ter ideias de palavras-chave para o conteúdo de suas mídias, como também conhece melhor a relevância de cada uma e até mesmo se inspira em temas e subtemas que pode usar para os seus textos.

O que é o Black Hat SEO? Como isso afeta o site?

Spread the love

O que é o Black Hat SEO Como isso afeta o site

Para que o Google possa oferecer aos seus usuários resultados que combinem com suas pesquisas, as páginas de seu site devem seguir orientações para que o os robôs que rastreiam os sites consigam entendê-los e indexá-los ao Google. Sendo assim, é fundamental que seu site esteja de acordo com as diretrizes para webmasters do Google.

O principal pilar dessas diretrizes é criar um conteúdo único e original voltado para os usuários. Isso quer dizer que, para que o Google considere que sua página seja de qualidade, o usuário deve estar encantado com o conteúdo que ela oferece e não, os robôs que fazem o rastreamento.

O Google não aprecia conteúdos voltados unicamente para os mecanismos de buscas. Ainda menos, conteúdos com o propósito de enganar os mecanismos.

O que é o Black Hat em SEO?

O termo Black Hat em seu fundamento significa ações que visam explorar brechas nas seguranças para conseguir um benefício próprio ou apenas por um ato malicioso.

Técnicas conhecidas como Black Hat em SEO são recursos utilizado como uma maneira de “burlar” os algoritmos dos mecanismos de buscas para conseguir melhorar os resultados orgânicos. Não é preciso explicar porque obviamente essas técnicas são condenadas pelos mecanismos de buscas.

Black Hat

Webmasters que são pegos utilizando essas técnicas de Black Hat têm seus sites penalizados pelo Google e, dependendo da situação, os sites podem ter seu conteúdo removido do Google. Segundo a pesquisa do Bright Edge, 51% de todo tráfego de um site tem origem de buscas orgânicas. Portanto, não seria uma boa ideia ter seu site bloqueado pelo Google.

Com o passar dos anos o Google tem alterado a forma de categorizar os sites nos resultados das buscas e amenizando a possibilidade de que práticas de Black Hats obtenham sucesso. Como por exemplo, dando menor importância as meta keyword e meta descriptions nos fatores de rankeamento, prevenindo práticas de spam de palavras-chave nos textos.

Exemplos de Black Hat

O Google sugere que a principal questão que deve ser perguntada para geração de conteúdo voltado para os mecanismos de buscas é “Isso ajudará meus usuários? Eu faria isso se os mecanismos de pesquisa não existissem?”. Ainda que hajam muitos site que buscam genuinamente responder essas questões, muitos profissionais buscam dar um “jeitinho” de trapacear gerando conteúdos unicamente para conseguir enganar os rastreadores do Google.

Alguns exemplos de Black Hat em SEO são os seguintes:

  • Geração de conteúdo automatizado
  • Esquemas de aquisição de links
  • Páginas sem conteúdo único
  • Cloaking
  • Textos/links ocultos
  • Plágios
  • Páginas com conteúdos maliciosos
  • SPAM de palavras-chave
  • Fazenda de Links
  • etc.

Caso identifique algum site que possam estar violando alguma dessas políticas, você pode enviar ao Google uma denúncia.

Como saber se estou fazendo Black Hat?

Ainda que a intenção de seu site não seja esta, é possível que seu site esteja sendo punido pelo Google sem sua conscientização por violar as diretrizes de Webmasters. Uma queda abrupta no tráfego orgânico de seu site, sem que haja nenhuma justificativa plausível, pode indicar que seu site tenha recebido uma ação manual. O próprio Google manda uma notificação por e-mail caso detecte alguma violação em seu site.

Para verificar se o seu site está sendo punido, na ferramenta de Webmasters do Google há uma seção de “Ações Manuais” em que é possível identificar as penalizações que o Google aplicou em seu site. Assim, sendo identificada uma ação do Google é possível corrigi-la revertendo os passos sugeridos pelo Google e fazendo um pedido de reconsideração para que a equipe revise o seu site novamente.

Ações Manuais

White Hat SEO

Práticas de White Hat, ao contrário do Black Hat, são ações que são altamente recomendadas pelos mecanismos de buscas. Esta é a forma mais segura de se conseguir gerar tráfego orgânico para seu site sem que ele possa sofrer alguma penalidade.

Estar atento as atualizações que o Google publica sobre as mudanças em seu algoritmo é uma boa maneira de conseguir destacar seu site nas pesquisas orgânicas. Recentemente o Google passou a considerar a velocidade de carregamento do site em dispositivos móveis como um fator de rankeamento, como discutimos no Google Speed Update.

A segurança de seu site também pode ser um fator a se considerar para conseguir subir algumas posições no Google. Certificar-se de que seu site oferece segurança aos dados e do computador do usuário é fundamental para que seu site não seja penalizado. Por isso, o Google tem incentivado a utilização de páginas com segurança em SSL, como o “S” em HTTPS, dando um pequeno empurrãozinho nas posições de páginas com esse certificado de segurança.

A usabilidade é outro fator que pode contribuir drasticamente no aumento de visibilidade orgânica de seu site. Um site de fácil navegação permite que os usuários encontrem rapidamente o que estava procurando, sendo assim, o conteúdo que o usuário está procurando devem estar apenas a alguns cliques de sua página principal. Isso não só beneficia os usuários como os rastreadores do Google conseguem navegar rapidamente em seu site.

 

O que analisar quando o tráfego orgânico despenca?

Spread the love

Não é algo incomum lidar com queda de fluxo. Sendo um profissional de Marketing Digital, você deve ter visto isso pelo menos algumas vezes. Se é a sua primeira vez, não se desespere.

O que analisar quando o tráfego orgânico despenca

Alguns profissionais da área são contratados especialmente para reverter quadros de queda de tráfego.

Muitas vezes, a queda pode acontecer de tal maneira que fica praticamente impossível determinar a causa.

Os motivos que provocam a queda do fluxo podem ser muitos, desde a queda de interesse do público a mudanças de algoritmos em sistemas de busca.

Portanto, existe muito a se estudar e analisar antes de chegar a alguma conclusão sobre o que causou a diminuição das visitações no seu site.

Se você está passando por alguma situação de perda de tráfego, entenda agora o que deve ser analisado ao perceber a queda de tráfego orgânico no seu site.

Possivelmente, com estas novas informações, não só você terá mais chances de entender a causa do problema, como também terá chance de revertê-lo.

O que checar primeiro?

Existem algumas diretrizes que você pode tomar assim que você percebe a queda de tráfego.

Estas podem ser o caminho mais rápido para a identificação do problema.

Google Search Console

Google Search Console

Essa é a primeira coisa que qualquer profissional da área vai te falar quando você comentar sobre o problema que está tendo.

E isso não é à toa, já que esta ferramenta tem informações sobre tudo que envolve o tráfego no seu site.

Não só isso, como também informa coisas que envolvem seu site indiretamente e acabam por afetar o seu tráfego orgânico.

Não só é recomendado que você olhe o Google Search Console assim que você notar uma queda no tráfego, como também é aconselhável que você frequentemente dê uma checada nas informações disponíveis, fazendo assim um trabalho de prevenção.

Informação nunca é demais, principalmente quando é uma informação tão beneficial para o seu negócio.

No Google Search Console, você vai encontrar coisas como:

  • Mensagens do Google (sobre ações manuais, por exemplo)
  • A lista de páginas internas e externas vinculadas ao seu site
  • Erros do site
  • A taxa de rastreamento e quando o Googlebot acessa seu site
  • As pesquisas de palavras-chave que ajudam seu site a aparecer nas SERPs

Isso deve ser mais que o suficiente para que você possa deduzir as coisas mais básicas que possam justificar o ocorrido.

Você pode, por exemplo, checar o ranking das palavras chave e ver se houve mudança na frequência de seus usos.

Ou por exemplo, ver se há algum problema no rastreamento dos bots, acusando talvez um erro de código em sua plataforma, no caso de a queda coincidir com uma atualização.

Existem uma série de coisas que podem ser deduzidas diretamente dos dados mais básicos.

Tente estudá-los da forma mais minuciosa possível antes de qualquer outra coisa. Dificilmente eles terão nada para informar.

Mudanças no algoritmo do Google

Uma coisa que você tem que entender é que a mudança no algoritmo não é necessariamente um evento incomum ou notável.

Na verdade, mudanças de algoritmo, sim, seria um evento grande, mas mudanças em um algoritmo em funcionamento são atualizações que mudam alguns detalhes sobre como o algoritmo funciona.

Estas mudanças, no entanto, podem sim causar diferenças significativas na forma em que funcionam certos mecanismos básicos que previamente contribuíam para o tráfego no seu site.

Ou seja, outro ponto rápido e simples a ser investigado é se houve qualquer forma de alteração do algoritmo e uma vez descoberta a mudança, é necessário entendê-la e vê se ela poderá afetá-lo.

Se você estiver sempre a par das mudanças, não terá que trabalhar com controle de prejuízo quando as suas visitações diminuírem.

De qualquer forma, se for o caso do seu tráfego cair na época da mudança no algoritmo do Google, você já tem um caminho para remediar a situação.

Há uma série de sites e organizações que frequentemente acompanham o funcionamento dos mecanismos de busca, como o SEM Rush ou o MOZ.

Concorrência

Concorrência

Esta é uma explicação bem simples, mas não deixa de ser bem possível e real.

Um novo site de conteúdo relevante e similar vai competir diretamente com o seu e portanto, pode acabar dividindo o número de visitações com você.

A concorrência é uma parte natural do mercado e ela pode vir desde novos competidores a antigos que resolveram, mais recentemente, investir com força.

Esse efeito da concorrência pode ser mais sentido principalmente quando seu tráfego orgânico depende de um pequeno conjunto de palavras chave.

Uma vez que você concentre seu conteúdo inteiro em uma única coisa, fica maior a chance de uma concorrência especializada chamar tanta atenção quanto você. Às vezes até mais.

Se o caso for mesmo o de concorrência, a solução é conhecida. Melhore. Se desenvolva assim como o seu concorrente se desenvolveu.

Existem páginas que não deveriam mais estar ativas. Lembre-se que o Google prioriza conteúdos de valor.

Esforce-se para criar conteúdo de mais valor, aumentando o tamanho e a qualidade do seu conteúdo de uma forma chamativa.

Estude seu competidor e veja quais são os gaps que os concorrentes estão abordando que o seu site não está aproveitando e melhore seu conteúdo com base neles.

Migração ou mudanças no site

Mudanças no site vão causar sempre uma queda no tráfego. Isso é algo completamente esperado.

Os motivos da alteração do site são de pouca importância, mas é necessário entender o que a mudança causa.

Principalmente, se o site foi mudado sem atenção ao SEO, é quase impossível não haver alteração no fluxo.

É importante também checar se alguma coisa passou despercebido que acabou diminuindo a otimização do funcionamento do site.

Mudanças na velocidade, boa visualização para dispositivos móveis, uso correto de indexação entre outros são apenas algumas das coisas que você tem que checar uma vez que a mudança ocorra.

Então sempre que houver migração ou mudança de design, tente checar todos os aspectos do seu site, incluindo o funcionamento de seus serviços, links, disponibilidade de conteúdo e etc.

Redirects 301

Fique atendo a estrutura dos URL do seu site antigo e o novo.  Se você utiliza WordPress, vale a pena instalar plugins como Redirection  que lhe mostrará todas as páginas acessadas que não tiveram correspondência.   Através deste plugin, mesmo sem conhecimento em programação, você poderá adicionar redirects 301, ou seja, transferindo a autoridade de um url antigo e desatualizado para a nova página, sem grandes prejuízos em termos de SEO.

Concluindo

Não se desespere, afinal de contas, isso não irá resolver seus problemas.

Problemas com fluxo são algo que ocorrem com certa frequência e essa não será a primeira nem a última vez que você possivelmente lidará com este tipo de coisa.

 

Como criar uma estratégia de link building para SEO

Spread the love

O que é Link Building?

Este é definido como “o processo de aquisição de hiperlinks de outros sites para o seu próprio site”. Um hiperlink (geralmente chamado de link) é uma forma de os usuários navegarem entre as páginas da Internet.

As técnicas de Link Building são várias e, apesar de haver uma grande variação quanto à facilidade (ou no caso, dificuldade) de aplicação de cada uma delas, profissionais de SEO tendem a concordar que o link building é uma das partes mais difíceis do trabalho.

A verdade é que muitos SEOs passam a maioria do seu tempo investindo em Link Building, aprendendo e aprimorando como fazê-los da melhor maneira possível.

Por essa razão, se você pode dominar a arte de construir links de alta qualidade, pode realmente colocá-lo à frente de outros concorrentes.

A importância dos links

Os links é um dos fatores responsáveis pela quantificação da popularidade e relevância de uma página. Eles funcionam como se fossem indicações, dizendo ao Google, por exemplo, que a página que o link está direcionando é uma página com um conteúdo bom e de confiança.

Link confiança

Uma página sem links não vai conseguir se posicionar tão bem nos mecanismos de busca, o que acaba por ter fluxo de usuários menor vindo de tráfego orgânico.

Fazendo o seu site ter valor

Se você quiser pessoas linkando o seu site, você tem que fazer com que valha a pena fazê-lo.

Comece devagar e construa as coisas no seu tempo. A maioria dos sites não surge do nada, eles crescem.

No fim das contas, tudo se resume a conversão, engajamento e tráfego.

Então, não tem muito segredo aqui. A primeira parte é fazer o seu site ter valor.

Trabalhe em seu conteúdo; use código limpo, sem atalhos; não exagere no CTA, um botão deveria bastar; verifique se o trabalho de SEO no seu site está bom; faça o seu site o mais rápido e otimizado possível; e obviamente, tenha bom conteúdo.

Dê atenção especial para a sua Home Page

Sua home page é a página que tem que ter a maior classificação ou, pelo menos, é a página cuja classificação vai importar primeiro.

Como este é o lugar onde a maioria das pessoas vão parar ao procurar seu site, esta é a página que deveria ter sua atenção e foco ao começar suas estratégias de Link Building.

HOME

Além disso, a Home Page é a página em que todas as outras páginas estarão à poucos cliques de serem alcançadas. Portanto, é uma ótima página para distribuir o link interno de seu site.

Lembre-se que primeiras impressões causam um impacto forte e duradouro.

Uma vez que a Home Page seja muito boa, o usuário poderá se sentir motivado a explorar o resto do site.

Com um site de qualidade, a reputação da marca será alavancada e isso aumentará o tráfego eventualmente.

Por meio de divulgação orgânica, o seu site chamará mais atenção, geralmente a longo prazo, o que eventualmente pode resultar em ter pessoas digitando o nome da sua marca nos mecanismos de busca.

Rankeando suas páginas internas

As páginas internas são onde a conversão costuma ocorrer, então, a medida que o seu site toma forma e popularidade, você vai querer outras páginas melhor rankeadas.

Aqui vai uma ideias de como rankear suas páginas internas:

  • Procure classificar suas páginas que geram receita usando palavras-chave de cauda longa

Com o uso do Google para webmasters, você pode saber quais são as páginas e quais keywords estão sendo mais relevantes para você.

Análise de Busca

Você pode se surpreender com o quanto você aprende em uma análise como esta.

Se você já tem tráfego em uma determinada direção, capitalize-o. Uma vez que uma página tenha destaque, use-a.

Crie o hábito de vincular  suas páginas, mas não crie um loop fechado. Vincule com um direcionamento único, em direção às suas melhores páginas.

Uso de Keywords em Long Tail

De acordo com Sam Kusinitz do Hubspot, Long Tail Keyword (que em Português, seria algo como: “palavra-chave de cauda longa”) é “uma frase de keywords que contém pelo menos três palavras (embora alguns digam que dois ou mais são considerados de cauda longa)”.

Ainda de acordo com o Sam, “As palavras-chave de cauda longa são usadas para segmentar dados demográficos de nicho, em vez de públicos de massa. Em outras palavras, eles são mais específicos e geralmente menos competitivos do que termos genéricos de palavras-chave”.

Elas causarão resultados mais rápido para um novo site, segmentando e classificando palavras-chave de cauda longa.

As frases, por serem mais extensas, acabam tendo menos buscas e menos concorrência. Por serem palavras-chave bastante específicas, elas permitem que você se classifique altamente nos resultados de pesquisa para tópicos populares com relativa rapidez, enquanto ainda ganha terreno nos termos principais.

É um jeito de crescer devagar a longo prazo, tendo um impulso mais forte para criar valor em suas páginas ao tratar de assuntos bem mais específicos.

Além disso, páginas com ranking alto mais específicas como as de cauda longa tendem a atrair tráfego altamente qualificado, o que significa em uma possibilidade de conversão bem maior, graças à especificidade do assunto e pelo fato que são poucos concorrentes que estão abordando.

Consiga Citações

Encontre um jeito de contribuir com o trabalho dos outros e ter uma menção direta a você, a uma frase que você disse ou algum trabalho seu.

Isto é algo que você pode conseguir basicamente por ser relevante e apesar de ter muito trabalho na questão do conteúdo que tem como consequência este tipo de ação, o link building em si acaba não exigindo trabalho seu.

Alguns sites em específico podem te ajudar nessa missão, como o Haro ou o Quora, onde você pode ajudar outras pessoas com seu conhecimento especializado e acabar recebendo citações em troca disso.

Guest Posts

Os guest posts são posts em que o dono de outro site concede um espaço em seu blog ou site para você fazer um conteúdo. Assim, conseguindo gerar links para seu site.

Guest posts são boas oportunidades para que sites que possuem certa relevância em seu nicho colocarem um link direcionando para seu site. Além de conseguir que sua página ganhe autoridade, você pode utilizar essa estratégia para ganhar presença de sua marca.

Você pode utilizar algumas ferramentas para encontrar sites com conteúdo semelhantes ao seu e entrar em contato com o dono do site para fazer o primeiro contato. Ferramentas como o SEMRush possuem uma aba de linkbuilding na aba de projetos com sites que abordam o conteúdo de seu site. Outras formas de buscar contatos é utilizar o próprio Google e pesquisar por sites que estão falando sobre seu assunto.

Assim, é possível encontrar parcerias duradouras, principalmente se sua empresa está fornecendo artigos com conteúdo diferenciado de qualidade para seus parceiros.

 

Como o Java Script influencia o SEO?

Spread the love

Como o Java Script influencia o SEOO Java Script permite que você crie websites rápidos, dinâmicos e bonitos, oferecendo uma boa experiência ao usuário. Mas você sabe como o como o Java Script influencia o SEO? Antes de tudo é preciso conhecer alguns conceitos básicos relacionados.

Conceitos Básicos

  • Java Script

É uma das linguagens de programação mais populares para desenvolver websites. Ele usa estruturas para criar páginas da Web interativas, controlando o comportamento de diferentes elementos na página.

  • HTML

A sigla ignifica Hypertext Markup Language. Em palavras simples, é um organizador de conteúdo: o HTML fornece a estrutura de um site (listas com marcadores, títulos, parágrafos, etc.) e define o conteúdo estático.

  • AJAX

Pode ser definido como um conjunto de técnicas para desenvolvedores que permite que aplicativos da Web se comuniquem com um servidor sem perturbar a página atual.

Basicamente, ele atualiza o conteúdo sem atualizar a página inteira. O AJAX permite que aplicativos e servidores da Web se comuniquem sem interferir na página atual.

  • DOM

DOM (Document Object Model) é o que o Google usa para analisar, inspecionar e entender as páginas da web. Você pode ver o DOM sempre que for ao “Inspecionar Elemento” em um navegador.

Uma maneira simples de examinar o DOM é que esse é o processo que o navegador faz sempre que recebe o documento HTML, para que ele possa começar a renderizar a página.

E como o Java script influencia o SEO?

Normalmente, existem três principais razões pelas quais você deve se preocupar com o Java script em seu site:

Rastreabilidade – Capacidade dos bots rastrearem seu site.

Um dos principais trabalhos dos desenvolvedores da Web é garantir que os bots encontrem suas URLs e entendam a estrutura de seus sites. Três elementos-chave devem ser observados:

  • Bloqueio do Java Script

Se você bloquear o Java Script, a página será exibida de forma diferente para os rastreadores da Web do que para os usuários.

Isso significa que os mecanismos de pesquisa não obtêm a experiência completa do usuário, e o Google pode interpretar essas ações como cloaking. Por isso é importante fornecer aos rastreadores da web os recursos necessários para ver páginas da Web da mesma maneira que os usuários.

  • Linkagem interna

A vinculação interna é uma ferramenta de SEO usada para mostrar aos mecanismos de pesquisa a arquitetura do seu site e apontar para as páginas da Web mais importantes. O conselho mais essencial é usar links internos e não substituí-los por eventos de clique com Java Script.

É provável que os URLs finais sejam encontrados e rastreados com eventos de clique, mas os rastreadores da Web não os associam à navegação global do seu site. O melhor é implementar a vinculação interna usando tags de âncora comuns no HTML ou no DOM.

  • Estrutura da URL

Os sites baseados em Java Script costumavam incluir identificadores de fragmentos em URLs, mas hashes (#) e hashbangs (#!) Não são recomendados pelo Google.

Um método altamente recomendado é a API de histórico do pushState. Ele atualiza a URL na barra de endereços e permite que sites de Java Script aproveitem URLs limpas.

Uma URL limpa consiste em um texto simples, facilmente compreendido por usuários não especialistas. Considere o uso do pushState para rolagem infinita, para que o URL seja atualizado toda vez que o usuário acessar uma nova parte da página.

Obtenção – capacidade dos bots de acessar as informações do seu site e analisar seu conteúdo.Bot site

Para os robôs do mecanismo de pesquisa que executam o Java script, existem alguns elementos necessários para que eles possam obter o conteúdo de um site:

  • Se o seu site exigir algumas ações dos usuários, os mecanismos de pesquisa provavelmente não o indexarão.
  • Os bots do Google não têm a capacidade de clicar, escrever ou fazer qualquer outra atividade que exija ações de um usuário. Então, se o seu site tiver elementos como esse, o Google provavelmente não terá a mesma experiência que o usuário final.
  • Se o seu tempo de carregamento do Java script demorar mais de cinco segundos, os mecanismos de pesquisa podem não estar vendo sua página. Sabe-se que não há valor de tempo limite para sites, no entanto, eles devem ter como objetivo carregar em 5 segundos ou menos.
  • Se existirem erros dentro do seu Java script, ambos os navegadores e mecanismos de pesquisa terão a possibilidade de perder seções da sua página se o código não for executado corretamente.

No entanto, ainda é melhor para os webmasters e desenvolvedores da Web criarem o hábito de testar e experimentar pequenas seções de seu site e se algum erro for encontrado no seu teste, você pode optar por experimentar o Snapshot HTML.

  • Snapshot em HTML

São basicamente páginas completamente renderizadas que podem ser retornadas para os robôs do mecanismo de pesquisa.

Podem ser usados ​​quando os mecanismos de pesquisa e outros sites, como o Facebook, não puderem obter seu Java script, então é melhor retornar um instantâneo HTML do que não ter seu índice indexado – ou nem mesmo ser entendido.

Além disso, observe que o Google deseja a mesma experiência que os usuários. Portanto, forneça-lhes apenas instantâneos se for absolutamente necessário

Latência do Site – caminho de renderização crítica

A ideia principal do caminho de renderização crítica do Google é primeiro carregar informações cruciais para os usuários. Em outras palavras, colocar o conteúdo mais essencial para os usuários acima.

Mais importante acima

Se seus arquivos Java Script ou alguns recursos desnecessários entopem a velocidade de carregamento da página, você provavelmente tem um Java Script de bloqueio de renderização, também chamado de latência percebida.

Isso significa que suas páginas têm o potencial de aparecer com mais rapidez, mas o código Java Script está diminuindo.

Verifique quanto tempo leva para carregar uma página com o Page Speed ​​Insights ou outras ferramentas semelhantes. Analise os resultados para ver se há um Java Script de bloqueio de renderização. Confira nosso artigo de como atingir a nota máxima no Google Page Insights.

Os mecanismos de pesquisa estão em constante evolução, por isso, sem dúvida, interpretarão seu Java Script melhor e mais rápido no futuro.

 

Meta Descriptions no SEO são realmente necessários?

Spread the love

A promoção da maioria dos serviços, produtos e informações estão vinculados à internet. Fazer com que seu site, blog ou loja online tenha maior visibilidade é a garantia de seu sucesso. Para quem trabalha com a internet, já deve ter algum conhecimento da técnica SEO, mas você sabe se as Meta Descriptions no SEO são realmente necessários para o sucesso de sua postagem?

Demoramos determinado tempo para transformar o texto das postagens para uma configuração da metodologia SEO.

Muitas vezes nos perguntamos se as Meta Descriptions são realmente eficientes na otimização do mecanismo de busca, se sua escrita é necessária em todos os posts.

Entenda mais sobre o método SEO e descubra quando as Meta Descriptions no SEO são realmente necessárias na estrutura do texto.

Entenda o método SEO

Metodologia SEO

SEO (Search Engine Optimization) é um conjunto de métodos e técnicas que têm como objetivo otimizar o mecanismo de busca.

Ele melhora o posicionamento das postagens do seu site a partir das palavras-chave que o usuário digita na ferramente de pesquisa da internet. Ou seja, a SEO faz que sua página apareça nos primeiros resultados. (Confira nosso post sobre os fatores de ranqueamentos de SEO 2018).

Quando você faz uma pesquisa no Google, acaba clicando no primeiro site que aparece, não? Entende como a posição do site na lista de busca é extremamente ligado com a quantidade de visitas que ele irá receber?

Ultimamente é comum confundir os resultados pela busca de páginas com os anúncios de produtos que aparecem em primeiro lugar.

Esses anúncios são links patrocinados e, por isso, aparecem em primeiro lugar quando digitamos algo como “sofá” na ferramenta de busca.

Títulos da página, Meta Descriptions, palavras-chave, Domínio, URL do arquivo e links externos são alguns dos itens mais comuns utilizados na técnica SEO.

Além disso, a estrutura do texto também é estipulada, como número de parágrafos, quantidade total de palavras e em cada parágrafo, etc.

As Meta Descriptions são uma espécie de chamada enfática que resume o artigo a ser apresentado.

Ela deve ser única, criativa e seu conteúdo deve relacionado ao conteúdo da página acessada.

Razões para você não querer escrever as Meta Descriptions

Há quem diga que as Meta Descriptions no SEO não são realmente necessárias e explicam seus argumentos para a ideia.

O primeiro deles é que o Google está mudando constantemente a maneira como apresenta os resultados da pesquisa.

Por exemplo, a empresa mudou o limite dos caracteres de 150 a 165 para 260-275 caracteres sem o menor aviso prévio. Com isso, as publicações feitas no antigo modelo foram prejudicas no mecanismo de busca.

Dentro de 6 meses, a empresa Google retornou ao antigo modelo de limite de caracteres.

Ou seja, se os textos não apresentassem as Meta Descriptions, os sites que escreveram com os limites inadequados não seriam afetados.

Outro fator é que todas as organizações têm recursos limitados. O Google recomenda que todas as páginas contenham a Meta Descriptions, mas também afirma que o uso da tag é de leve influência.

O Google geralmente escreve seu próprio snippet de descrição mesmo que você se dê ao trabalho de criar a Meta Descriptions.

De acordo com um estudo realizado pela Yoast, a empresa usa as palavras do primeiro parágrafo, e não da descrição, para criar o snippet. Ou seja, é melhor se dedicar a primeiro parágrafo invés de fazer a descrição.

Outra coisa extremamente relevante é que nem todas as páginas são importantes para SEO. Há sites com milhões de páginas e mesmo assim não geram um trágefo significativo de pesquisa. As Meta Descriptions não possuem potencial suficiente para que as palavras-chave sejam realmente efetivas.

O conselho é diferenciar as postagens que precisam ou não da descrição e utilize-as apenas quando necessário.

Quando é aconselhável acrescentar uma Meta Descriptions

Acrescentar Meta DescriptionsDefendendo o outro lado da moeda, apresentaremos a você em quais situações as Meta Descriptions no SEO fazem diferença no alcance da postagem. A Página inicial é a parte mais chamativa do seu site. Dedicar-se a criar uma boa descrição faz, sim, diferença.

Essa necessidade aumenta quando a página inicial não possui muito texto ou informações, apenas conexões para outros links.

Se seu site é comercial, por exemplo, a Meta Descriptions pode ser a chamada atrativa que o cliente precisa para se sentir interessado.

As páginas de produtos e categorias também merecem mais atenção na descrição, já que elas são essenciais para o sucesso das vendas.

As Meta Descriptions podem ser realizadas apenas no conteúdo que está sendo visto no Google. Ou seja, se apenas 10% das suas postagens estão gerando tráfego de pesquisa, se concentre na descrição apenas desses posts.

Também é válido investir quando o objetivo é melhorar as descrições de páginas com um volume de impressões significativo. São as páginas encontradas em “pesquisas naturais” mas que não possuem conteúdo.

Como exemplo são os sites que exibem vídeos, testes, jogos e coisas do gênero. O objetivo deles não é discursar sobre uma ideia, então a quantidade de texto é mínima. Nessa situação, as Meta Descriptions fazem a diferença.

Saber quando ignorar alertas, práticas recomendadas e diretrizes

No mundo ideal dos profissionais que trabalham com a metodologia SEO, todos os textos, independentemente do assunto ou de sua função, deveriam conter as Meta Descriptions na estrutura do texto.

Porém, sabemos que no mundo real isso não acontece. Sabemos que criar as descrições é algo trabalhoso e que demanda muito tempo, normalmente há muitos textos a serem produzidos.

Além disso, há também o tempo que se perde alterando as Meta Descriptions para melhorar o desempenho da matéria.

Muitas vezes as descrições não resultaram em resultados extremamente diferenciados nas pesquisas, e sua colocação não é relevante.

E quando você está realizando uma postagem desse tipo, talvez, incentivar o próprio Google a criar snippets valha mais a pena. A promoção não será afetada e ainda há economia de tempo.

Antes de elaborar um texto com a técnica SEO, analise se a Meta Descriptions no SEO será realmente necessária e se ela, de fato, irá afetar o mecanismo de pesquisa e dará preferência ao seu site!

Quais são os principais fatores de ranqueamento de SEO em 2018?

Spread the love

Quais são os principais fatores de ranqueamento de SEO em 2018

Fatores de ranqueamento SEO 2018

Um bom ranqueamento no Google é algo desejável em todas as facetas do Marketing Digital. Seja por conversão em vendas, divulgação ou criação de tendências. No fim das contas, quanto mais em evidência você estiver, mais fácil é de se conquistar seu objetivo. No entanto, o mundo do Marketing Digital, SEO e ASO são ligados diretamente a inúmeros mecanismos complexos.

Considerando que SEO é um ramo tem aumentado sua complexidade cada vez mais com o passar dos anos, um conhecimento cada vez mais profundo do assunto é essencial. Além disso, atualizar-se frequentemente é mandatório.

O ano de 2018 tem várias peculiaridades próprias sobre como o ranqueamento do Google tem funcionado e se você não está completamente por dentro do assunto, está no lugar certo.

Vamos ver o que você deve fazer para aumentar seu posicionamento no ranqueamento do Google da forma mais clara possível. Listamos então, quais são os principais  fatores de ranqueamento nas posições orgânicas do Google.

Básico do SEO

SEO básico

Não podemos deixar de lado o que fazemos constantemente no ramo de forma alguma.

Site Acessível

SEO tem alguns procedimentos que são fundamentos básicos para melhorar seu ranqueamento.

O mapeamento do seu site tem que ser feito da melhor forma possível.

Certifique-se de que seus links estão todos funcionais e acessíveis para que o Google Bot possa fazer sua passagem por todos os cantos do site que você deseja que ele acesse.

É de seu interesse que o Google Bot consiga analisar seus textos e imagens para fazer o processo de indexação.

Uma vez isso tendo sido feito, certifique-se de que todas as suas páginas tem devido valor.

Palavras-Chave

Você sabe quais são as palavras e frases que as pessoas pesquisam mais para ter suas perguntas respondidas? Quais são as palavras mais usadas por aquelas que chegam em seu site?

Você deve trabalhar ativamente em tentar agregar valor às suas páginas de forma que você possa trazer seu público alvo a partir de vários ângulos diferentes.

Geralmente, o ideal se resume a ter um tópico principal e trabalhar em volta dele juntamente com várias outras coisas que estão ligadas a seu objetivo principal.

Se você tem um site de viagens, pode associar viagens a palavras como “férias”, “feriado”, “Europa” e muitas outras.

Crie conteúdo que use as palavras escolhidas e sempre cheque o que tem levado seus usuários ao seu site.

Lembre-se de fazer artigos exclusivamente sobre as palavras secundárias para mencionar ou ligar em algum ponto o assunto ao seu tópico primário, mantendo os usuários navegando pelo seu site e ainda assim, sempre levando-os para onde você os quer.

Verifique suas posições na página do Google

SERP

SERP é a sigla em inglês para Search Engine Results Page, que em português seria algo como “página de resultados do mecanismo de buscas”. SERP é um termo técnico para representar as páginas que exibem os resultados em uma busca na Internet.

O ideal é que você vez ou outra cheque o SERP.  Faça uma pesquisa no Google para ver o que aparece com suas palavras chave e com outras.

A ideia aqui é você conseguir entender o que o Google tem considerado relevante quanto a essa pesquisa.

Uma coisa interessante que pode acontecer é você notar que, enquanto busca uma coisa, aparecem outras que embora levemente relacionadas, não resolvem o problema em questão.

Se você, por exemplo, pesquisa pacotes prontos de férias em Veneza e só aparecem pacotes de férias com passagem em Veneza, você acabou de encontrar algo que pode oferecer como conteúdo que outros não estão fazendo.

Javascript e Ajax

Um outro ponto relevante, embora mais técnico é entender se um javascript pode ser reconhecido pelos buscadores.   De acordo com nossas pesquisas, o Google reconhece sim instruções como “document.write”, ou seja, inserções de conteúdos providas por arquivos JavaScript, entretanto, recomenda-se não utilizar essa técnica ao menos se for estritamente necessária.   Outra dúvida comum é com relação as chamadas em AJAX, embora assinalada com depreciada, sugerimos a leitura da página a seguir para o entendimento dos conceitos associados à indexação em páginas Ajax. //developers.google.com/search/docs/ajax-crawling/docs/getting-started

Traga especialistas para escreverem no seu site

Essa aqui passa despercebido frequentemente e é uma dica importantíssima que funciona frequentemente como diferencial notável no ranqueamento.

Especialistas trazem cliques

Se você quer ler sobre os momentos mais bonitos do futebol nacional, uma pessoa como Ronaldo Fenômeno falando sobre o assunto vai chamar muito mais atenção que o seu vizinho falando sobre os lances favoritos dele.

O exagero é intencional, mas esclarece bem um ponto.

Especialistas trazem consigo credibilidade e leitores. Isso facilita a divulgação orgânica e o link building, o que pode acabar por aumentar as visualizações do seu site significativamente.

O conteúdo vai se tornar mais confiável e notável tanto para os visitantes em geral quanto para o Google, o que definitivamente significará aumento em seu ranking.

Satisfação do pesquisador

Uma vez que a pessoa que clique no seu site encontre o conteúdo que ela quer, ela provavelmente encerra as buscas ali mesmo.

O Google nota quando seu conteúdo satisfaz ou não o pesquisador e isso influencia eventualmente em como sua página vai ser ranqueada.

Trazendo alguém da área para escrever um artigo, você se assegura de que o conteúdo trazido por aquela pessoa fale mais diretamente com quem procura uma solução ou informação e acabe por resolver seus problemas da melhor maneira possível.

Uma vez que o pesquisador saia satisfeito da sua página, o Google percebendo isso, o que vai eventualmente afetar o seu ranqueamento de forma positiva.

Revise, otimize, melhore

O SEMRush recentemente publicou um estudo que analisou os principais fatores de ranqueamento orgânico no Google.

Depois de uma pesquisa complexa com mais de 600.000 palavras chave, o SEMrush conseguiu definir os 4 fatores mais impactantes no ranqueamento orgânico de forma clara, além de listar alguns outros de menor importância por comparação, mas ainda importantes para o SEO, sem dúvida.

SEMRush

Os fatores por ordem de importância

Muito Importantes:

  • Visitas diretas
  • Tempo de navegação
  • Páginas por sessão
  • Taxa de rejeição

Importantes:

  • Total de referências (domínios)
  • Total de Backlinks
  • Total de referências (IPs)
  • Total de Follow Backlinks
  • Tamanho do Conteúdo
  • Segurança (HTTPS)

Menos importantes, mas ainda relevantes:

  • Total de âncoras
  • Palavras-chave em âncoras
  • Palavras-chave na meta-descrição
  • Vídeo na página

Yoast SEO 7.0 derruba o ranking do site no Google

Spread the love

Logo Yoast

Yoast SEO

O Yoast SEO, um famoso plug-in do WordPress que é frequentemente usado por profissionais de SEO, teve finalmente uma atualização, considerada enorme, que presumidamente corrige o bug que afetou a classificação de vários sites em mecanismos de busca.

Algo de errado com o plugin Yoast SEO

O bug de classificação introduziu o que o Yoast chama de “problemas parecidos com o Panda” quando atualizado para a versão 7.0. Essa alteração afetou as configurações para o modo como os redirecionamentos de imagem são manipulados. Felizmente, esta atualização não afetou todos os usuários.

Aqui está como Yoast descreve o problema técnico:

O bug era simples, mas muito doloroso: quando você atualizava de uma versão anterior do Yoast SEO para o Yoast SEO 7.0-7.0.2 (especificamente essas versões), nem sempre convertíamos corretamente a configuração que você tinha para a configuração antiga para a nova configuração. Nós acidentalmente definimos a configuração como “não”. Como sobrescrevemos as configurações antigas durante a atualização, não pudemos reverter esse bug mais tarde.

O fundador do Yoast ainda se desculpou pessoalmente após o incidente. É dito que eles agiram o mais rápido possível quando o incidente foi percebido pela equipe, mas a essa altura o bug teria afetado negativamente de forma notável.

Os sites estariam sendo prejudicados desde 6 de março e devido à natureza do funcionamento do SEO, talvez alguns tenham demorado para entender o prejuízo devido ao ocorrido.

O fundador do Yoast, Joost De Valk, assumiu responsabilidade por todo o ocorrido e se desculpou diretamente:

“Este post serve tanto como um aviso quanto como um pedido de desculpas. … Lamentamos muito. … Nós erramos. Eu mesmo sinto muito. Mais do que o normal, porque eu mesmo criei e codifiquei essa mudança …”

Mas afinal de contas, o que foi que aconteceu?

O WordPress gera automaticamente uma página para cada imagem que você incluir no seu site.

O Yoast SEO tem uma configuração que permite redirecionar essas páginas de imagens para a página de postagem na qual a imagem está incluída.

Este recurso é maravilhoso. Considerando que essas páginas de imagem são de conteúdo pequeno – elas contêm apenas uma imagem, ou seja, acabam por não adicionar valor algum, ocorrendo em apenas ocuparem o orçamento de rastreamento dos mecanismos de busca que estão fazendo o processo de crawling pelo site.

Esse orçamento de rastreamento é melhor gasto em, obviamente, páginas que realmente importam.

Devido a um erro no Yoast, as configurações para redirecionar as páginas da imagem não estavam sendo transmitidas corretamente ao atualizar de uma versão mais antiga do plug-in para o Yoast SEO 7.0-7.0.2.

Se você tivesse configurado essas páginas de imagem para redirecionar, essa configuração nem sempre seria convertida corretamente para a configuração mais nova, o que terminava levando a páginas de imagem rastreáveis ​​(e indexáveis ​​dependendo das outras configurações).

Uma citação da explicação de Yoast sobre o bug:

“… Como resultado disso, muitos URLs de anexos entraram no índice do Google. Alguns desses sites estão sofrendo de problemas semelhantes aos do update Panda. ”

Logo após o lançamento do bug ter sido feito, uma nova versão foi feita com uma correção de bug, no entanto, as configurações originais não puderam ser (e dificilmente serão) restauradas.

Usuários Afetados do Yoast SEO Upset

Usuários Afetados

De acordo com a própria Yoast, o erro que ocorreu não afeta todos os usuários do plugin. No entanto, caso as visitas de seu site tenham despencado desde o dia 6 de Março, é muito provável que o seu site esteja sendo prejudicado por conta do plugin.

Leia o anúncio oficial no Yoast sobre o assunto

Yoast postou um anúncio oficial (em inglês) em seu blog sobre o assunto e este não deve ser ignorado. Principalmente se você suspeita que foi afetado pelo problema em questão.

Vá diretamente ao blog do Yoast ler o anúncio e aplicar as soluções recomendadas se você for afetado pelo Bug do Yoast SEO 7.0.

Há várias informações no blog, incluindo uma declaração do John Mueller do Google sobre o ocorrido.

 

Como fazer uma abordagem de múltiplas palavras-chave por conteúdo eficiente

Spread the love

SEO múltiplas palavras-chave

Abordagem de múltiplas palavras-chave

Existem pessoas que trabalham com SEO há muito tempo e não sabem ainda que é possível trabalhar várias palavras-chave em um único texto.

Eu não estou falando em uma “frase-chave” como: “Como fazer uma abordagem de múltiplas palavras-chave por conteúdo eficiente?”, mas sim como ter certeza de que tudo relacionado ao assunto da sua página vai levar a mais visualizações dela.

Achando buscas similares

Se seu objetivo é fazer conteúdo, uma opção válida é agregar valor à página abordando assuntos interligados ao assunto principal que chamem a atenção do pesquisador.

Por exemplo, em um blog sobre gatos, se você em uma página decide falar sobre como ensinar um gato a não subir na mesa, você pode querer melhorar a sua página com várias outras dicas sobre o que ensinar aos gatos.

Uma vez isso tenha sido feito, alguém que tem um gato em casa pode gastar mais tempo no seu site e melhorar seu ranqueamento.

Além disso, pessoas podem vir por motivos diferentes e passar mais tempo no site.

Alguém que queria ensinar o gato a não subir na mesa pode ficar pra descobrir, sem nem trocar de página, como também ensinar o gato a parar de morder as visitas, por exemplo; ou vice versa.

Uma vez que você coloque a sua pesquisa no Google, o próprio site te dará como sugestão algumas das pesquisas que tem sido feitas que você pode usar para agregar valor à página.

Além disso, se você clicar em uma das sugestões, verá outras sugestões interligadas com elas.

Um exemplo simples de página que pode usar isso é algo como: “5 coisas que você pode ensinar o seu gato a fazer que vão melhorar a sua vida”.

Trabalhando assim uma série de palavras-chave que podem ter a ver com subir na mesa, miar de noite, cuidar do bicho de estimação e entre outras.

Mas essa é apenas uma das maneiras.

Sugestão de pesquisa no Google

Abordando o mesmo tópico de diversas maneiras

Diferente da abordagem anterior onde você estende o assunto para adicionar palavras chave, aqui você vai procurar todas as maneiras diferentes de dizer a mesma coisa.

Essa é uma técnica básica e extremamente útil no SEO que é constantemente esquecida.

O Google também pode te ajudar com isso, assim como no exemplo anterior.

Então uma das opções que você tem é ver como as pessoas estão fazendo essa mesma pergunta.

Sugestão de pesquisa Bitcoin

Aqui, nós extraímos as palavras mais usadas e fazemos frases que falam sobre o mesmo assunto.

  • Como comprar bitcoins
  • Onde comprar Bitcoins
  • Bitcoins com segurança

Estes são apenas alguns exemplos de coisas que estão todos relacionadas a um único assunto: “Como eu faço para comprar Bitcoins com segurança?”, por exemplo.

Abordar o mesmo assunto com todas as palavras-chave que o orbitam é algo que previne a perda de cliques pra algum site que tenha, por acaso, usado a mesma frase que o pesquisador colocou no site, mesmo que este outro site não tenha a solução para o problema dele.

A questão é, se você está conseguindo atrair cliques com esta técnica, é bom mesmo ter conteúdo que faça com que os visitantes fiquem satisfeitos por terem aberto a sua página.

Outra maneira de você descobrir assuntos correlacionados que geram interesse em pesquisadores é no fundo da página:

Pesquisas relacionadas do Google

Daí você vai descobrindo como as pessoas fazem a mesma pergunta:

  • Qual é a melhor marca de TV
  • Melhores marcas de TV
  • Marcas de TV boas
  • Como escolher a melhor TV
  • TVs de melhor custo benefício

Buscar um tópico que encaixe todas essas e não perca o foco vai atrair pessoas e ranquear você em diferentes palavras-chave: “Como escolher a TV com melhor custo benefício”.

Lembre-se usar as palavras-chave ou a frase em questão em o máximo de maneiras diferentes possíveis sem sair do assunto principal.

Lembre-se das outras páginas

Manter o usuário por mais tempo em seu site aumenta seu ranqueamento.

Tendo isso em mente, lembre-se de que sabendo mantê-lo navegando eventualmente aumentará o posicionamento que lhe foi dado pelo Google.

Junte isso com o uso efetivo das palavras-chave em nicho e você terá um comportamento cíclico onde um pesquisador vai de uma a outra página do seu site para ter mais informações sobre o seu tópico principal.

Basta um único artigo que atinja um alto nível de ranqueamento por alguma campanha que você tenha feito e a partir disso, as pessoas passam a pular de página em página do seu site ou lembrando de voltar diretamente a ele, eventualmente seu site estará em destaque.

Se pesquisas relacionada ao tópico levarem pessoas ao seu site, mais pessoas o visitarão e quanto mais satisfeitas, mais elas voltam.

Tudo isso contribui para aumentar o ranqueamento das suas palavras chaves e de suas páginas em diferentes frentes ao mesmo tempo.

Cuidado para não canibalizar seu site

Vai parecer bastante contra intuitivo, mas é bastante importante.

Canibalização é quando você faz várias pages no seu site sobre basicamente a mesma coisa, fazendo assim com que o Google não saiba a qual atribuir maior relevância.

A consequência disso é, muitas vezes, nenhuma das páginas ter relevância atribuída, diminuindo o ranqueamento do seu site em geral.

Obviamente, se seu site é sobre uma coisa em específico como futebol ou computadores, é bem provável que essas palavras se repitam frequentemente.

O que você pode fazer para evitar a canibalização do seu site, nesses casos, é distinguir bem os assuntos do mesmo tema.

Um site de futebol pode ter páginas sobre regras, jogadores, campeonatos específicos e a partir dessas, ter mais subdivisões para times de regiões específicas, melhores jogadas de um campeonato e etc.

Outra saída interessante é dar ênfase a todas as palavras que acompanham o assunto e não são o tópico em si do seu site.

Dar ênfase a “bolas de pelo”, “miado constante”, “lugares altos” e outras coisas quando todo o seu blog já fala de gatos, por exemplo, é uma saída elegante.

Conclusão

Não é tarefa simples, a princípio, mas trabalho eficiente não costuma ser fácil.

Pelo menos não de cara. Com prática, você estará fazendo isso de forma intuitiva e aumentando as visualizações de suas páginas de forma notável.

Una o uso de palavras-chave de nicho com as técnicas de SEO que você já conhece e com certeza terá um resultado positivo.

Como atingir nota máxima no Google Speed Test

Spread the love

Como atingir nota maxima no Google Speed Test

Um site ser devidamente desenvolvido com bom volume de conteúdo e boa confiabilidade são algumas das coisas mais importantes para um bom SEO.

Mas se a velocidade do seu site for baixa, principalmente se for notavelmente lenta, você está em apuros.

A verdade é que hoje em dia as pessoas não têm paciência para esperar mais de 5 segundos para que um site seja carregado. Principalmente com o aumento do tráfego mobile com os smartphones.

Um site lento pode incomodar as pessoas fazendo com que elas resolvam navegar em outra página, fazendo com que você acabe perdendo clientes em potencial.

Neste artigo, vou mostrar em um exemplo real como você pode, com alguns truques, acelerar o seu site WordPress e obter uma pontuação alta na ferramenta Google PageSpeed Insights.

Conseguindo a pontuação perfeita: os cem pontos (100/100)

Obviamente que o cenário perfeito para você seria que a velocidade do seu site e SEO conseguisse bater a pontuação mais alta do Google PageSpeed Insights, que é 100.

Embora isso possa ser alcançado, não é algo pelo qual você precisa se esforçar, pois atingir essa pontuação pode, às vezes, quebrar a funcionalidade do website, interface do usuário e experiência de usuário.

Conseguir a maior nota no mecanismo PageSpeed Insights não o ajudará significativamente se seu site for corrompido e seus clientes não puderem terminar o processo de check-out no seu website. Afinal, o Google também prefere que seu site tenha um conteúdo cativante, e não que somente seja fácil de seus bots vasculharem pelos códigos.

O Google desenvolveu a ferramenta, principalmente, como uma diretriz sobre as melhores práticas de desempenho de sites. Isso é, para que possamos obter dicas sobre qual parte das nossas páginas precisam ser melhoradas.

Otimizando o site

Imagens

Compactar Imagem

Se a velocidade é tão importante assim, a primeira coisa que você pode fazer é otimizar as suas imagens para que elas carreguem mais rapidamente. Pra isso, uma das coisas você precisaria fazer é diminuir o tamanho dos arquivos de imagem.

Comprimir imagens usando ferramentas para diminuir o tamanho delas e deixando-as em pequenas versões em formatos leves (.JPEG por exemplo) pode ser uma excelente saída. Procure diminuir a imagem sem prejudicar extremamente a qualidade das imagens.

O objetivo aqui é que elas não fiquem gigantescas, mas grandes o bastante para mostrar os detalhes que você quer apresentar.

Você jamais deveria ter imagens maiores do que aquelas que você pretende renderizar nem reduzir seu tamanho usando tags CSS ou HTML.

O Google também oferece a opção de baixar suas imagens já otimizadas, e você pode simplesmente enviá-las para o seu servidor. Você pode fazer o mesmo com JavaScript e CSS.

Minimize o CSS e o JavaScript

CSS Java
Agora está na hora de diminuir nossos arquivos JavaScript e CSS.

O processo de redução vai diminuir os tamanhos de seus arquivos, dando fim a espaços em branco sem utilidade, caracteres e comentários de seus arquivos CSS e JavaScript.

Não é incomum que programadores acabem deixando muitos espaços e comentários durante a codificação. Estes podem até dobrar o tamanho dos seus arquivos CSS e JavaScript.

Existem ferramentas que você pode instalar em seu computador pessoal ou servidor que o ajudarão a lidar com tais situações.

Tais ferramentas especializadas, assim como o Gulpjs, podem criar automaticamente um arquivo CSS e removendo todos os espaços em branco.

Ele também cria um novo arquivo CSS automaticamente para todas as novas alterações que você está fazendo.

A diferença ao remover caracteres desnecessários pode ser gritante. Eu o encorajo a pesquisar no Google como fazer isso da forma mais eficiente possível, caso você precise, para que você consiga fazer esta etapa do processo de forma louvável.

Desta forma, você vai poder testemunhar uma efetividade ainda maior dessas dicas.

O cache do navegador

Para corrigir esse problema, uma solução é mover todos os arquivos estáticos do nosso site para um CDN (rede de entrega de conteúdo).

CDNs são uma redes de servidores localizados em vários sites em todo o mundo. Eles são capazes de guardar em cache versões estática de páginas na web, como imagens, CSS e arquivos de JavaScript.

A CDN armazena cópias do conteúdo do seu site nos seus próprios servidores e, uma vez que alguém acesse o seu site, o conteúdo estático vai ser carregado a partir do servidor mais próximo.

Um exemplo: digamos que o servidor principal do seu site é do Kansas, sem um CDN, um visitante da Inglaterra teria que esperar o servidor carregar o site por todo o caminho dos EUA até sua casa, aumentando a latência e diminuindo a sensação de velocidade no processo.

Já, com o uso de um CDN, o seu site é carregado de uma localização mais próximo para o usuário. Assim, sendo este lugar mais próximo do usuário, na Inglaterra, a página, obviamente, se mostrará mais rapidamente.

Eliminando recursos de bloqueio de renderização

A eliminação do bloqueio de renderização é uma das etapas mais difíceis na melhora de velocidade do carregamento de seu site.

Isso porque se demanda maior afinidade técnica. O principal problema com o qual é preciso dar conta é transferir o código JavaScript por inteiro do cabeçalho e do corpo para o rodapé na parte inferior das páginas do site.

No caso de você estar utilizando o WordPress, é provável que o plugin Autopmize ajude-o no processo.

Autoptimize

Otimizar a experiência móvel

A experiência móvel é algo à parte e deve ser pensada com cuidado. O Google já passou a utilizar o mobile como fator de rankeamento de SEO.

O sistema de navegação deve ser feito pensando no veículo e agindo com fontes harmoniosas e um sistema responsivo de fácil navegação.

Esta é uma dica valiosa se você não sabia: você pode testar a aparência do seu site em várias versões para dispositivos móveis usando o navegador Google Chrome.

Clique no botão de menu na parte superior da direita e ir para “Mais ferramentas – Ferramentas do desenvolvedor” (CRTL+SHIFT+I).Chrome Mobile

No lado esquerdo, você pode fazer a seleção de algumas opções diferentes para ver como seu site se pareceria em várias resoluções para dispositivos móveis(CTRL+SHIFT+M).

Chrome Mobile 2

Conclusão

Estas foram apenas algumas das coisas mais relevantes para que possamos levar a velocidade para a nota cem (100/100) desejada.

É possível que isso não seja o bastante, mas se tudo for feito, você pode se assegurar de que o desempenho da velocidade do seu site melhorou de forma notável.

Quanto tempo demora para o Link Building fazer efeito no SEO?

Spread the love

Quanto tempo demora para o Link Building fazer efeito no SEO?Essa discussão é velha e longa. No SEO, é extremamente comum recomendar Link Building.

A questão é calcular quando haverá um retorno vindo de tal investimento.

É difícil dizer, mas uma coisa é completamente certa: o resultado está longe de ser imediato.

Quanto trabalho tem o Google?

O Google considera uma série de coisas antes de mexer no ranking dos sites.

Considere que ele deve analisar onde o link para o seu site se encontra, quão relevante é o site onde o link está, se ele é frequentemente atualizado, qual é o seu fluxo e uma série de outras coisas.

Além disso, lembre-se que seus concorrentes podem estar empregando da mesma estratégia, também lutando por uma modificação no ranking.

Considere que o algorítimo agora vai levar em consideração tudo isso referente ao seu site, o site onde o link está, o site dos seus concorrentes, o site que hospeda o link dos seus concorrentes, o fluxo de cada um e jogar tudo no algorítimo para recalcular todas as milhões de mudanças que ocorrem a cada segundo.

A mudança de ranking vai acontecer, mas ela vai demorar e obviamente, quanto menos favorável for a situação, maior será a demora.

Apesar de toda essa complexidade, quando você for buscar essa informação, vai acabar se deparando com o consenso popular de que demora cerca de 3 meses para vermos o efeito do Link Building.

São mesmo 3 meses para página receber a força do link?

A crença comum é de que demora cerca de 3 meses para o Google atribuir valor a um link.

Profissionais da área tem calculado que este é o tempo necessário há quase 10 anos.

Obviamente, com o passar o tempo, as coisas mudam.

Não só o hardware que usamos hoje em dia é incrivelmente melhor, como também são os algorítimos.

Se os mecanismos de busca são muito mais rápidos hoje, é possível o efeito do Link Building pode ser visto mais rapidamente também.

Mas há como confirmar isso? E se é mais rápido, quão mais rápido ele ocorre?

O importante é sabermos também que muitos profissionais hoje concordam sobre como o Google está mais rápido. Então provavelmente, a história dos 3 meses está no passado, mesmo com os cálculos gigantes e o aumento do fluxo na internet.

Mas então, quão mais rápido vemos o efeito do Link Building?

Aqui as coisas começam a ficar complicadas.

Considere que Penguin agora é um algorítimo que foi assimilado pelo Google.

Este é um algorítimo que trabalha com tais links e funciona em tempo real e é fato que ele já tem sido parte do funcionamento do Google há cerca de 2 anos.

Se o Google tem um algorítimo que funciona em tempo real, fica extremamente difícil de aceitar que ele demore 3 meses para reavaliar o ranking das páginas.

Na hora de prever ou calcular o tempo que demora para o efeito surgir, os profissionais da área se discordam.

É possível encontrar profissionais que acreditam que este cálculo é resolvido em 2 a 4 dias. Outros, por outro lado, acham que demora um pouco mais que duas semanas.

Independente de se o tempo será finalmente determinado de certo, é seguro afirmar que nenhum destes profissionais acredita que ainda demora 3 meses para vermos resultados.

Considerando todas as discussões e previsões dos profissionais na área, é bastante seguro afirmar que não demorará mais que 3 semanas para que o link building cause algum efeito.

Aqui está a parte que você não quer ouvir: se você vai ver o efeito dos links ou não, já é outro assunto.

No fim das contas, apenas um ou alguns poucos links podem não ser o bastante para ajudar o seu site a subir nos rankings.

Considere, mais uma vez, que isso pode ser especialmente verdade quando seus competidores estão empregando as mesmas estratégias.

Quanto menor o Ranking, maior o efeito do Link Building

Isto é algo bastante importante a se considerar quando você espera ver efeitos com tal estratégia.

Quanto maior é o ranking da sua página, mais difícil vai ser ver o aumento nos rankings por uso desta estratégia.

Forca Link Building

Link Building pode funcionar rapidamente, mas seus rankings não terão mudanças significativas.

É possível que o efeito, apesar de ocorrer mais rápido que antigamente,não se traduza em uma mudança imediata na classificação.

Isso significa que mesmo que o link building funcione e faça efeito, pode sim haver um intervalo de meses até que você note mudança no ranking.

O que deixa a situação delicada é que com um intervalo de tempo tão grande, dependendo de quantas outras estratégias você esteja aplicando, ficará cada vez mais difícil de determinar se foi por links ou qual links causaram o aumento no ranking do site.

No entanto, caso o seu site seja um site pequeno, de baixo fluxo e baixo ranking, é extremamente seguro afirmar que Link Building trará um resultado mais visível.

Além de tudo isso

É válido lembrar que além do tempo que o Google demora para examinar, julgar e calcular todas as variáveis, existe o tempo antes de tudo estar em seus devidos lugares.

  • Há o tempo necessário para encontrar uma agência ou profissional de qualidade que faça Link Building
  • Gasta-se também bastante tempo para estruturar a estratégia do Link Building em seus pormenores
  • Prospecção de sites alvo e a organização de conteúdos que se encaixem no contexto
  • A execução também leva tempo. Há bastante tempo gasto com comunicação e feedback
  • E por fim, o tempo de espera

Considerando tudo isso, é possível que seus esforços só deem resultados significativos depois de 6 ou mais meses de esforço. Então tenha isso em mente e trabalhe com os pés no chão.

Foco no conteúdo

Não é difícil encontrar profissionais do Marketing Digital que dizem que apesar do Link Building ser uma estratégia importante, talvez não deva ser o foco principal.

Cultivar links é importante sim, mas gerar conteúdo deveria tomar a prioridade.

Saber exatamente qual é o link que causa o aumento do ranking seria ideal, de fato, mas nem sempre é possível.

No fim do dia, é mais fácil medir se seu conteúdo atrai cliques do que entender o cálculo envolvido para a influência no ranking após link building e suas inúmeras variáveis.

Categorias e arquivos de postagens devem ser indexadas para SEO?

Spread the love

Categorias e arquivos de postagens devem ser indexadas no SEO

SEO pode parecer simples quando estudado superficialmente, mas não é incomum as pessoas se perderem em termos como Crawling, Index, Noindex e outros.

A parte técnica do trabalho é importante e indispensável quando se trata de maximizar eficiência e cliques.

É importante entender como o Google funciona e como guiar seus bots por seu site de uma forma que ele veja o que precisa ver, afim de acabar pro expor mais o que você quer.

Mais que importante, tal capacidade é completamente necessária para um profissional de SEO.

Muitas coisas parecem extremamente complexas até começarmos a entendê-las. Não é nem um pouco diferente com o comportamento dos mecanismos de busca. Uma vez que nos acostumamos com a termologia, fica cada vez mais fácil entender e prever o comportamento de tais mecanismos.

Comecemos pelo básico.

Crawling & Indexação

Se você lida com SEO, inevitavelmente vai acabar ouvindo estes termos. Crawling e Index são o básico do funcionamento padrão do Google.

Crawling

Esta palavra é usada para descrever a navegação do Google por um site. Afim de encontrar o que querem, bots de mecanismos de busca vão entrar em uma homepage e seguir seus links.

Isso significa que o bot entra no site e checa todas as páginas, incluindo as que você esqueceu que existiam.

Há um limite de até onde o Googlebot vai vasculhar o seu site baseado em uma série de variáveis, daí a importância do SEO.

Indexação ou Indexing

index

Simplificando, este é o processo de adicionar páginas à pesquisa no mecanismo de busca.

O Google, após fazer a varredura de seu site pelo processo acima, atribui um valor a esse e o coloca em suas páginas de busca. Páginas de valor muito baixo não são indexadas, daí a importância de otimizar o processo de Crawling pelo seu site.

Com SEO aplicado da melhor maneira possível, o Google vai esconder e mostrar páginas do jeito que você achar melhor.

NoIndex

Este é um termo que definitivamente causa muita confusão no meio do SEO. É muito comum você ver profissionais da área que ainda não compreendem completamente o uso do noindex.

No WordPress, todas as páginas são indexadas por padrão. Usando a tag, você não impede o Crawl, mas impede a indexação daquela página.

Há muita discussão sobre a utilidade e correta utilização da tag noindex. Em geral, ela evita que uma página seja exibida por buscadores, mas não impede que ela seja encontrada pelos mesmos.

No entanto, cogita-se que uma página que não está sendo indexada seja cada vez menos acessada pelo Google após o tempo. Suspeita-se que após alguns meses, o GoogleBot acesse cada vez menos ou até mesmo pare de acessar aquela página.

Index ou Noindex?

Então uma vez que tenha sido entendido o que é a tag e como o Google funciona, de forma geral, chegamos à pergunta:

“Categorias e arquivos de postagens devem ser indexadas no SEO?”

Em geral não há motivo para você se preocupar se o Google vai ou não indexar a página. Isso dificilmente vai influenciar no ranking ou no crawl do google pelo seu site.

Se o Google entrar no seu site, ele vai avaliar cada uma das páginas. Vendo valor nela, ele indexa, não vendo ele não indexa.

Outra possibilidade é que, mesmo que a página de pouco valor seja indexada, ela terá um ranking muito baixo. Isso dificilmente afeta a indexação ou a percepção do Google sobre o resto da sua página.

No entanto, isso pode se tornar um problema em uma página de E-Commerce, por exemplo, com milhares de produtos.

Robots.txt

robots.txt

Este arquivo é desconhecido por muitos, mesmo sendo fundamental no SEO.

O arquivo robots.txt é o protocolo ou padrão de exclusão de robôs. Ele determina o comportamento do Googlebot no site. Ou seja, é com este arquivo que você determina o caminho que o bot toma durante o crawl.

A partir deste arquivo, você pode bloquear completamente o acesso do bot a uma página.

Cuidado, no entanto, pois o Google também não será capaz de acessar links que só se encontram na página bloqueada. Isso significa que o Google fica cego para tudo que é encontrado na página e depois e para updates delas.

É  válido usar este recurso para páginas bloqueadas por senha, carrinhos de compra, áreas reservadas para o admin e etc.

Erro 404

404

Uma vez que o Googlebot se depare com o erro 404, ele o respeitará e a página não vai ser indexada. Vale notar que o Googlebot continuará a checar a página vez ou outra para se certificar de se algo mudou.

Existe um status curioso que é conhecido como “Soft 404”. É um estado não oficial de uma página que existe, mas que não tem nenhum conteúdo.

O Googlebot vai tratar tal página exatamente como trata um erro 404, não indexando mas voltando eventualmente, procurando mudanças no status.

Robôs e Tags

É importante não tratar Robots.txt e a tag Noindex como se fossem a mesma coisa. Este é um erro comum.

Usando NoIndex, o Googlebot pode perder interesse em vasculhar a sua página,  mas isso ainda não o impede de fazê-lo. Lembre-se que o Noindex funciona meramente para inibir os resultados em buscas. O Google ainda determinará um valor à página.

Conclusões

Mas afinal de contas, devo ou não indexar categorias e arquivos de postagem?

No fim, a resposta se resume a: você quer que o Google as exponha se ele atribuir valor a elas?

Indexar ou não a página não impede o Crawling e se o motivo da indexação da página é mais exposição, não vai fazer diferença se a página não tiver valor atribuído a ela.

Se você tiver páginas de baixo valor que são absolutamente necessárias para a navegação, talvez seja melhor não indexar. Outra solução, talvez mais adequada, é reorganizar os caminhos pelo seu site, diminuindo a quantidade de páginas de baixo valor.

A importância de indexar ou não estas páginas vem da quantidade de páginas do tipo que tem no seu site.

SEO para e-commerce. estratégias básicas para você aplicar hoje.

Spread the love

SEO para e-commerce é a melhor opção para atrair tráfego para o seu site? Muitos empreendimentos online precisam de uma forcinha para aparecem e serem bem vistos.

A pior coisa para as lojas é quando o site está mal estruturado e pedindo um SEO mais avançado. Lojas tipo Amazon são craques em manterem seus produtos na mira do Search Engine Optmization.

Isto porque esta tática de geração de visitas é tão poderosa que é capaz, por si só, de ser responsável por seus produtos estarem entre os mais vendidos.

E hoje em dia a forma como se faz negócio mudou muito. As pessoas não compram somente em loja físicas, elas procuram pelos produtos em lojas online.

E por isso você, dono de estabelecimento comercial online, deve estar atento às ultimas regrinhas do SEO.

Você lembra que no dia das crianças ou em qualquer outra comemoração as pessoas se digladiavam pelos produtos?

Hoje não é mais assim, as pessoas compram online. E se sua loja não estiver bastante organizada em relação ao SEO para e-commerce, você vai acabar perdendo clientes preciosos.

Lembra da Amazon? Nos Estados Unidos ela DOMINOU o mercado se transformando na primeira loja mais bem cotada para compras em geral.

É estimado que vendas online sejam responsáveis por 50% do crescimento das vendas em e-commerce até 2021.

Isso deixa apenas uma porcentagem para outros tipos de lojas mais tradicionais.

Lugar certo, hora mais do que certa

As buscas online são importantes dentro do circulo dos consumidores, de produtos descobertos, decisão de compra, engajamento e retenção.

Você não pode ignorar como você ranqueia nas ferramentas de buscas para o seu produto principal.

Mesmo se a compra não acontecer online, 65% dos consumidores ainda buscam online pelo produto.

Se você tem vendido seus produtos online, então sabe a importância de estar na primeira página do Google, não é mesmo?

A primeira página do Google tem uma taxa de “clicagem” acima de 20%, em embora muitas lojas se beneficiem os links patrocinados, você não pode deixar de considerar o SEO para e-commerce.

Seus clientes em potencial não estão comprando de você? Então provavelmente estão comprando na Amazon ou outra loja grande com o SEO estruturado.

Palavra-chave no funil de vendas é a chave do negócio

Tudo inicia com a pesquisa de palavra-chave dentro do buscador. Se você as colocar do modo adequado no seu site você está aumentando as chances de ser encontrado mais facilmente.

Por isso é bom fazer uma pesquisa no funil de vendas para palavras-chave principais e secundárias.

Sua loja deve conter tráfego em todas as páginas de vendas que você oferece ao público e em toda a jornada de compra.

Você deve usar tanto long tails (palavras mais longas – que são as mais comuns hoje em dia) como as head tails (palavras mais curtas e objetivas).

Um exemplo disso seriam:

  • Geladeira Consul (head tail)
  • Geladeira Consul frost free (long tail)
  • Computador Samsung (head tail)
  • Computador Samsung 10 GB (long tail)

Em geral as head tails atraem maior tráfego, mas curiosamente geram menos conversões. Isso tudo acontece porque quando uma pessoa procura por uma head tail ele está procurando genericamente.

As long tails para todas as lojas atraem um tráfego mais qualificado, por isso convertem bem mais.

Títulos das páginas são importantes também

Depois de inserir as palavras-chave correta no SEO para e-commerce você deve se atentar para colocar as palavras nos títulos das páginas e assim fazer com que o Google entenda sobre o que se trata sua página.

Ele é primordial para SEO on page, mas não pode ultrapassar 63 caracteres.

Exemplo:

Computador Samsung 10 GB

Geladeira Consul Frost Free

Heading tags são cruciais

O que seria uma heading tag? São os famosos subtítulos H1, H2, H3 e por aí vai. O H1 geralmente tem o mesmo texto que o título por ser a primeira tag.

O H2, H3 e assim por diante já tem uma hierarquia menor, portanto vê abaixo do H1.

Exemplos:

H1: Computador Samsung 10 GB HD

H2: Um ótimo computador de 10 GB

H3: Maior tecnologia aplicada

Meta description bem-feita

Trata-se de um texto que vai junto com o título da página nas buscas do Google. Você deve usar a palavra-chave que escolheu nessa parte.

A meta descrição ou meta description tem apenas 160 caracteres (essa parte é a que o google tende a mostrar).

Exemplo:

Computador Samsung 10 GB de HD e tela de 13” com muita potencialidade para trabalhos pesados e com tela touch screen intuitiva e poderosa.

Usando imagens com perfeição

Quando o cliente em potencial busca por imagens no Google ele pode achar sua página. Mas para que isso aconteça é necessário usar as tags de forma correta.

A tag (alt) é o texto alternativo que aparece quando sua imagem está sendo exibida ou não. Fazendo uma descrição sucinta e objetiva você tem grandes chances de ranquear pelas imagens também.

URL amigável pode ser?

Muitas lojas utilizam “códigos” nas suas URLs. Isso é uma das técnicas de SEO para e-commerce. A URL é muito importante para quem quer ranquear no Google, porque ela mostra do que se trata a página.

Preferir uma URL simples e objetiva é a melhor escolha que você pode optar.

Exemplo:

www.seusite.com.br/computador-samsung-10-gb-touch-screen

Descrevendo os produtos agora

Ao descrever um produto use sempre o bom senso. Crie uma mensagem mais original e que seja interessante para os seus produtos e para as categorias.

Faça de forma que seja fácil para o usuário e para o buscador identificar do que se trata.

Muito importante: linkar internamente!

Uma das principais coisas que importa para o buscador é saber de sua linkagem interna. Se você tem uma página que possa ser importante para o Google ou Bing deve “linka-la” a outras página

Estabeleça autoridade

Backlinks são fundamentais para qualquer site na web e é conhecido como um grande sinal de ranqueamento.

Outra forma de estabelecer uma autoridade online é através do marketing de influência. Não só traz credibilidade para sua história, mas também cria um melhor ROI

Torne-se o mais rápido possível

Sites que carregam devagar tendem a perder clientes em potencial. Velocidade importa muitíssimo como também é fator de ranqueamento para o Google e para o Bing.

E isso não deveria ser uma surpresa.

Invista na arquitetura em SEO para e-commerce

A arquitetura tem a ver com a forma como seu conteúdo está organizado como também tem a ver com a linkagem interna que nós já falamos.

Planejar seus breadcrumbs, suas categorias e subcategorias é super crucial. Veja abaixo:

Exemplo:

Eletrônicos>Computadores>Touch Screen

Maior cuidado com links quebrados

Um link quebrado pode fazer com que seus clientes saiam da sua página sem voltar.

Sem o link correto, seus produtos deixarão de existir e você vai estar perdendo espaço por simplesmente um problema estrutural básico.

Conteúdo duplicado

Tente fazer conteúdo original, conteúdo duplicado só confunde o buscador e faz com que você perca alguns pontos no ranqueamento.  O Google sabe quem foi o primeiro a publicar um determinado conteúdo, portanto, se foi você o 2.o a publicar o mesmo conteúdo, a relevância de sua página para esse artigo será geralmente menor.

Falando em conteúdo interno, isso cria uma concorrência desnecessária em suas páginas e piora na hora do ranqueamento.

 

10 plugins de SEO para turbinar seu WordPress

Spread the love

10 plugins de SEO para turbinar seu WordPressO WordPress é uma das ferramentas mais usadas para fazer sites a internet, quando combinado com poderosos plugins é possível conseguir muito mais resultados com essa plataforma.

Mesmo utilizando técnicas clássicas de SEO para aumentar o número de visitas do seu site, os plugins também podem te ajudar muito com a tarefa de conseguir mais visitantes.

Por isso fizemos uma lista dos melhores Plugins de SEO disponíveis para WordPress.

Plugins de SEO para WordPress

  1. Yoast SEO

Yoast

Esse é o grande “pão com manteiga” do SEO e a maioria das pessoas que tem algum interesse por essa técnica de geração de tráfego acaba usando o Yoast.

Ele tem algumas características ótimas como:

  • Sugestão de links internos
  • Análise de conteúdo e página
  • Relatórios de palavra-chave
  • Gerenciador de redirecionamento

A ferramenta de análise de páginas do Yoast é muito útil para iniciantes de SEO, sendo bem fácil e claro de usar. Além disso a ferramenta também verifica a “legibilidade” de um conteúdo baseado no número de palavras por parágrafo e assim por diante.

O melhor da ferramenta é que ela facilita algumas coisas como os alt atributes, meta description, outbound links e outras coisas que podem ser difíceis de fazer sem a ajuda de uma ferramenta.

  1. All in One SEO Pack

Concorrendo com o Yoast em número de downloads, que já chegaram em 45 milhões, o All in One SEO pack é cheio de funcionalidades e é ótimo para iniciantes também.

Entre as características:

  • Suporte para Google Analytics
  • Suprote para Accelerated Mobile Pages (AMP)
  • Integração com SEO
  • Integração com WooCommerce
  • Metatags automáticas
  • Optimização automática de blogs

Assim como o Yoast é uma das melhores ferramentas para iniciantes.

  1. Premium SEO Pack

Com mais de 24 módulos diferentes o Premium SEO Pack é considerado uma melhores opções premium disponíveis. Com o pagamento de U$ 44,00 você tem acesso à essas características:

  • Sitemap
  • Validador de W3C
  • Planejador de Facebook
  • Otimização em Massa
  • Permalinks customizáveis
  • Análise de SEO por página e post
  • Análise de palavra-chaves
  • Monitoramento de links quebrados

Talvez a Premium SEO não seja muito barata mas é compreensivo quando você vê a lista completa de ferramentas que ela possibilita, incluindo ai o planejamento para redes sociais.

Também é possível instalar uma versão light que tem uma quantidade limitada de módulos.

  1. SEOPressor Connect

SEOPressor é conhecido por recolher as informações mais importantes de SEO do seu site e apresentar ela de uma forma simples de entender.

Muitos usuários dizem que a maior vantagem é a forma como ele dá dicas em relação ao conteúdo e como melhorar ele para o Google, ao contrário de algumas outras ferramentas que focam apenas na densidade de palavras e fatores parecidos.

A inscrição custa U$ 9.00 por mês. Alguma das características são:

  • Links internos automáticos
  • Gerador de Sitemap
  • Pontos para legibilidade
  • Verificar otimizações desnecessárias

Essa é a ferramenta mais fácil de usar em toda a lista, e tem uma curva de aprendizado curta.

Ao comprar você tem 60 dias para receber seu dinheiro de volta caso não fique satisfeito.

  1. WPTouch

O WPTouch é famoso por ser um aplicativo feito totalmente para celulares e tablets. É simples, elegante, e rápido.

O aplicativo é recomendado oficialmente pela Google e deixa você criar um formato mobile-friendly do seu site para que ele seja visualizado de forma mais fácil em celulares e tablets.

Além disso ele inclui ferramentas como:

  • Leve e rápido de usar, perfeito para ser utilizado em celulares.
  • Integração fácil com outros plugins.
  • Configurações simples de administrar.

Para quem precisa de um plugin que é bem direcionado para o público mobile, esse é ele.

  1. W3 Total Cache

W3 Total Cache

O Total Cache é outra ferramenta especializada para SEO em WordPress que foca na velocidade do site e para uma experiência mais amigável do usuário.

As ferramentas são:

  • Content Delivery Network (CDN). Ferramenta que une sites de temas, imagens e WordPress.
  • Suporte para servidores dedicados e particulares
  • Suporte do Google AMP
  • Suporte para SSL (saiba da importância do SSL para SEO)

Como o Google está usando a velocidade do site como um dos principais fatores de rankeamento, esse plugin é uma ótima opção para deixar o site mais rápido e melhorar a posição nas buscas.

  1. Broken Link Checker

É necessário sempre checar se um link está quebrado no seu site, tanto para melhorar a experiência do usuário como para melhorar o ranqueamento.

É ai que o Borken Link Checker entra em jogo, facilitando a identificação e conserto de links quebrados.

Como o nome sugere, o Broken Link Checker é uma ferramenta gratuita que vai achar todos oos links defeituosos no seu site.

Ele detecta tudo de forma automática e te dá uma notificação. É uma ferramenta simples e fácil de utilizar.

  1. SEO Squirly

O Plgin já tem mais de 30,000 downloads e tem mais de 200 características para ajudar você a otimizar seu conteúdo.

O Plugin tem uma versão Free e uma versão Paga que custa cerca de U$ 19.99 por mês. Todas as características da ferramenta podem ser vistas no vídeo abaixo:

  1. Media File Renamer

Um dos problemas para os sites que têm muito conteúdo é a quantidade enorme de arquivos, atributos e imagens que podem existir. Na hora que vamos avaliar tudo junto, pode demorar muito tempo para se localizar.

Além disso, renomear arquivos pode ser algo perigoso porque pode acabar afetando o backend do site e desconfigurando ele por completo.

O Media File Renamer facilita o processo de modificar o nome de um arquivo. Quando o nome de uma imagem muda por exemplo, todas as referência para ela no seu site também mudam.

O Plugin tem uma versão gratuita e outra paga que adicionas novas funcionalidades.

  1. SEO Auto Image Tool

Essa ferramenta automaticamente gera Alt Text baseado nos títulos da imagem. Qualquer tipo de vírgula, ponto, aspas ou caracteres que não são aceitos no WordPress também desaparecem.

Se você quer uma boa ferramenta gratuita para facilitar um pouco sua vida na hora de colocar imagens no site, essa com certeza é a melhor opção disponível para você.

Conclusão

Como você pode ver, existe uma infinidade de ferramentas que tem funcionalidades diferentes para o seu site que vão desde as imagens do site até o SEO em si e até mesmo a configuração backend.

Se você quer ter um site de sucesso e receber mais visitas, dê umas olhadas nas ferramentas que te sugerimos e também sempre fique de olho nos lançamentos do mercado.

SSL agora é um fator de rankeamento para SEO

Spread the love

ssl fator rankingQuem é Webmaster sabe da importância do SSL, uma chave de segurança que faz toda a diferença na hora de conseguir visitas. É o famoso “cadeado verde” que tem à esquerda dos endereços no navegador.

Mas algo que muitas pessoas ainda não sabem é que agora esse certificado também vai ser um fator de rankeamento do Google para SEO.

Confira o nosso artigo.

A diferença de um “S”

O sites que tem um protocolo antigo de segurança ainda são HTTP, os que usam o SSL 2048-bit agora tem um S adicionado na sigla ficado HTTPS.

Essa chave de segurança mais moderna tem se comprovado como mais eficiente contra ataques de invasores e vírus, o que fez com que o Google prestasse atenção na ova tecnologia.

Segunda a empresa, os sites vão começar a receber uma “leve melhora de sinal de rank” caso adotem o SSL 2048 e apesar de “Isso fazer uma diferença menor que 1% nas buscas globais”, talvez esse fator possa ficar mais importante no futuro.

Ou seja, preocupados com a proteção geral da Web, eles decidiram usar a chave para o rankeamento como uma forma de aumentar o número de usuários do HTTPS. Como fica bem claro na seguinte declaração: “Queremos que todos os donos mudem de HTTP para HTTPS para manter todos seguros na web”.

Quem quiser ficar na frente no rank, agora vai precisar usar essa nova chave de segurança para dar aquele impulso pequeno que pode fazer toda a diferença.

Existe risco para o meu rank caso eu mude para HTTPS?Dúvida risco de SEO

Muitos webmasters podem ficar um pouco preocupados com a notícia porque parece que mudar para um SSL mais atualizado pode acabar afetando o SEO da página. Afinal o endereço vai mudar em uma letra.

Caso seu site use o protocolo antigo, não existe nenhum risco para mudar para o novo, mas é necessário avisar o Google que você vai fazer essa mudança.

Clicando aqui você pode acessar o guia oficial da empresa para quando você vai fazer alguma mudança.

De forma geral o maior problema é que talvez demora um pouco para que suas novas páginas sejam indexadas nos buscadores mas isso não deve afetar muito seu rank caso você siga o guia do Google.

Para quem usa um endereço muito antigo e até mesmo está pensando em mudar de host ou situações parecidas, é uma boa ideia aproveitar essa oportunidade para migrar de vez o endereço, host e também chave de segurança do seu site.

Guia rápido para mudar o endereço do seu site

Você não pensou que a gente ia te deixar com as mãos abanando e tendo que se virar sozinho para ler todo o guia oficial do Google não é mesmo? Por isso vamos resumir um pouco o guia deles e colocar um passo-a-passo.

Fique ligado então na forma de mudar o endereço do seu site impactando o SEO o mínimo possível:

O que é uma mudança de endereço nos olhos do Google?

A empresa só considera uma mudança de endereço caso a URL mude.

Se o seu site se chama //www.meusite.com , caso você mude de provedor mas não mude o endereço, ele não vai ser afetado.

Só existem 3 situações que são consideradas uma mudança de endereço.

  1. Quando o protocolo de segurança muda (de http para https)
  2. Quando o domínio muda (de .com para .net)
  3. Quando a URL de um link muda (exemplo.com/página para exemplo.com/novonome)

Migrando de HTTP para HTTPS

mudança de endereço

No caso da migração da chave de segurança, é muito mais fácil fazer uma mudança no site. Tudo que você precisa fazer é ir para o Search Console do Google, abrir o menu na engrenagem dentada, e lá clicar em mudança de endereço da empresa então vai pedir seu endereço novo e logo começar a indexar ele.

No primeiro momento você deve esperar um certo impacto no seu tráfego mas segundo eles não deve ocorrer uma queda muito grande.

Se você quiser verificar o artigo oficial você pode clicar aqui.

Conclusão do SSL e HTTPS

Como a empresa mesmo disse, a diferença entre o HTTP e o HTTPS não é um fator de MUITA influência no rank. Porém caso queira adotar o SSL para gerar uma pequena melhora na quantidade de tráfego no seu site e estar na frente da concorrência é uma boa oportunidade pois não é absurdamente caro (cerca de R$80/ano) e alguns provedores já disponibilizam chaves SSL de forma gratuita, sem cobrar nada pelo serviço desde que você tenha um site hospedado no servidor deles.

Apesar disso, a diferença não é muito grande e o novo protocolo garante tanto a segurança dos usuários quanto a do seu website também.

Caso você não tenha um endereço com muitas visitas e links, não há problema algum em mudar o certificado de segurança enquanto ainda há tempo.

Como o volume de buscas é determinado nas ferramentas de SEO/SEM?

Spread the love

Volume de Buscas Google

Na hora de trabalhar com Links Patrocinados e SEO a gente sabe a importância dos volumes de busca que os sites nos dão, mas você sabe exatamente como que eles calculam esse número?

Em nosso artigo vamos te explicar como as empresas fazem a matemática das palavras-chave que são buscadas.

Você vai descobrir que até mesmo o Google, a gigante da internet que é responsável em calcular os próprios números, às vezes também acaba errando um pouco na conta.

Como eles calculam o número de buscas?

Saber o número de pesquisas é uma das métricas mais usadas na hora de escolher uma palavra-chave ou até mesmo argumentar a importância de uma campanha e de alcançar o primeiro lugar.

Com o lançamento de novas ferramentas para Marketing Digital, às vezes o número de pesquisas acabam aparecendo diferente em ferramentas diferentes. Muitas delas discordam até mesmo do Planejador de Palavras-Chave que é a ferramenta oficial do Google.

O engraçado é que a maioria das ferramentas retira a informação diretamente do Planejador de Palavras-chave do Google. Mas se todas usam a mesma fonte, por que os números são diferentes?

O número oficial da Google é a quantidade média de pesquisas anuais, elas são recalculadas todo mês.

Como os softwares de Links Patrocinados usam bilhões de palavras-chaves e elas precisam ser atualizadas de forma pouco automáticas, fica difícil atualizar o número de visitas todo mês.

Logo, as ferramentas vão demonstrar números diferentes do Planejador do Google porque elas não conseguem se atualizar tão rápido quanto os dados oficiais da empresa.

Qual a assertividade do volume de buscas do Adwords?

Todo mundo iria amar se soubesse que o número que estão usando é exatamente o certo, não é mesmo? Mas até mesmo o Google deixa essa questão um pouco em aberto. Não tem como ter certeza.

A definição oficial do volume de buscas é mais ou menos o seguinte:

“A média anual arredondada de número de pesquisas para essa palavra-chave e as variáveis baseadas no seu alvo e na data escolhida. Você pode usar essa ferramenta para ver a popularidade de um termo de busca durante um período do ano”.

Vamos então analisar de forma mais próxima a definição oficial.

Média anual. Como a média é calculada pelo número de pesquisas anuais, o que afeta muito a estratégia.

O termo “natal” é pesquisado 201,000 por mês no Google, mas isso não é bem verdade. A média mensal é mais ou menos 80,000, mas como em dezembro dá um pulo para 1 milhão de busca, o número anual de buscas divididos por 12 é de 201,000.Buscas de natalVolume de Buscas Natal Dezembro

Ou seja, se você fizer um site focado nessa palavra chave esperando 201,000 visitas por mês isso não vai acontecer, mas é possível que durante o Natal o número pule para milhões.

Por isso é importante olhar o número de buscas mensais, clicando em mês por mês, em vez de ver o número geral que eles te fornecem.

O arredondamento. Como eles aumentam um pouco o volume mensal para deixar os números redondos, isso acaba afetado a realidade também. Se um termo é pesquisado 243 vezes por mês, eles vão adicionar 7 buscas para fechar 250 mensal, isso multiplicado por 12 dá um total de 84 pesquisas que não ocorreram.

Previsão de Desempenho. No Planejador de Palavras-chave também é possível achar o Previsão de Desempenho que vai te dizer mais ou menos quantos cliques são possíveis atingir com aquele termo de busca. Para acessar, você precisa adicionar uma palavra-chave, depois de adicionar ao plano, na parte direita clicar em plano de análise.Tutorial Plano de Análise

O problema é que essa ferramenta do próprio Google também demonstra um volume de buscas diferentes do Planejador. Abaixo a previsão de desempenho para natal.Previsões de desempenho

Como você pode ver, a quantidade de buscas que são feitas mensalmente no Google não são iguais em nenhuma ferramenta, nem as oficiais, logo, é um assunto um pouco obscuro saber o número certo.

Qual a melhor forma de lidar com o volume de buscas?

Se existe uma variável tão importante que não sabemos ao certo como que é calculada pela Google e que aparece com números diferentes em várias ferramentas, como devemos pensar o volume de buscas na hora de fazer uma campanha?

Primeiro é importante pensar que uma das alternativas é relaxar um pouco. Se um termo é pesquisado 100 mil vezes mensalmente, será que 100 ou 200 pesquisas a mais que eles usaram para arredondar que vai destruir sua campanha?

De forma geral, apesar dos números não serem iguais em todas as ferramentas, eles não costumam ser extremamente diferentes e os valores são bem parecidos nas diversas plataformas.

É importante saber também que o volume de buscas maior nem sempre é o melhor para um site. Quando a concorrência é muito alta, um termo que é pesquisado muitas vezes pode gerar menos do que um que tem um volume de buscas baixo mas muito menos concorrência.

Por exemplo, se só procuram “passarinho mudo” mil vezes por mês mas você for o único a escrever um artigo focado na rara espécie de passarinhos mudos, você vai receber toda as visitas. Agora, se procuram “canário” 100 mil vezes e existem 10.000 artigos sobre, fica muito mais difícil conseguir mil visitas.

Esse exemplo é apenas uma simplificação geral da ideia de concorrência e competição que existe quando pensamos em palavras-chave.

Sua campanha tem que levar em conta o volume de buscas, claro, mas a pequena diferença que aparecem nas plataformas não é o que vai garantir o sucesso dela ou não.

Conclusão sobre o volume de buscas

O Google e as empresas que fornecem ferramentas para Links Patrocinados e SEO costumam ser muito atualizadas e estão sempre procurando melhorar as estatísticas, números que compartilham com os usuários e assim por diante.

A tendência é que o número de buscas se torne cada vez mais preciso e que os dados se aproximem sempre da realidade, mas como falamos, não é esse o fator que vai fazer sua campanha atingir muitas pessoas ou não.

Uma campanha de Marketing Digital envolve muitas variáveis que vão desde quanto dinheiro você tem para investir até o seu mercado, sites parceiros e assim por diante.

Então não se intimide ou fique desanimado sabendo que o volume de buscas não é exatamente o correto, continue usando as ferramentas oficiais do Google e temos certeza que a diferença no número de visitas vai ser tão irrisório quanto a mudança de número que eles fazem para arredondar a visita.

Esperamos que esse artigo tenha esclarecido um pouco a quantidade de erros que existem no volume de buscas em todas as ferramentas e também nos dados oficiais.

Atualização do Google Speed para SEO e Adwords

Spread the love

Em Fevereiro/2018 o Google lançou o update que ficou conhecido como o Google Speed que mudou algumas variáveis na hora de fazer o rankeamento dos sites nas buscas orgânicas do Google. Você já sabe quais são os impactos desse update para você e seu site? Fizemos um artigo especial.

Google Speed Update

O que foi o Google Speed Update

Nessa atualização o Google mudou o foco do rankeamento para o tempo que as pessoas gastam em um site como uma das principais variáveis, especialmente para os usuários mobile. Segundo estudos do Google “Speed Matters“, a velocidade conforme a velocidade de carregamento de uma página se torna mais lenta os usuários tendem a passar menos tempo em seu website (confira o artigo em inglês aqui)

Significa que agora não é só uma questão de ter um conteúdo de qualidade, você precisa prender seus leitores por bastante tempo para conseguir fazer com que seu site apareça de forma orgânica.

Se você acha que os usuários mobile e as mudanças feitas para esse público não são importantes, vamos te dizer porque você está errado.

A importância do público mobile

Em 2016 o número de usuários mobile passou a quantidade de usuários que acessam sites através de computadores.

Se o seu site não está otimizado para usuários mobile você está perdendo uma quantidade de visitas absurdas.

Alguns especialistas apontam para um crescimento de 35% no número de visitas gerais em um site quando ele é otimizado para mobile.

Agora vamos ver o Google Speed de forma mais profunda para entender como montar uma boa estratégia de SEO.

A atualização do Google Speed em profundidade

Google Speed Mobile

Muitas pessoas devem estar pensando: “Ué, mas o Google sempre usou o tempo gasto em uma página como um dos fatores de rankeamento”. Isso é verdade, mas ele nunca foi um fator para os usuários mobile (ou nunca foi abertamente).

A forma que o Google Speed vai te afetar depende muito do seu mercado e também a velocidade dos seus competidores em responder à atualização da empresa.

Quem fizer as mudanças necessárias para atender melhor os usuários que acessam o site através de celulares e tablets vai ficar na frente. Quem fizer isso e tiver um conteúdo que prende o cliente vai ficar ainda melhor.

Apesar disso, como diversos fatores que o Google usa para fazer o ranking, eles não abrem exatamente o quanto cada minuto gasto por cada visitante vai impactar o seu site.

Ajustando seu site para ter o melhor SEO depois do Google Speed.

Para seu site ficar mais atraente para o público mobile e fazer ele gastar mais tempo no seu site, fizemos uma lista com algumas dicas gerais que você pode seguir.

Pense no Design. A maioria dos sites precisa ter duas versões: uma desktop e outra mobile. Muitos templates e provedores online já dão essa opção na hora de criar o design geral da sua página. Tenha um enfoque no design da página também para os usuários de dispositivos móveis.

Pense no carregamento da página. O Google tem uma ferramenta oficial que você pode acessar clicando aqui para testar a velocidade de carregamento da sua página. Como muitos usuários vão acessar o site em conexões móveis, quanto mais rápido suas páginas carregarem mais visitantes você vai conseguir.

Ative o AMP. Muitos sites tem uma opção AMP (Accelerated Mobile Pages), ao ligar ela suas páginas vão automaticamente melhorara a performance para usuários de dispositivos móveis.

Google AMP

Pense nas palavras-chaves e artigos. Como o tempo passado lendo um artigo vai fazer muita diferença na hora do seu site subir no rank, é uma boa idéia pensar em artigos que tem um ótimo conteúdo e que respondam de forma geral e relevante a pergunta dos seus clientes. Pense em um equilíbrio perfeito entre quantidade e qualidade.

E o Adwords como fica?

Google Adwords

Lembra que falamos que esse update também afeta o Adwords? O Google não fez nenhuma declaração oficial sobre o assunto mas tudo aponta que o tempo agora também vai entrar no índice de qualidade do Adwords.

Em nossos artigos sobre SKAGs já levantamos a importância que o índice de qualidade tem para os seus anúncios. De forma geral eles trazem muito mais visitantes e vendas gastando bem menos.

Mesmo que você pague para seu site aparecer para um cliente, o tempo que ele gasta no site também vai impactar no seu índice de qualidade que é muito importante para aumentar os seus resultados à longo prazo.

Quando você for fazer um anúncio, avalie se a página que o seu cliente vai entrar está dentro desses padrões:

  • Conteúdo relevante para a palavra-chave que ele procurou.
  • Tenha um design que passe confiabilidade.
  • Fácil navegação.
  • Tempo curto de carregamento.

Se essas quatro variáveis estejam em um nível satisfatório, tudo aponta que seu cliente vai clicar no anúncio, gastar um bom tempo no seu site e aumentar o seu índice de qualidade.

Conclusão sobre a atualização do Google Speed

Essa atualização só veio para comprovar algo que já estava se demonstrando a muito tempo: os usuários de dispositivos móveis vão ser cada vez mais importantes e é preciso dar uma atenção especial para esse público.

Para isso é preciso que a sua página seja otimizada tanto no design quanto no tempo de carregamento para esses usuários que tem algumas necessidades e características especiais.

Além disso, o tempo que os usuários gastam no seu site agora se tornaram ainda mais importante do que nunca e o seu conteúdo precisa ser de boa qualidade.

Como todos os fatores de rankeamento do Google, tudo pode ser traduzido em duas palavras: otimização e qualidade.

Se você carregar essas duas palavras com você na hora de fazer suas campanhas de links patrocinados, páginas na internet, redes sociais e assim por diante, as chances de resultados positivos vão ser sempre maiores.

Como usar a ferramenta disavow do Google?

Spread the love

O Marketing Digital e o SEO são cheios de estratégias e segredos, uma das ferramentas menos usadas é o disavow do Google, vamos explicar para você o que é e como usar ela de forma eficiente.

Disavow

Existem algumas razões para você utilizar a ferramenta de disavow de links (acesse aqui) do Search Console, como por exemplo, ação manual do Google, detecção de links anormais direcionados ao seu website, sites de conteúdos “ruins” linkando ao seu site, etc.

A importância de um link para SEO

Quando algum site faz um link que direciona para o seu site, isso é chamado de backlink. Ter uma quantidade boa de backlinks é uma forma de garantir que o índice de autoridade do seu site está alto no Google e que a ferramenta está vendo seu endereço com bons olhos.

Mas já pensou se você recebe um backlink de um site que pode te prejudicar ao tentar ligar o nome deles ao seu? Pense em sites com os de conteúdo adulto, apostas online, polemistas ou similares. Ninguém quer ter o nome ligado a esse tipo de conteúdo.

O Disavow é uma ferramenta do Google que deixa você criar uma “lista negra” de sites que você não quer que linkem para o seu, protegendo assim sua reputação e também melhorado a qualidade do seu SEO.

A visão do Google sobre o Disavow

Na hora de usar a ferramenta, você vai receber uma mensagem de alerta do Google explicando que o Disavow deve ser usado com cuidado e que usar de forma indiscriminada pode acabar causando danos para o seu SEO.

Pode ficar calmo, o Google apenas faz esse tipo de aviso porque eles preferem que você tente remover o link (mandando um e-mail para o dono do site por exemplo) antes de colocar o site na sua lista negra.

Resumindo, na visão deles é melhor que você apenas proíba o site de linkar para o seu como última opção e não de forma constante.

Boas práticas para usar o Disavow

Como é uma ferramenta que precisa ser usada com um certo discernimento e envolve muitas boas práticas, vamos te mostrar alguns motivos corretos para se usar o Disavow de forma eficiente.

Antes de tudo, vale ressaltar novamente, que o Google sugere que, para que seja removido um link tóxico de seu site é recomendado entrar em contato com o webmaster desse site para solicitar a remoção desse link.

Se você só colocar um site na sua lista negra seguindo essas boas práticas que vamos listar, com certeza vai conseguir usar essa opção sem despertar a ira do Google e vai blindar seu site contra backlinks desfavoráveis.

Bloqueie o site caso ele seja desfavorável nos olhos do Google

Se você der uma olhada os requisitos para ser aceito no programa do Adsense por exemplo vai ver que existem muitos tipos de conteúdo que não são aceitos no programa e que o Google não quer ter o nome relacionado com.

Sites de conteúdo adulto, apostas, bebidas e cigarros, narcóticos, etc. Além disso, sites que são feitos para dar golpes ou que possuem vírus estão fora de questão também.

De forma geral, qualquer site com conteúdo exclusivamente 18+ e que vão contra a lei e o bom senso são vistos de forma negativa.

Caso você receba um backlink de qualquer site que segue uma dessas características, o melhor é colocar ele na sua lista de Disavow.

Bloqueie caso você esteja recebendo backlinks de um bot

É bem possível que um bot esteja criando links para o seu site sem que você tenha contratado o serviço, algumas poucas vezes esse tipo de ocorrência é comum.

O Google não vê com bons olhos backlinks criados de forma falsa, especialmente se o site tiver conteúdo duvidoso.

Caso você esteja sendo linkado por um bot ou em algum site que tem muitos links mas quase nada de conteúdo, colocar ele na lista negra sem piscar duas vezes é uma boa idéia

Primeiro tente remover de forma manual

Adicionar diversos links para sua lista negra pode transparecer um pouco de desleixo ou autoritarismo da sua parte para o Google, ainda mais se for de um site que está dentro dos padrões de uso deles.

Para todos os casos o melhor é você tentar remover o link de forma natural, entrando em contato com o webmaster antes de usar o Disavow.

Tente fazer da seguinte forma: localize o link que você quer retirar, entre na parte de contato do site, envie um email para o webmaster e espere 10 dias para que ele te responda, caso ele não remova o link ou não responda coloque ele no Disavow.

Crie uma lista de Disavow organizada

A próxima parte do nosso artigo vai falar de como fazer o arquivo de Disavow que você precisa mandar, mas uma boa idéia é você fazer um registro geral dos motivos pelo qual aquele site está na sua lista.

Você pode botar frases entre o endereço do site explicando um pouco o histórico e o motivo pelo qual bloqueou aquele link. Algo como no exemplo:

# site com conteúdo impróprio me linkou, mandei email e não responderam

# vou bloquear por se tratar de conteúdo negativo

//www.SiteNegativo.com.br/artigos/link.html

Criando sua lista de Disavow

Caso um site ou vários sites estejam dentro dos casos anteriores e você já tenha tentado entrar em contato com os que parecem ser proveitoso tentar, está na hora de criar sua lista de Disavow e enviar para o Google.

Quem usa os serviços da empresa está acostumado com tudo automatizado não é mesmo? Mas o Disavow é um pouco diferente, você precisa manualmente escrever em um arquivo .txt e enviar para empresa.

O arquivo deve seguir essas instruções:

  • Crie um arquivo .txt
  • A codificação deve ser UTF-8 ou 7-bit ASCII
  • Cada linha deve conter apenas um link ou site
  • Caso você queira bloquear um domínio, você precisa escrever “domain:” antes. (exemplo: domain:siteruim.com)
  • Na hora de gravar os motivos e também seus esforços para retirar o link, você deve colocar uma # antes de cada linha

Veja um exemplo da lista com diversos links e domínios:

#tentei falar com o dono mas ele não respondeu, site com conteúdo impróprio

Domain: gatasrj.com

#site suspeito que linkou meu site em um artigo de sites com vírus sem prova #alguma

//www.siteruim.com/artigos/sites-brasileiros-que-tem-virus

Para enviar a lista siga esses passos:

  • Entre na sua conta Google
  • Vá em “Disavow tool”
  • Selecione seu site
  • Clique em “Disavow Links”
  • Envie o arquivo TXT que preparou

Conclusão sobre o Disavow

Se o seu site vem sofrendo com links de baixa qualidade, bots e também artigos caluniosos, usar a ferramenta do Disavow pode ser uma ótima forma de controlar os efeitos negativos que esse tipo de situação pode ter para seu SEO.

Por isso, lembre bem desse artigo e também as boas práticas que estão relacionadas com a ferramenta para usar ela de forma eficiente e parar de perder rankeamento SEO por conta de terceiros.

 

O que é o Schema e porque ele é importante para seu SEO

Spread the love

O Schema pode ajudar o Google a identificar conteúdo do seu site e isso pode ter um impacto em SEO e no posicionamento do seu site nos mecanismos de buscas. Continue lendo nosso artigo onde explicamos como isso pode aumentar a visibilidade do seu site.

O que é o Schema?

Schema

O Schema é um tipo de microdata que pode ser encontrado em Schema.org e uma vez adicionado no site da sua empresa cria uma descrição melhorada da página que aparece nos resultados de busca (como nos snippets estruturados da posição zero do Google) e também aumenta o seu rankeamento geral.

Com empresas como Hummingbird e RankBrain se tornando cada vez mais importantes, o resumo das páginas está se tornando cada vez mais importante para SEO. O Schema faz uma interpretação geral do contexto e também da qualidade da descrição da página.

No próprio site eles explicam um pouco o objetivo:

“A maioria dos Webmasters conhecem as tags HTML nas páginas. Você escrever <h1>Avatar</h1> faz os sistemas de busca acharem a palavra “Avatar” no título da página, mas isso não é o suficiente para dizer para aquele sistema se você está falando do filme Avatar 3D ou um outro significado da palavra. Isso faz com que seja difícil o sistema reconhecer sobre o que sua página está realmente falando sobre.”

O rank do meu site vai melhorar caso eu use o Schema?

Schema e SEO

Não existe nenhuma evidência geral que uma microdata como o Schema vai melhorar o rankeamento da sua página.

Apesar disso, a maioria das páginas que tem as melhores pontuações em sistema de busca usam algum tipo de microdata parecido com o Schema, o que aponta para uma possível relação entre os dois.

A boa notícia é que, apesar das evidências apontarem para uma possível melhora no rank da página, apenas uma pequena parte dos sites utiliza algum tipo de microdata para facilitar a leitura dos sistemas de busca.

Isso significa que o Schema pode ser uma oportunidade de ficar na frente da concorrência.

Usando o Schema nas suas páginas

A microdata é uma forma dos sistemas de busca lerem sua página muito melhor, é um implemento fácil e rápido de fazer no SEO que é perfeito para iniciantes por ser muito fácil de fazer.

Antes de adicionar o Schema às suas páginas, é preciso que você saiba o “item type” do conteúdo em seu site. O “Item type” nada mais é que o assunto geral que sua página trata. Ela fala de culinária? Música? Tecnologia?

O código da sua página provavelmente é algo assim:

<div>
<h1>ReceitasMaster</h1>
<h2>Melhor fonte de receitas online!</h2>

<p>Veja nossa lista de receitas: </p>

</div>

Tudo que você precise fazer agora é adicionar qual é esse item na parte que está escrito div, o código vai ficar algo parecido com isso

<div itemtype=//schema.org/recipe>

<h1>ReceitasMaster</h1>
<h2>Melhor fonte de receitas online!</h2>

<p>Veja nossa lista de receitas: </p>

</div>

Lembrando que o Schema apenas tem acesso a alguns tipos de assunto e que eles são todos em inglês, você pode verificar qual é o tipo de assunto que mais está dentro do conceito do seu site acessando esse link aqui.

Verifique bem a lista antes de adicionar o Schema porque talvez ele trate de um assunto que não é especificado.

Você também vai precisar usar o “itemprop” que denota a propriedade de um item. Como por exemplo

<h1 itemprop= “nome”>ReceitasMaster</h1>

Você pode adicionar essas tags em todo o resto da página para identificar as propriedades dos itens. Não é necessário que o processo seja repetido em toda página que existe no site, apenas uma vez para cada item.

Por exemplo, você não precisa fazer isso para toda vez que o nome do site aparecer, apenas uma vez.

Se você tem dúvidas de quais itens precisa marcar e qual código utilizar na hora de marcar eles, você pode visitar essa página oficial do Google que ensina como marcar os dados estruturais do seu site.

Com essa ferramenta só é necessário que você escolha o assunto ou o item que quer marcar, ele vai gerar o código e você só precisa copiar e colar.

Usando RDFA

RDFA é a sigla em inglês para Resource Description Framework in Attributes, que nada mais é que uma ferramenta criada para facilitar que usuários de HTML5 possam marcar a informação estrutural de forma mais fácil.

O RDFA é considerado recomendado para todos os sites, é visto como uma das boas práticas de um site padrão de qualidade.

Esse sistema é muito parecido com as microdatas como o Schema.org e também precisam ser utilizados no código-fonte da página.

Você pode acessar aqui a página oficial da tecnologia RDFA.

Assim como o Schema é necessário achar o assunto que sua página trata especificamente, mas ao invés de usar uma URL você vai usar apenas uma palavra para estruturar o mapa do seu site.

Vai ficar algo mais ou menos assim:

<div itemtype=//schema.org/recipe

Typeof-“recipes”>

Usar o RDFA junto com o Schema é uma forte de aumentar ainda mais a estruturação do seu site e garantir que você está usando dois sistemas ao mesmo tempo para facilitar que ele seja encontrado nos mecanismos de busca.

Para ajudar você a implementar essas duas mudanças no seu site, tanto o RDFA quanto o Schema tem listas e exemplos práticos fáceis para que você consiga ter um HTML muito mais saudável.

Conclusão

Para quem não tem muita experiência com HTML talvez esse artigo tenha sido um pouco confuso, mas para aqueles que estão começando ou que já tem algum conhecimento, esse é um dos passos mais fáceis, práticos e rápidos para melhorar o rankeamento do seu site.

Sabemos que no Brasil ainda existe muito necessário para que as páginas web sejam realmente otimizadas e que sigam uma séria de boas práticas que já são utilizadas lá fora.

Quem gastar tempo com esse tipo de mudança rápida e eficiente acaba ganhando muita vantagem para ganhar mais acessos.

Identificar no código do site o que cada pedaço de texto está dizendo vai facilitar muito para que os sistemas web como o Google Analytics, sitemaps, buscadores, etc, entendam seu site.

Então se você sabe um pouco de HTML ou se está disposto a tomar um passo muito simples, utilize o Schema.org e também o RDFA no seu site para colher as vantagens de estruturar sua página.

 

Como chegar na posição zero do Google?

Spread the love

Posição Zero: Snippets em destaque do Google

Posição zero do Googleposição zero do Google também é conhecido como o “featured snippet” (Snippets em destaque), uma posição de destaque que aparece antes de todas os resultados da pesquisa orgânica do Google, ficando apenas abaixo dos links patrocinados.

Quem quer receber a maior parte dos acessos para uma palavra-chave vai sempre querer estar nesse espaço privilegiado da pesquisa, que resulta em mais visitas e cliques do que todas as outras.

A Google já deixou clara que essa nova modalidade vai ser cada vez mais comum e que tudo faz parte de uma “estratégia maior para providenciar informações úteis de várias fontes diferentes”. Ou seja, os profissionais e sites que trabalham com SEO precisam entender de como chegar bem nessa posição porque ela é uma tendência.

Então se você está querendo melhorar o posicionamento da sua página no Google, leia nosso artigo para entender melhor como aumentar as chances dela ser escolhida para a posição zero.

O que é a posição zero (Featured Snippet)

SERP Posição 0

Em todo lugar você vai ouvir como é importante chegar na primeira página e ainda melhor quando você fica na primeira posição. É esse o lugar que todos os sites querem estar! Certo?!

Melhor do que a primeira posição é a posição zero, também chamado de Featured Snippet.

É claro que chegar na primeira página e posição é importante, mas a que realmente vai gerar mais visitantes e cliques para o seu site é a posição zero.

Por se tratar de uma posição relativamente nova e também muito disputada, chegar lá pode ser um pouquinho mais complexo e difícil do que apenas ter uma boa página com bons textos.

O nome “snippet” significa uma pequena parte do código de uma página. Esse termo é usado porque o Google adiciona tanto texto quanto a imagem do post na posição zero.

O que essa oportunidade significa para o seu site

Por todo canto se fala da primeira posição, mas e da posição zero?

Para elucidar também como essa oportunidade pode ser boa para você, vamos falar também um pouco das vantagens de conseguir esse lugar no ranking.

Os snippets costumam ser focados em localizar tabelas e também listas, logo são perfeitos para sites que tem tutoriais, informações que envolvem tabelas e números.

Uma pesquisa feita descobriu que os assuntos mais comuns dessa posição são:

  • Financeiro
  • Matemática
  • Tempo
  • Status
  • Listas
  • Requerimentos
  • Saúde
  • Tutoriais

Se você trabalha com marketing de conteúdo, a grande dica é tentar criar um artigo que segue um desses assuntos para chegar na posição zero.

Caso o seu objetivo seja aumentar o número de visitas em um site, fazer alguns artigos que utilizam listas, tabelas com informações, tutoriais e parecidos pode ser uma boa oportunidade.

Dificilmente essa posição vai ter coisas como informações de contato, lojas, imagens sem texto ou vídeos. Ou seja, artigos mais gerais nem sempre vão conseguir ficar no ranking zero, apesar de serem perfeitos para a primeira posição.

Um dos problemas desse ranking é que ele muda constantemente e sua página pode ficar na posição zero por apenas algumas semanas até perder a colocação, as mudanças constantes são comuns.

Uma boa ideia é ficar de olho e monitorar os snippets que ficam nessa posição para as palavras-chaves que você quer dominar, assim você tem uma ideia geral de como formatar o texto e a página para ganhar esse rank.

Chegando na posição zero

Agora que você conheceu um pouco mais sobre o featured snippet deve estar pensando qual é a melhor forma para colocar seu site nessa posição e conseguir todos os cliques não é mesmo?

Ter esse lugar de destaque não é tão diferente dos outros que o Google te proporciona e tudo começa com a velha técnica de escolher uma boa palavra-chave.

Algumas das variáveis dessa posição são:

  • Palavras-chaves com alto índice de busca costumam ser mais presentes na posição zero
  • Frases grandes com seis ou mais palavras costumam ser mais frequentes
  • A principal função da posição zero é responder perguntas de forma rápida então a maioria das frases e palavras-chaves vão ter: como, onde, quando, custo, cozinhar, como fazer, fazer, melhor forma de, formar, causas, etc
  • Procure então focar em perguntas. Se você trabalha com produtos naturais, foque em  pesquisas e perguntas que seus clientes fariam. Como no exemplo abaixo:

SERP Posição 0 Goji Berry Fruta

Temos uma dica especial que vai colocar você na frente dos concorrentes.

O site answerthepublic.com vai te mostrar as principais perguntas relacionadas com uma palavra-chave. Você pode colocar “goji berry” e descobrir todas as perguntas que fazem utilizando esse termo.

Perguntas Goji Berry

No momento a interface do site utiliza apenas termos em inglês mas oferece uma opção para perguntas em português.

Os sistemas mais clássicos de procurar termos como o Planejador de palavras-chave do Google ou o Moz Keyword Explorer também são boas opções para achar as perguntas que estão sendo feitas, dessa vez com mais foco nas perguntas brasileiras.

Aumentando suas chances de chegar na posição zero

Já deu para ver mais ou menos como o featured snippet funciona e agora podemos traçar alguns pontos gerais para aumentar suas chances de chegar nessa posição.

Você pode utilizar essas técnicas e uma página que já existe no seu site ou criar uma especial para tentar chegar na posição.

Algumas características que você deve usar na hora de criar ou mudar a página:

  • O conteúdo precisa responder de forma satisfatória e clara a resposta que seu público vai procurar
  • O código precisa ser bem limpo e claro para que o Google possa entender facilmente o que você está respondendo e achar as palavras-chaves
  • Verifique sempre a satisfação do público com o conteúdo que achou, avaliando estatísticas como a quantidade de vezes que o link foi compartilhado, comentários e similares

Existe uma certa “receita de bolo” que você pode seguir na hora de criar o conteúdo pensando na posição zero:

  • Repita a pergunta que a pessoa está fazendo logo no começo do seu artigo ou até no título
  • Responda de forma direta e clara exatamente a pergunta que a pessoa tem
  • Depois de responder a pergunta entre com dados explicando sua resposta, imagens, e todo tipo de coisa que possa aumentar a autoridade da resposta, interesse do seu público e assim por diante.
  • Comece respondendo logo de cara, depois dê algumas informações e detalhes importantes e por último entre com informações mais gerais, relações, etc.

A parte do código também é importante e você deve seguir essas boas práticas para aumentar as chances de chegar na posição de destaque:

  • Coloque a pergunta no título ou como H1
  • A resposta não deve passar de apenas um parágrafo
  • Verifique se o parágrafo na parte HTML do texto está realmente usando o tag certo que é <p>
  • Coloque o parágrafo com a resposta logo abaixo do H1 com a pergunta
  • Tenha como objetivo uma resposta que tenha de 40 a 55 palavras.
  • Formatos em HTML <li>, <ol> e <ul> podem ajudar caso a resposta seja processos

De forma geral a parte HTML não é tão complicada assim, tudo que você precisa fazer são as boas-práticas já conhecidas do SEO que envolvem usar as palavras-chave nos títulos e também garantir que o HTML do texto está dentro do padrão e que não houve nenhum erro.

Apesar de tudo, técnicas SEO não são em si uma receita de bolo perfeita, o que você deve focar é criar um conteúdo que tenha um alto nível de qualidade e agrade o seu público para que seu índice de qualidade aumente e você chegue organicamente na primeira página.

Uma pergunta que muitas pessoas fazem é “Tenho um artigo na primeira posição, preciso também ter um featured snippet?”

Essa questão é um pouco difícil de responder porque no geral os postos em primeiro lugar recebem 30% dos cliques de uma pesquisa, o snippet cerca de 8% e o resto é dividido entre os posts da primeira página.

Mas de forma geral a tendência é que os usuários comecem a ver cada vez mais a posição zero como a de principal importância e que ela domine a maior parte dos cliques no futuro.

Conclusão sobre o Featured Snippet

Vamos agora então fazer um resumo geral para fechar bem esse assunto e resumir um pouco as ideias gerais para você colocar seu site em uma das posições mais procuradas e lucrativas do Google.

Essa posição é muito mais comum para responder perguntas, a grande lógica então é procurar as perguntas mais frequentes, criar conteúdo de alta qualidade como resposta e criar páginas e artigos com isso em mente.

De forma geral a ideia é essa e nas outras partes do artigo você pode dar uma olhada nos detalhes que vão garantir que sua empresa vai aumentar o tráfego e conversão do seu site.

Esperamos que esse artigo tenha sido útil para você entender melhor o que é a posição zero do Google e que isso traga muito mais resultados para sua empresa!

 

 

 

SEO O que é Search Engine Optimization?

Spread the love

Com o crescimento do Google e outros mecanismos de buscas, a prática de SEO tornou-se muito procurado pelas empresas. Nesse tópico iremos abordar sua importância para sua empresa.
SEO

Hoje em dia um dos maiores desejos das empresas que investem em marketing digital é alcançar as primeiras posições nos resultados das buscas orgânicas do Google. Isso porque o bom posicionamento, além de estar associado à qualidade do site (não sites que ocupem as primeiras posições são necessariamente de sites de qualidade), influencia diretamente na atração de clientes para a empresa e no aumento do número de vendas.

Mas apenas ter um site na internet está bem longe de ser o suficiente para garantir essa posição de destaque. Para isso é preciso investir em estratégias específicas que otimizem os resultados nas pesquisas e garantir que sua empresa aparecerá quando alguém realizar uma busca sobre um assunto relacionado.

Muitas empresas já descobriram isso e a concorrência está cada vez mais intensa na internet.

O que é SEO?

Fonte: UOL

SEO é a sigla em inglês para Search Engine Optimization, ou otimização para mecanismos de busca orgânica. São técnicas utilizadas nos sites com o objetivo de tornar a página ou as publicações de um blog visíveis para o Google e, além disso, relevantes às pesquisas realizadas pelos usuários na ferramenta de busca.SEO Otimização

A otimização de um site ou publicações sempre tem como objetivo final aumentar o tráfego orgânico (não pago) de clientes interessados nos produtos ou serviços que a empresa oferece e também aumentar a autoridade do negócio no mercado, gerando ainda mais destaque entre seus concorrentes.

Como funciona a busca orgânica do Google?

Desde que nascemos todos nós fazemos escolhas, optando por alguns caminhos e desprezando outros. Para realizar essas escolhas diárias todas as pessoas criam formas de classificar as coisas e assim conseguem decidir qual opção é melhor ou mais adequada ao momento ou situação enfrentada.

Se na vida em geral acontece dessa forma, na internet não poderia ser diferente. Ao longo do tempo mais e mais empresas criaram suas presenças digitais através de sites, blogs ou e-commerces, e estabeleceram a concorrência sobre a audiência dos consumidores na web.

Diante das dificuldades encontradas e do potencial imensurável da internet, surgiram os mecanismos de busca para organizar as informações. Ferramentas capazes de entender as necessidades dos usuários e oferecer automaticamente as melhores opções de sites para suas pesquisas.Google

A inteligência dos mecanismos de busca é baseada em algoritmos que atendem indicativos de qualidade previamente determinados. Cada site é avaliado de acordo com esses indicativos e recebe um peso relacionado às consultas.

Quando um site ou publicação atinge bons resultados nos indicativos de qualidade elencados pelo mecanismo de busca, ele aparece melhor posicionado nos resultados de uma pesquisa efetuada por um usuário sobre o assunto relacionado.

Quais são os fatores de rankeamento do Google?

O Google não disponibiliza o algoritmo que utiliza para rastrear as páginas e ordenar nas suas SERPs (páginas de resultados dos mecanismos de buscas), até porque senão, todos estaríamos utilizando para colocar o site na primeira página, não?
Ainda assim, é possível identificar quais características são mais propensas a conseguir um posicionamento melhor nos mecanismos de buscas analisando a correlação entre as posições e as características em comuns desses sites que ocupam as primeiras posições.

Fatores SEO
O Google constantemente faz ajustes em seus algoritmos para melhorar a experiência e precisão do seu mecanismo de busca mas apesar disso, existe uma classificação que pode ser definida como os pilares do SEO e dificilmente são removidos do seu algoritmo:

Reputação do site: são ações técnicas que podem ser realizadas no site para melhorar a experiência do usuário. Estão relacionadas ao tempo de carregamento da página, arquitetura do site, etc.

Autoridade do site: são ações relacionadas ao conteúdo oferecido no site considerando a semântica, ou seja, a relevância que o conteúdo disponível no seu site tem para a pesquisa efetuada no mecanismo de busca.

Popularidade do site: está relacionado às referências recebidas de outros sites através de links de redirecionamento, considerando também a qualidade dos links.

Quando uma empresa inicia um trabalho de SEO sem levar em consideração esses fatores, a otimização não funciona e acaba se transformando em um gasto inútil de tempo e dinheiro.

Para a otimização de um site são utilizados conjuntos de regras:

  • SEO Onpage

Os fatores relacionados ao SEO Onpage são as otimizações realizadas propriamente no site. São ações tecnológicas como a velocidade de carregamento da página, adaptação para acesso mobile, URL’s amigáveis, meta tags, links internos, otimização de imagens, etc.

Além dessas, também entram nessa modalidade as otimizações de conteúdo. Sites que demoram a abrir, ou possuem conteúdos repetidos ou sem relevância, que não agregam qualquer valor ao visitante são penalizados, e a penalização é a queda no ranking de resultados do Google.

Uma das formas de avaliação do Google é o tempo de permanência no site, o número de páginas visitadas e a taxa de rejeição, por exemplo. Dessa forma as pessoas que visitam os sites são o termômetro para o Google que monitora cada acesso realizado a partir da sua ferramenta o que torna muito importante que o conteúdo oferecido realmente seja relevante para os visitantes.

O Google preza pela melhor experiência do usuário, e isso significa que todas as ações da ferramenta de busca são direcionadas para oferecer o melhor resultado e para atender a expectativa de quem está realizando uma pesquisa.

Como cerca de 90% das pessoas que realizam pesquisas no Google clicam apenas em resultados disponíveis na primeira página, as chances de alcançar bons resultados orgânicos reduzem a cada perda de posicionamento.

  • SEO Offpage

O SEO Offpage é relacionado às referências realizadas por sites externos, ou seja, são links de redirecionamento de outros sites para o seu. O Google avalia a quantidade de links e também a qualidade, considerando que sites com maiores reputações geram maior pontuação e relevância.

O que são as meta tags?

O conceito de palavra-chave provavelmente você já conhece, mas e o de meta tag?

Metatag

Para entender o que são as meta tags de um site primeiro é preciso conhecer como o Google identifica que uma página pode ser indicada para uma pessoa como resultado de sua pesquisa: através das palavras-chave.

Quando um usuário acessa o Google ele insere no campo de pesquisa um termo ou palavra que representa o assunto do qual ele precisa de informações. Esse termo ou palavra é chamado de palavra-chave e é a base para o ranqueamento do Google.

Mas para que o Google saiba que o seu site está relacionado com um assunto específico, é necessário inserir as palavras-chave relacionadas em campos próprios, nas configurações de SEO da página. Alguns itens são importantes para que o Google identifique a relevância do site e o título e a descrição da página são dois deles, chamados de meta tags.

Meta tags são fragmentos do texto que descrevem o conteúdo da página. Eles não aparecem no site, mas são codificados para a visualização pelos motores de busca. A escolha de um título e descrição condizentes com o conteúdo da página ajuda o visitante a entender o assunto do site.

Meta Tag Título – Deve ser claro e conciso, com foco nas palavras-chave escolhidas para sua página. Adicione um título único para cada página do site para ajudar o Google a diferenciá-las.

Meta Tag Descrição – Insira um resumo do conteúdo existente na página sendo uma ótima maneira de atrair mais visitantes com uma descrição única e concisa.

O que é o Link Building?

Link Building é a parte mais importante do SEO Offpage. Ele gera autoridade para o site e para o domínio fazendo ele se destacar como referência no Google.

Quando um site insere um link de redirecionamento para a sua página, é como se ele estivesse dizendo para seus visitantes que aquela página é relevante e deve ser visitada. Quanto mais referências de outros sites você tiver, maior será a percepção do Google sobre a sua relevância.
É importante apenas verificar se o site que aponta para o seu possui boa reputação, não apresenta penalidades, links quebrados ou outros fatores que podem prejudicar.

Agora você já conhece mais sobre SEO de sites e pode compreender a importância desse recurso para garantir a escalada nos resultados orgânicos do Google e a consequente atração de mais clientes qualificados para sua empresa. Dê uma olhada também em nossa postagem sobre links patrocinados, em que falamos sobre outras estratégias de marketing digital.

Procurar conteúdo

Eventos

Fevereiro

25fev(fev 25)00:0027(fev 27)00:00Traffic & Conversion Summit

Março

08mar(mar 8)00:0009(mar 9)00:00ProXXIma

08mar(mar 8)00:0017(mar 17)00:00SXSW Conference & Festivals

27mar(mar 27)00:0029(mar 29)00:00Conversion XL Live

Maio

30mai(mai 30)00:0031(mai 31)00:00VTexDay

Agosto

28ago(ago 28)00:0029(ago 29)00:00Expo Fórum Digitalks 2019

Setembro

03set(set 3)00:0006(set 6)00:00Inbound 2019

X