O que é CTA? Aprenda a utilizar técnicas para melhorar os seus resultados

o que e cta

O que é CTA (call to Action)? Se você trabalha com marketing digital e pretende atingir o sucesso do seu negócio, saber responder a essa pergunta é de extrema importância.

Isso porque, a partir do momento em que você aprende a utilizar estas técnicas de comunicação, você também aprende a estimular o cliente a converter em seu site.

Portanto, se você quer saber como as calls to action realmente podem ajudar você, descobrir em quais canais podemos utilizá-las e ainda ver exemplos práticos de CTAs que geraram conversões. Não perca nada deste artigo.

O que é CTA?

As CTAs ou, traduzindo para o português, chamadas para ação são textos, imagens e botões que conectam o cliente à sua oferta proposta.

Sendo assim, as calls to action podem ser encontradas em todos os canais digitais ou, para ser mais preciso, nos quais você pretende levar o usuário a um próximo estágio do compra. Ou seja, independentemente de qual for sua estratégia de marketing digital, utilizar estas técnicas é essencial para que os consumidores tenham consciência de qual o propósito da sua campanha.

Então, como elas estão presentes em vários meios, vejas os formatos mais comuns de encontrá-las:

CTA em botões

Uma das chamadas para ação mais tradicionais e eficazes para convidar o usuário são os botões. Isso porque, a partir deles, é possível, dentro da sua página de venda ou prospecção de leads, dar destaque ao seu objetivo de modo que o visitante o identifique facilmente.

Os botões podem ser encontrados de forma isolada ou como um complemento de outros modelos de CTA. Os exemplos mais comuns que podemos trazer são os botões “comprar” nas páginas de produto de um e-commerce, ou chamadas inseridas em um banner / formulário, como mostraremos mais adiante.

CTA em texto

Você costuma se comunicar com seu público através de artigos? Se sim, saiba que você pode aumentar ainda mais a retenção dos visitantes através de transições suaves ao longo do texto.

Assim, utilizar CTAs, como “não perca nada deste artigo”, despertam a curiosidade, motivam o leitor a continuar em seu texto e ainda melhora o SEO, uma vez que o tempo das sessões também aumenta.

CTA em links

Os links estão presentes em boa parte das chamadas: quando criamos um anúncio no Facebook, quando se envia um e-mail marketing ou até quando inserimos links nas imagens.

Mas, assim como as chamadas em texto, focaremos na utilização delas nos blog posts. Isso porque, tanto os links internos, como os externos dentro de um artigo são cruciais na experiência do usuário. Veja os exemplos a seguir:

  • Links internos: Presentes ao longo do texto, eles têm por objetivo manter e fidelizar o leitor do seu blog. Para tanto, são inseridos links de conteúdos relacionados presentes no próprio site. Em nossos artigos, por exemplo, costumamos inserir links para agregar mais conhecimento a você.
  • Links externos: Esses são, geralmente, encontrados aos finais do post e, diferentemente dos internos, tem o propósito de fazer a integração com outros canais. Portanto, os links externos buscam levar, por exemplo, o leitor a acompanhar o seu conteúdo através das redes sociais.

CTA em formulários

Principalmente quando o objetivo for gerar novos leads, utilizar formulários para preenchimento de contato é uma ótima estratégia. No entanto, para que sejam eficientes, eles precisam estar inseridos num contexto que ofereça uma proposta de valor. Ou seja, peça o e-mail ou número de telefone do seu visitante em troca de conteúdo valioso.

Então você pode inserir campos de formulários em landing pages, no rodapé do seu site e, se não quiser ter grande trabalho, ainda pode utilizar plug-ins para a captura de e-mails.

CTA em imagens

Por fim, e não menos importante, você pode fazer chamadas para ação através de imagens. Isto é, utilizar recursos visuais também é uma ótima maneira de levar o público até o próximo estágio do funil.

Pensando nisso, o primeiro exemplo que é uma das maneiras mais comuns de levar o usuário até a conversão: o Google Display. Mas, além dos anúncios, você também pode inserir banners em sua home ou outras páginas, a fim de gerar visitas orgânicas em sua landing page.

As CTAs realmente funcionam?

Até agora nós vimos o que é CTA e as maneiras mais usuais de encontrá-las. Então você pode estar se fazendo uma pergunta: será que a simples atitude de pedir para que o visitante realize uma ação funciona?

Pensando nisso e sabendo que o marketing de conteúdo funciona como uma grande “troca de favores”, traremos ao final do artigo como você pode medir os resultados dessas ações. Mas antes separamos duas condições essenciais para que o usuário clique nas suas chamadas para ação.

  • Quando você oferece conteúdo valioso ao seu público tudo fica mais fácil. Ou seja, se o usuário encontra, em seu site, um conteúdo que agregue informação e conhecimento, naturalmente será criada uma relação de confiança, na qual ele se sentirá seguro e atraído a converter em seu site. O mesmo pode acontecer, caso um visitante com o mesmo perfil sinta-se atraído por seu link patrocinado.
  • Quando você sabe atrair o consumidor até a sua CTA. Isso mesmo, além de oferecer experiência ao usuário, você precisa ter em mente que não basta inserir qualquer botão e esperar que o visitante clique. Existem algumas técnicas comprovadas que trazem mais resultados às suas chamadas para ação. Confira algumas delas a seguir.

O que você precisa saber antes de criar sua CTA?

Conhecer o seu público

Utilizar qualquer técnica de comunicação sem saber com quem você vai falar é um tiro no escuro. Portanto, definir uma persona é essencial e o primeiro passo a ser dado antes de fazer uma chamada para ação. Assim, após conhecer o perfil pessoal e comportamental do seu público, você poderá ter mais assertividade nas dicas que traremos a seguir.

Traçar um objetivo

Geralmente, até por questões de mensuração, traçar um objetivo é a primeira etapa de qualquer estratégia de marketing de conteúdo. Mas aqui, diferentemente da maioria dos casos, só conseguimos definir o nosso propósito se soubermos onde o nosso público está.

Para entender melhor, veja um exemplo: Suponha que você define como objetivo aumentar o número de seguidores no Instagram da sua empresa. Porém, após reunir as informações sobre a sua persona, você descobre que ela prefere conteúdo em texto a imagens. Logo descobre que levá-los ao seu blog é a melhor opção.

Então, para que você não fique quebrando a cabeça sobre qual destino propor para suas calls to action, conheça os mais comuns:

  • Baixar um Ebook;
  • Assinar a newsletter;
  • Vender um produto/serviço;
  • Aumentar a popularidade das redes sociais;
  • Levar leitores ao seu blog;
  • Promover outro site;
  • Compartilhar um vídeo;
  • Realizar um evento.

Analisar o estágio do funil

Bem como definir o perfil da persona, escolher suas calls to action de acordo com o estágio em que cada uma se encontra é imprescindível. Isso porque, uma vez que você conhece a jornada do seu consumidor, é possível entregar uma chamada para ação personalizada para cada um deles.

Ou seja, aos usuários que não tem tanto conhecimento da sua marca e, portanto, leem artigos ou recebem e-mails e anúncios de topo de funil, você pode entregar conteúdo educacional gratuito. Todavia, quando você vai abordar quem já está mais familiarizado com seu conteúdo, você pode utilizar uma linguagem mais técnica e até oferecer seu produto ou serviço.

Atente ao texto

Até agora mostramos as nossas dicas com fins de planejamento. Porém, a partir de agora mostraremos as fases práticas que também alteram os resultados das suas CTAs. Para tanto, o primeiro que citaremos é o texto.

Aqui não queremos focar apenas nas CTAs em texto, tão pouco escolher entre os milhares de verbos no imperativo, como “confira”, “baixe” ou “veja”, algum que gere mais resultados.

Pois, apesar destes elementos também influenciarem no desempenho, a proposta de valor e a forma como conduzimos o texto em nossas landing pages, nos anúncios ou nos próprios artigos que definem a tomada de decisão do visitante.

Escolha um design

“Design não é apenas o que parece e o que se sente, design é como funciona. ” Inspirada nesta famosa frase do Steve Jobs, podemos dizer que, além de se preocupar com o template dos seus botões, links, banners ou formulários, você também precisa pensar na “econtrabilidade” e aceitação deles.

Portanto, para ajudarmos nesta tarefa, trouxemos dois fatores a ser levados em consideração:

Posicionamento

Primeiramente devemos posicionar as nossas chamadas para ação de modo que elas ganhem destaque dentro da página. Mas, além disso, também devemos pensar de acordo com o contexto e propósito da chamada.

Por exemplo, nas situações em que oferecemos conteúdo gratuito, sugerimos colocar seu CTA no começo da página. Porém, quando o objetivo é vender, amadurecer a ideia do consumidor antes de convidá-lo a converter pode ser a melhor prática.

Cores

Principalmente quando quiser fazer suas CTAs através de banners, formulários ou botões, saiba que as cores vão impactar tanto no visual quanto na impressão do usuário. Portanto, crie suas chamadas de maneira harmoniosa, que ganhem destaque na sua página e que não poluam o layout dela.

Para fazer tudo isso você pode contar com a ajuda do círculo cromático, por exemplo. Mas apenas testando e visualizando quais as reações dos visitantes, você vai saber qual a melhor combinação para utilizar.

Faça testes e meça o retorno do seu CTA

Agora que você já seguiu todas as nossas dicas, nós temos certeza que você vai atrair muito mais cliques em suas CTAs. Portanto, se você ainda quer atingir o potencial máximo dela, é preciso fazer testes.

Então agora que você já sabe o que é CTA, quais as maneiras em que eles mais aparecem e até as práticas mais comuns que levam um usuário a converter com elas. Finalizamos este artigo sugerindo o nosso post completo sobre Google Analytics para você aprender a visualizar todas as métricas e fazer seus testes com muito mais precisão.

Plataforma Rotamáxima PS

Ofereça seus serviços e receba pela plataforma.
Contrate o profissional ideal para o seu projeto