Newsletter: O que é e como fazer para a sua empresa.

Com o avanço da tecnologia novas alternativas de distribuição de conteúdo surgiram. Mas, embora estejamos na era das Redes sociais (Instagram, Facebook entre tantas outras), o e-mail, veterano de guerra ainda sobrevive.

Equilibrar conteúdo e oferta é hoje o desafio crucial para a manutenção dos negócios no competitivo mercado digital.

Diante desse contexto, a newsletter, que atua como instrumento de distribuição de conteúdo de valor, auxilia na criação e manutenção do engajamento e aumento da percepção de reputação entre consumidores e marcas.

O que é newslleter?

A newsletter pode ser entendida como uma modernização do conceito de distribuição de conteúdo que as revistas e jornais oferecem.

Embora o avanço da tecnologia nos passe a impressão de que tudo é digital, é possível criar uma newsletter em formato de jornal impresso. Dessa forma, pode ter linha editorial, periodicidade e até mesmo um visual que remeta a uma revista.

Por poder ser enviada via e-mail, termina existindo uma confusão com o e-mail marketing e as diferenças devem ficar latentes. É primordial citar que a newsletter é muito focada na produção de conteúdo e não em vendas.

Por outro lado o e-mail marketing inverte esse conceito, porque o foco é apresentar algo e tentar vender. Por mais que as abordagens pareçam ser iguais, a diferença está no objetivo.

Informar o leitor é o caminho

Conforme mencionado acima, a meta principal não é utilizar uma espécie de “mala dieta” para estampar as promoções.

Lembre-se que trazer informações de relevância, ou seja, que demonstrem autoridade sobre o tema. Os assuntos devem ser ligados a empresa e um dos focos é mostrar para o cliente que você o entende do que fala.

Qual a vantagem em relação ao e-mail marketing?

Em resumo, a newsletter é direcionada a quem quer receber conteúdos relevantes de seu interesse. Já que o e-mail marketing tem um caminho mais longo, embora não seja recomendável, sabemos que ainda hoje muitas empresas de todos os portes enviam e-mail marketing em massa, mesmo sem o consentimento do usuário, e o motivo é simples (independente de se acreditamos ser a coisa certa ou não), ainda funciona.

Se de um lado o spam é um problema gigantesco na internet, por outro sua empresa pode ser vista como o “remédio”, que entretêm, educa e informa seus consumidores.

Qual o impacto de criar uma newsletter?

Ouvi de um amigo certa vez que uma determinada faculdade tinha fama de pegar qualquer aluno, que deixasse o RG cair na porta da instituição.

Hoje em alguns sites, você não precisa nem dizer que quer receber um email marketing, muito menos deixar o RG cair, eles mesmos cruzam seus dados e pressupõe que é bacana incomodar os visitantes aleatoriamente.

A newsletter bem elaborada tem o poder de ser mais eficiente, indo na direção oposta a essa prática.

O conteúdo vai para a pessoa certa

Exemplo de Newsletter “Bem elaborada”.

A ansiedade de vender pode fazer com que a “carroça fique na frente dos bois”, ou seja, não fará andar. Por outro lado, a newsletter prega que o cliente receba apenas o que é do seu interesse e consentimento:

  • Os clientes só preencherão um formulário se tiverem interesse naquilo;
  • Por consequência, a chance de ler o material e se interessar será maior, porque foi o cliente que procurou; O ROI de cada disparo de email será maior, certo ?
  • A probabilidade de ser “chato” é menor, pois já existiu pelo menos um interesse da parte do leitor.

Qual a frequência para disparar newsletters?

O mal do século XXI é a ansiedade e hoje é comum encontrar pessoas que acabam “colocando os pés pelas mãos”. Em relação a newsletter, é preciso pensar que o objetivo está no longo prazo e não no curto.

Não existe uma fórmula ou regra para essa questão e como bom senso é relativo, que tal criar uma enquete e deixar o seu próprio público responder ?

O que evitar?

Grande parte das empresas que enviam conteúdos diariamente aos clientes, podem cometer um erro básico: Serem tratadas como spammers, mesmo não sendo.

Mesmo se o cliente solicitar o envio diário, é primordial usar o principio da parcimônia a seu favor. Se o volume de disparos permitir, ajuste a quantidade de envios para o mesmo domínio, de forma que haja um intervalo. Isso reduzirá a chance de sua mensagem cair no Spam. Peça para seus leitores colocar seu endereço (remetente) como fonte confiável.

Qual tipo de informação uma newsletter deve conter?

Lembre-se que o objetivo não é vender e sim criar vínculos com quem lê, ou seja, é uma abordagem a longo prazo. Abaixo será possível conferir algumas dicas para que as newsletters sejam mais assertivas:

  • Crie conteúdos que gerem a sensação de recompensa rápida. Não se estenda muito no corpo da mensagem. Induza o leitor a clicar e monitore (o ato clicar, por si só, já libera dopamima no cérebro do leitor);
  • O material deve ser muito objetivo, dinâmico, sucinto e principalmente criativo;
  • Segmente melhor as newsletters e, assim sendo, crie conteúdos para nichos específicos de mercado. Faça higiene da sua base. Ou seja, se um determinado leitor não estiver interagindo com o conteúdo, seja abrindo o e-mail ou clicando, considere retirá-lo de sua base de envio.

4 Técnicas para melhorar a performance da sua newsletter

1.  Não seja prolixo

Pense que o cliente não deseja perder mais do que 5 minutos lendo, por mais interessante que seja o seu conteúdo, em poucas palavras sintetize tudo. O Instagram e seus 60 segundos de stories não nos deixa mentir.

2.  Não despreze celulares e tablets

Cada vez mais as pessoas utilizam outros dispositivos quenão sejam apenas os computadores pessoais. Desse modo, é fundamental que vocêotimize o conteúdo para que possa ser lido por celulares e tablets.

Atualmente, grande parte dos sites que tem bastante tráfego estãoinvestindo cada vez mais em design para dispositivos móveis. Você mesmo develer vários e-mails pelo celular e despreza aqueles que não tem boa diagramação.

3.  Meça sempre os resultados

Não precisa ser uma tarefa complicada, mas tudo que não é medido não pode ser avaliado e no caso da newsletter é não é diferente.

Se a taxa de rejeição estiver alta, considere fazer uma limpeza da sua base de e-mails. Use como critério também a taxa de cliques e abertura. Ferramentas de automação fazem bem o trabalho de medir a interação do leitor com o conteúdo.

4.  Utilize a automação a seu favor

Utilizar um bom programa de automação para separar as listas é muito importante e fará enorme diferença.