O que é Google Analytics: Tudo o que você precisa saber antes de utilizar esta ferramenta

o que e google analytics

Mensurar os resultados com precisão é um dos principais motivadores que levam as empresas a investir em marketing digital. Logo, saber o que é Google Analytics e como ele funciona é imprescindível. Isso porque, se você deseja aprender a ler métricas e, consequentemente, melhorar o desempenho do seu negócio, é preciso conhecer a ferramenta de análise de resultados mais utilizada no mercado.

O que é Google Analytics?

O Google Analytics é uma plataforma de monitoramento de audiência. Portanto, esta ferramenta criada e disponibilizada pelo Google, tem como objetivo trazer informações de perfil e comportamento do público que interage com o seu negócio digital.

Com ela você terá acesso a muitas informações relevantes sobre seus visitantes, como dados demográficos e geográficos, comportamento por canal, bem como as ações realizadas dentro do seu blog, loja virtual ou qualquer outro site que você utilize.

Portanto, caso você não utilize esta ferramenta, saiba que ela proporcionará relatórios, até em tempo real, essenciais para a análise de resultados das suas estratégias.

Por que utilizar o Google Analytics?

Gerar mais conversões e otimizar os orçamentos utilizados no marketing digital exige assertividade em suas estratégias. Logo, conhecer bem sua persona e analisar o desempenho das suas ações anteriores é fundamental.

Dado este cenário, ferramentas como o Adobe Analytics oferecem as soluções e relatórios mais completos do mercado, porém pagos. Já, utilizando o Google Analytics, você tem a disposição uma interface completa e amigável, que é capaz de fornecer ótimos insights e ainda fazer integração com outras ferramentas (como o Search Console e a própria plataforma de anunciantes do Google), gratuitamente.

Portanto, para que você, sem gastar nada, consiga reunir informações que auxiliem sua tomada de decisão, veja tudo o que é preciso saber antes de utilizar o Google Analytics.

Como utilizar o Google Analytics?

Já sabendo o que é Google Analytics e quais os benefícios dele, partiremos para a parte prática. Ou seja, passaremos a abordar, desde as configurações básicas, tudo o que esta ferramenta tem a oferecer.

Todavia, para seguir neste artigo, será preciso implementar o código de acompanhamento do Google Analytics em seu site. Mas não se preocupe, em nosso blog possuímos um tutorial completo para você o instale.

Defina as configurações do Google Analytics

Antes de qualquer coisa, principalmente se você for uma agência de marketing digital, saiba que cada e-mail do Google permite acompanhar até 100 contas do Analytics. Logo, com fins de organização, não utilize um login por cliente, mas vincule o acesso de todos a apenas um usuário.

Conta

Este é o primeiro passo a ser dado para quem pretende utilizar a ferramenta do Google. Neste momento organizamos as contas de cada cliente por nome, definimos a segurança de cada um e, o mais importante, partimos para as configurações de propriedade, as quais veremos a seguir.

Propriedade

Cada conta pode ter até 50 propriedades, nelas passamos a configurar alguns elementos necessários para o acompanhamento do seu site. É aqui, por exemplo, que selecionamos o URL, visualizamos o código de acompanhamento para instalação, escolhemos o fuso horário e integramos o Analytics com outras ferramentas do Google.

Para entender melhor, veja a seguinte situação:

Conta > “Nome da Empresa”
Propriedades > “blog.com.br”; “siteinstitucional.com.br”

Neste caso, dentro da conta “Nome da Empresa” criamos duas propriedades para dois domínios diferentes, o do blog e o do site institucional. Cada um será identificado por sua respectiva URL e, consequentemente, possuirá códigos de acompanhamento e configurações únicas.

Vista de Propriedade


Por fim, após definido estes dois últimos fatores citados, você ainda pode acrescentar filtros inteligentes.

Por padrão, o Google Analytics exibe relatórios de “Todos os dados do Website”, mas, configurando as vistas de propriedade, você poderá ter informações de acordo com cada subdomínio ou subdiretório selecionado.

Ex. blog.meusite.com.br ou meusite.com.br/blog

Conheça a Interface do Google Analytics

Uma vez realizada todas as configurações do Google Analytics, você terá acesso às informações sobre os visitantes do seu site e aos relatórios padrão, encontrados na barra lateral da própria ferramenta:

● Tempo Real;
● Público;
● Aquisição;
● Comportamento;
● Conversões.

Como você pode ver, não há muito segredo no objetivo de cada uma destas categorias. Assim, o que realmente irá auxiliar nas suas tomadas de decisão, é a leitura dos dados disponibilizados. Descubra quais as métricas que você deve dar mais atenção ao elaborar seus relatórios.

Conheça as principais métricas do Google Analytics

De nada adianta ter todos os números do seu site em mãos se você não souber filtrar os mais relevantes. Isto é, o Google Analytics oferece incontáveis informações, mas só quem conhece os fatores determinantes para o desempenho do negócio consegue tomar decisões precisas em suas estratégias.

Então, a partir de agora separamos para você as principais métricas disponibilizadas nesta ferramenta.

metricas google analytics

Usuário

Podemos dizer que esta é a métrica mais básica, pois ela enumera a quantidade de visitantes que encontram o seu site. Então, independente de qual o caminho feito, quantas páginas acessadas ou tempo de permanência, para cada visitante único que acessa o seu site é contabilizado sempre 1 usuário.

Sessão

As sessões também dizem respeito aos visitantes em seu site, porém esta métrica foca na aceitação e comportamento deles. E já que cada usuário pode realizar inúmeras sessões, podemos dizer que quanto maior o número de sessões por visitante, maior é a aceitação do seu site.

Mas como esta métrica é contabilizada? A partir do momento que o usuário retorna ao seu site ou acessa novas páginas num período maior do que 30 minutos, é contada uma nova sessão.

Por exemplo, se um usuário se mantém inativo por mais de 30 minutos em sua página, mas depois retorna, são contadas 2 sessões. Contudo, caso o visitante esteja ativo por mais de 30 minutos em seu site, só é contabilizada a segunda sessão a partir do momento que ele acessa outra página.

Taxa de rejeição

A taxa de rejeição é uma das métricas mais relevantes em todo o Google Analytics. Mas fique atento, é preciso prestar muita atenção ao analisar esta métrica. Pois, ao contrário do que muitos pensam, é considerado uma “rejeição” quando o visitante sai do seu site após acessar apenas uma página. Na verdade se não houver nenhuma requisição adicional, após a entrada do usuário, o Analytics considera como rejeição. Importante dizer que essa interação pode ser medida de inúmeras formas, como por exemplo, um clique no botão “Leia Mais” do seu site.

É muito comum em blogs e e-commerces que um consumidor acesse apenas um artigo ou produto específico antes de fechar o navegador. Portanto nem sempre uma alta taxa de rejeição significa insatisfação.

Páginas por visita

Esta métrica está diretamente relacionada à taxa de rejeição, logo elas devem ser sempre analisadas em conjunto. Já que, a partir do momento que você aumenta o número de páginas por visita e, consequentemente, diminui a rejeição, os buscadores visualizarão o seu site como mais relevante ao usuário. Melhor dizendo, quanto mais tempo um visitante enviado pelo Google, permanece no seu site, sem retornar ao próprio Google, mais o buscador entende que seu site satisfez a busca pela qual o usuário estava procurando.

Para tanto você pode utilizar, por exemplo, CTAs para estimular o visitante a ficar em seu site.

Duração média da sessão

Nesta mesma linha de raciocínio ainda temos a duração de sessão. Ela é responsável por registrar o tempo médio, porém, para entende-las, é preciso leva em consideração dois fatores.

• O tempo de cada sessão é calculado de acordo com a última interação no site. Ou seja, se dentro do período de 30 minutos (uma sessão) o usuário realizou apenas um clique, em um link nos 5 primeiros minutos, o tempo de sessão é 5 minutos.

• Mas, caso a visita seja contabilizada como uma rejeição, o usuário pode até ter lido o artigo, por exemplo, todavia para o robô ele não teve interação com o site durante os 30 minutos, assim o tempo de sessão é 0.

canais google analytics

Canais

Se quer saber qual estratégia está gerando mais tráfego ao seu site, você precisa conhecer o relatório de canais. Isso porque, analisando esta aba do Google Analytics, será possível repensar os seus esforços em marketing digital e até reduzir os seus gastos com ações pouco efetivas. Confira quais são.

Busca orgânica

Quanto mais autoridade um site apresenta, mais visitas orgânicas ele vai possuir. Ou seja, quem já está a mais tempo no mercado e produz conteúdo de qualidade será encontrado nos primeiros resultados dos buscadores. Assim, caso você ainda não possua números expressivos em “organic search”, é preciso fazer um bom trabalho de SEO.

Social

Não é nenhum segredo que grande parcela do público digital está presente nas redes sociais, no entanto, alguns consumidores costumam se concentrar mais em determinadas redes sociais do que outras.

Então, principalmente devido às recentes mudanças de algoritmo que diminuem a visibilidade dos perfis empresariais nestes canais, é preciso medir a efetividade de cada rede e analisar o que realmente vale a pena, tratando-se de posts orgânicos. Via de regra o que não é viral, tem baixo alcance, mesmo em redes com muitos seguidores. Ou seja, se não for impulsionado através de campanhas pagas, gera resultado quase nulo.

E-mail

Hoje o e-mail marketing é utilizado por empresas de todos os portes que pretendem enviar newsletters e mensagens personalizadas a grupos de clientes.

E, a partir de relatórios de desempenho, é possível fazer alterações nos modelos de e-mail ou até no funil das ferramentas de automação de marketing, a fim de engajar os consumidores e gerar mais conversões em seu site.

Direct

Suas estratégias de anúncio e marketing de conteúdo possuem a finalidade de aumentar o conhecimento da sua marca e fidelizar clientes? Se sim, provavelmente o tráfego via direct irá aumentar gradativamente. Isso porque ele se refere a um usuário que, ao invés de chegar em seu site por qualquer canal “de apoio”, digitam sua URL diretamente na barra do navegador.

Referral

Em referral são mostrados a quantidade de visitantes que chegaram ao seu site por meio de links de outros sites. Portanto, se você passa a fazer uma estratégia de link building, coloca a sua marca em diretórios ou seu produto em marketplaces, como o Buscapé, a quantidade de tráfego referral costuma crescer exponencialmente.

Buscas Pagas e Display

Por fim, os últimos canais reportados pelo Google Analytics são os anúncios pagos. Ou seja, os links patrocinados tanto nas redes sociais (Facebook Ads, Instagram Ads), quanto nos buscadores (Google, Bing). Aqui, bem como nas próprias plataformas de anunciantes, você pode medir a efetividade dos seus orçamentos e lances para que possa fazer reajustes que melhorarão a sua taxa de conversão.

Origem

Até agora vimos como identificar quais canais são mais efetivos. Todavia é possível ser ainda mais preciso nesta análise, ou seja, você pode identificar os meios que geram mais tráfego.

Por exemplo, ver que a maior parte dos seus visitantes chega em site por meio de redes sociais é um dado impreciso. Portanto, você deverá acessar a subcategoria “Origem/Mídia” e descobrir, entre as diversas redes, quais estão proporcionando estes bons resultados.

Fonte de tráfego por campanha

Além de tudo, ainda existe uma técnica muito simples para que você possa medir cada campanha dentro de cada meio, a utilização de URLs parametrizadas. Elas consistem em criar links personalizados para cada ação que se deseja mensurar individualmente, veja como elas funcionam:

Suponha que você vai disparar dois artigos diferentes no Foxpsuh, um dos canais Referral, e quer medir o desempenho de cada um pelo Google Analytics.

Logo você vai criar UTMs para cada uma das páginas, para tanto é preciso inserir o seguinte texto após à URL:

“?utm_source= &utm_medium=  &utm_campaign= ”. Assim os disparos ficariam da seguinte forma:

1- Blog.com.br/?utm_source=referral&utm_medium=foxpush&utm_campaign=oqueegoogleanalytics

2- Blog.com.br/?utm_source=referral&utm_medium=foxpush&utm_campaign=comoinstalargoogleanalytics

Apesar dos exemplos acima, não existe nenhuma regra para inserir os campos destacados. Mas, a fim de organizá-los, os definimos como Canal, Meio e Nome da Campanha, respectivamente.

Conversões

Para finalizar este artigo iremos falar como o Google Analytics traz relatórios precisos sobre o propósito de todos que trabalham com negócios digitais, a conversão. No entanto, antes de analisar como a ferramenta atua, vamos entender o que se define por conversão.

As conversões podem ser vendas concretizadas, preenchimento de formulário de contato ou qualquer outra ação de valor realizada pelo visitante em seu site. Então, independentemente se você for anunciar, criar landing pages ou até escrever artigos, é imprescindível que sejam definidas metas de acordo com o objetivo de marketing. Pois elas vão ajudar a entender, através do comportamento do consumidor, se as suas ações estão no caminho certo.

conversões google analytics

E, em vista disso, uma das configurações possíveis na Vista de Propriedade do Google Analytics é selecionar metas. Confira as opções disponíveis.  

Destino

Quando você seleciona uma meta de destino, as conversões são contabilizadas a partir do momento que o usuário chega em determinada página.

Por exemplo, ao criar uma landing page em que, após converter, o visitante é levado a uma página de agradecimento, você pode defini-la como uma meta e toda vez que alguém chegar nela é contabilizada uma nova conversão.

Ainda nesta opção, é possível, em situações que exigem que o usuário acesse mais de uma página até a conversão, “traquear” todo o funil de vendas e descobrir quais etapas apresentam maior taxa de abandono.

Duração

Caso queira medir a retenção e o engajamento, principalmente de artigos no seu site, a meta de duração é indispensável. Através dela você fará com que a ferramenta conte conversões de acordo com usuários que ficaram o período estipulado. Veja em nosso blog como aumentar o tempo de leitura dos visitantes.

Páginas por sessão

Com o mesmo objetivo da meta anterior, aqui queremos saber como o visitante está reagindo aos links internos. Ou seja, é contabilizada a conversão quando o usuário entra em um número mínimo de páginas por sessão.

Eventos

As metas de acordo com eventos são as mais complexas do Google Analytics. Nela as conversões só são computadas quando o usuário realiza ações específicas, como clicar em um botão ou assistir um vídeo, em seu site.

Portanto, como não são atividades pré-definidas pela plataforma, é necessário instalar manualmente um código de rastreio nas páginas que serão geradas as conversões. Saiba mais sobre como criar um evento no Google Analytics em: https://support.google.com/analytics/answer/1136960?hl=pt-BR

Então, agora que você já sabe o que é Google Analytics e a importância de como utilizá-lo em prol seu site, aprenda a fazer a análise do ROI por esta ferramenta.

Deixe um comentário

  Inscreva-se  
Notificação